Vaivém: Funvic/Taubaté renova com oposto

por Daniel Bortoletto em 25.abr.2015 às 10:15h

O oposto Leozão renovou por mais uma temporada o contrato com o Funvic/Taubaté.

O jogador, ex-Sesi, neste ano não terá mais Lorena como “concorrente” pela posição. Agora ele passará a ter o canadense Gavin Schmitt, como o blog revelou há algumas semanas, como “rival”.

Vaivém: Um novo cubano do Minas

por Daniel Bortoletto em 25.abr.2015 às 10:09h
Raidel Delgado Gonzalez, reforço do Minas

Raidel Delgado Gonzalez, reforço do Minas

Depois do sucesso de Yadrian Escobar na última Superliga, terminando como maior pontuador, o Minas vai apostar em um outro cubano na temporada 2015/2016.

O blog apurou que o semifinalista acertou com Raidel Gonzalez, que estava atuando nos Emirados Árabes.

O jogador tem 27 anos, 1,95m e, como a maioria dos cubanos, tem como ponto forte a força no ataque. Raidel pode atuar também na função de oposto, a mesma do amigo Escobar, que acabou sendo um diferencial para o acerto.

Ele participou de algumas edições da Liga Mundial antes de deixar o país.

Vaivém: Brasil Kirin anuncia selecionável

por Daniel Bortoletto em 24.abr.2015 às 17:25h

O Brasil Kirin confirmou, nesta sexta-feira, a contratação do central Maurício Souza.

O jogador, que está na lista de 25 inscritos pela Seleção Brasileira para a Liga Mundial, defendeu o Funvic/Taubaté na última temporada.

O time de Campinas também anunciou a manutenção do oposto Baiano.

 

Mari Paraíba fala sobre convocação, futuro, rótulo de musa…

por Daniel Bortoletto em 24.abr.2015 às 13:19h

Mari Paraíba irá se apresentar à Seleção Brasileira na próxima segunda-feira, em São Paulo, ao lado de Monique, Bárbara e Suelle (leia aqui a notícia antecipada ontem pelo blog http://blogs.lancenet.com.br/volei/2015/04/23/mari-paraiba-tera-chance-na-selecao/). Antes, curte alguns dias de folga com a família, na terra natal.

Por e-mail, ela respondeu, na manhã desta sexta-feira, algumas perguntas sobre a convocação, fez um balanço da temporada, da parceria com Jaqueline e Naiane, além de confirmar o destino na próxima temporada. Confira:

Melhor fase da carreira rendeu chance na Seleção (Divulgação)

Melhor fase da carreira rendeu chance na Seleção (Divulgação)

1 – Como você recebeu a notícia da convocação? Já chegou a falar com o Zé Roberto ou alguém da comissão técnica?
Recebi a notícia primeiramente pela supervisora do Minas, a Patricia Axer, na quarta-feira, antes de vir para a Paraíba ver a família. Não cheguei a falar com ninguém da comissão técnica ainda.

2 – Recebeu mensagens ou telefonemas de outras jogadoras?
A Jaque me ligou dando os parabéns. As meninas do Minas, a comissão técnica e a supervisão me parabenizaram também.

3 – Em algum momento da carreira achou que isso não iria mais acontecer?
Já passou pela cabeça sim, mas sempre tive meus pes no chão. Se tivesse que acontecer, aconteceria. Tudo tem seu momento e hoje vou ter uma oportunidade.

4 – Pelas estatísticas da CBV, você é a sexta melhor atacante e a oitava melhor passadora (as outras sete são líberos) da Superliga. Dá para cravar que você vive o melhor da carreira na quadra?
Acho que venho numa evolução. Também acho que posso evoluir e aprender muito mais. Não quero parar aqui. Quero evoluir mais.

5 – Ter atuado ao lado da Jaqueline nesta temporada ajudou de que forma no seu desempenho?
sempre admirei muito a Jaque e acho que ela contribuiu bastante, me ajudou muito. Era alguém que eu podia ter do lado para me espelhar e aprender.

6 – Queria que falasse um pouco da Naiane, talvez a maior revelação da última Superliga.
Joguei com a Nai em Macaé, ela tinha 15 anos, se não me engano, e chegou para ser a terceira levantadora. Quando cheguei ao Minas lá está ela de novo, só que com 20 anos e contratada pra ser a terceira levantadora também. De repente, de uma hora pra outra, ela está de primeira levantadora. Acho que nem ela mesma acreditou (rs). A Naiane é uma das promessas do nosso vôlei, jovem e alta e com uma técnica que pode ir longe. Levou nosso time numa pressão que foi imposta a uma menina de 20 anos e jogando sua primeira Superliga. Ela está de parabéns. Acho que tem muito para crescer e ser uma grande levantadora.

7 – De alguma forma, você já se incomodou ou ainda se incomoda com o rótulo de musa do esporte?
Já me incomodou sim, hoje sei lidar melhor. As pessoas falam muito sobre o que não sabem e acreditam que seja a verdade. Isso sempre me incomodou! Mas nós amadurecemos e aprendemos a lidar com a vida e as pessoas, graças a Deus.

8 – Seu contrato com o Minas já está renovado? O que pode falar sobre o futuro?
Meu contrato já está renovado com o Minas.

9 – Para encerrar, tem algum palpite para a final entre Rexona e Molico, domingo?
Eu acredito que será um grande jogo, sem favorito!!! Eu torço pra que seja mais uma grande final de voleibol.

Zé Roberto: “Fofão toca na bola com o coração”

por Daniel Bortoletto em 24.abr.2015 às 9:47h

Meu primeiro contato com a Fofão foi em 1989, pelo Colgate/Pão de Açúcar. Ela tinha começado há pouco tempo. Posso dizer que fui um dos primeiros técnicos dela. Trabalhamos juntos até 1991, quando assumi a Seleção masculina.

Ela tem uma história incrível no esporte. Nunca foi convocada para as Seleções Brasileiras de base. E impressiona como tem a mesma personalidade desde começou até hoje. Logicamente ganhou experiência como atleta, como mulher, mas mantendo a mesma essência. Meiga, carinhosa, tranquila, honesta… E isso é um diferencial em todos os aspectos.

Como atleta, ela é uma mescla de muito treino, dedicação e possui uma sensibilidade ímpar, muito difícil de encontrar. Ela consegue captar a energia do local, das pessoas que estão em volta. Tem uma áurea especial. É complexo explicar. Ela rapidamente se adapta às situações de jogo, sempre jogando focada no objetivo principal. Fofão sabe a hora de falar e de escutar. Sempre foi uma referência como jogadora e esperou, muitas vezes, com paciência até sua hora chegar. É uma jogadora que todo mundo confia.

Fofão também sempre foi muito tímida, mas prima pelo bom relacionamento, por isso todas as jogadoras que atuaram com ela sentiram essa energia positiva que ela passa. A bola levantada por ela vai carregada de carinho, de paixão, de amor. Para mim é isso que explica o toque na bola diferenciado que ela tem. Ela toca na bola com o coração.

Uma outra coisa importante. Ela não se coloca como estrela. Ela é time, não dona da bola. Por tudo isso é uma atleta rara, sempre muito disponível para ajudar, sempre fazendo questão de ser uma jogadora de composição e não uma protagonista. Fofão é o exemplo perfeito.

Depoimento de José Roberto Guimarães, técnico de Fofão no início da década de 90 e depois na Seleção Brasileira, na conquista do ouro olímpico em Pequim.

Confira a íntegra da entrevista com a levantadora: http://www.lancenet.com.br/volei/tiver-experiencia-tecnica-aproveitar-Fofao_0_1344465650.html

 

Levantadora será convidada para assumir cargo na Seleção

por Daniel Bortoletto em 24.abr.2015 às 8:56h

Assim que se aposentar das quadras, em maio, Fofão já poderá assumir um cargo fora delas. Basta dizer sim ao técnico da Seleção Brasileira.

– Pretendo no futuro convidá-la para ser assistente na Seleção feminina. Eu não consegui convencê-la a voltar para a Seleção e participar da Olimpíada. Então vou tentar fazer com que ela participe dos Jogos de 2016 ajudando as meninas do lado de fora, passando tudo o que ela sabe e tem de conhecimento – revelou José Roberto Guimarães ao blog.

Depois de conquistar o ouro olímpico em Pequim-2008, Fofão decidiu deixar a Seleção. Achava que a carreira estava prestes a acabar. Apesar de se manter em alto nível, não aceitou voltar e disputar os Jogos de Londres, em 2012.

Confira a íntegra da entrevista com a levantadora: http://www.lancenet.com.br/volei/tiver-experiencia-tecnica-aproveitar-Fofao_0_1344465650.html

Fofão fará jogo de despedida no fim de maio

por Daniel Bortoletto em 24.abr.2015 às 8:03h

Os fãs brasileiros terão mais uma oportunidade de ver Fofão em ação, no país, antes da aposentadoria definitiva.

A levantadora do Rexona-Ades, que se despede neste domingo da Superliga na final contra o Molico/Osasco, fará uma grande festa, no Ginásio Lauro Gomes, em São Caetano do Sul, na manhã do dia 24 de maio.

Fofão treinando para a final da Superliga ( Alexandre Arruda/CBV)

Fofão treinando para a final da Superliga ( Alexandre Arruda/CBV)

Fofão vai reunir atletas de diferentes gerações para uma grande confraternização, justamente na cidade que marcou o início de sua carreira. Um dos times será formado pela geração que ajudou-a na conquista do ouro olímpico em Pequim-2008. Estarão ao lado dela Fabiana, Paula Pequeno, Mari, Sheilla, Jaqueline, Fabi, Thaisa, Walewska, Sassá, Carol Albuquerque e Valeskinha. José Roberto Guimarães será o treinador. Do outro lado, uma seleção de amigas de Fofão, tanto de atletas em atividades (Gabi, Natália, Carol, Erika, Elisangela, Juciely, Regiane) como estrelas do passado (Virna, Ida, Leila, Ana Volponi, entre outras). Bernardinho foi o convidado para treinar esta mistura de gerações.

Será bem legal esse reencontro. O time de 2008 por ter entrado para a história e o “adversário” por misturar presente e passado, com outras diversas conquistas importantes pela Seleção.

Uma informação para quem quiser prestigiar in loco o evento. Ingressos serão trocados por alimentos não-perecíveis na bilheteria do ginásio. Para quem não mora em São Paulo ou ABC Paulista, outra boa notícia: a ESPN vai transmitir o evento.

– Vou tentar reunir o máximo de jogadoras que já fizeram parte da minha carreira. Muitas não querem jogar, mas estarão lá (risos). É uma forma de homenageá-las. Muitas pessoas as conhecem, mas muitas outras nunca ouviram falar. Convidei algumas que estiveram comigo na Olimpíada de 2008, outras do Rexona e outras amigas. Vai ser em São Caetano, porque é onde minha historia começou. Achei mais justo fazer lá. E essa será a última vez mesmo que estarei em uma quadra como jogadora – comentou Fofão ao LANCE!.

Confira a íntegra da entrevista com a levantadora: http://www.lancenet.com.br/volei/tiver-experiencia-tecnica-aproveitar-Fofao_0_1344465650.html

Mari Paraíba terá chance na Seleção

por Daniel Bortoletto em 23.abr.2015 às 15:18h

A ponta Mari Paraíba será uma das novidades nos treinamentos da Seleção Brasileira, a partir da próxima semana, em São Paulo.

Um dos destaques do Camponesa/Minas na Superliga, a jogadora terá a primeira grande chance com a Amarelinha. Um prêmio (merecido, diga-se de passagem) pela constância durante toda a competição nacional nesta temporada. Mari, pelas estatísticas da CBV, ocupa o sexto lugar no ataque, com aproveitamento de 20,1%, atrás apenas de Gabi e Natália (Rexona), Carcaces (Molic0), Thaisinha (São Caetano) e Jaqueline (Minas). No passe, aparece em oitavo lugar. É a primeira ponta que aparece no ranking, atrás apenas de sete líberos.

Mari Paraíba em ação na Superliga (Alexandre Arruda/CBV)

Mari Paraíba em ação na Superliga (Alexandre Arruda/CBV)

Vi muita gente criticando Mari pelas atuações nas semifinais contra o Rexona-Ades. É verdade que ela deixou a desejar em alguns momentos, parando no bloqueio ou não conseguindo passar com precisão para Naiane. Mas seria cruel fazer a análise de uma temporada por esses dois jogos apenas.

Em uma temporada de testes na Seleção, com a divisão do grupo em dois para disputa de Grand Prix e Pan-Americano, pode ser a chance ideal para mostrar serviço em nível internacional.

Juntamente com Mari Paraíba irão se juntar ao grupo de 13 jogadoras, que hoje está em Saquarema, a oposto Monique, a oposto/central Barbara e a ponta Suelle, todas do Sesi. Outra jogadora que ganhou uma folga maior foi a ponta Ellen, do Pinheiros, que se casou após o fim da Superliga.

Já as jogadoras que disputarão a final da competição nacional irão se juntar gradativamente ao restante do grupo, ganhando um período de férias.

No link uma galeria de fotos que o LANCE!NET fez da musa e, agora, selecionável:  http://www.lancenet.com.br/volei/FOTOS-Mari-Paraiba-volei-imagens_5_1344515544.html

 

Vaivém: Bento anuncia campeão olímpico

por Daniel Bortoletto em 23.abr.2015 às 12:50h

Em seu retorno à elite da Superliga masculina, o Bento terá o ex-central Paulão, medalhista de ouro em Barcelona-92, como técnico.

O nome dele foi confirmado nesta quinta-feira.

Depois de ser vice-campeão da divisão de acesso da Superliga, com um elenco formado por jogadores bem experientes, o tradicional time gaúcho parte agora para a montagem do elenco para a temporada 2015/2016.

Vaivém: Lucão por dois anos em Modena

por Daniel Bortoletto em 23.abr.2015 às 10:23h

O central Lucão vai, pela primeira vez, defender um clube estrangeiro na carreira.

Depois de passar por Ulbra (RS), Cimed (SC), Vôlei Futuro (SP), RJX (RJ) e Sesi, o titular da Seleção acertou contrato com o Modena, da Itália. O blog apurou que o vínculo foi acertado para as temporadas 2015/2016 e 2016/2017.

É mais uma baixa no Sesi, que diminuiu o orçamento e já havia perdido Lucarelli e Riad para o Funvic/Taubaté. Escadinha é outro que pode sair.

O anúncio só deverá acontecer após a participação do atual Modena no Campeonato Italiano. O time do levantador Bruninho está na semifinal e irá enfrentar o Latina. Do outro lado da chave estão Perugia e Trentino.

Vale lembrar que a parceria Bruninho/Lucão existe há uma década, tendo começado na campeoníssima Cimed, passado pelo milionário e meteórico RJX, além de estar consolidada há vários anos na Seleção de Bernardinho.