publicidade


Posts com a Tag ‘Paulistão-2014’

Mano tenta, mas de novo apela para medalhões

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Mano Menezes tem tentado mudar, ninguém pode negar. Ramírez – que começou a jogada do gol contra feito por Mirita, após chute de Uendel – e Zé Paulo foram titulares pelo segundo jogo consecutivo. Mas o Timão, de novo, não conseguiu dominar o adversário e o técnico, de novo, apelou para os tais medalhões que a torcida quer fora do clube.

No primeiro tempo, com o 1 a 1 incômodo, saiu Zé Paulo e entrou Danilo. Alguns minutos depois, Ramírez deu lugar a Guerrero. Assim, o quarteto Danilo-Romarinho-Sheik-Guerrero, que terminou o ano com Tite, terminou mais um jogo do “novo-velho” Timão.

– Mano pediu para o Romarinho ficar um pouco mais lá na frente e não voltar tanto porque, certamente, uma bola iria chegar. Vamos continuar acreditando nessa postura e no trabalho porque vai aparecer uma bola – disse Emerson, no intervalo, meio que sem acreditar no que estava falando.

No jogo anterior, derrota para o Bragantino no Pacaembu, o mesmo Sheik admitiu que está falta confiança para todos. De fato, não é fácil jogar dias depois de ver mais de cem vândalos correndo em sua direção. Quem tem entrado esbarra nos vícios de um time que não sabe criar algo novo em campo.

No próximo domingo, o adversário é o arquirrival Palmeiras. Chance para começar a mudar o rumo do time e melhorar o panorama. Porque pior do que está é difícil ficar.

Tempo para o time e paciência para a torcida

domingo, 26 de janeiro de 2014

Tempo para o time e paciência para a torcida

Mano não admitiu, mas foi pensando no clássico contra o Santos, na próxima quarta-feira, que ele decidiu tirar Danilo, Romarinho e Guerrero para lançar Ibson, Emerson e Alexandre Pato.

Não que o trio que foi titular nos dois primeiros jogos do ano pudesse mudar o destino do Corinthians contra o São Bernardo – impossível saber… Mas é inegável que o time perdeu o pouco de ritmo conquistado nas vitórias sobre Paulista e Portuguesa.

Menos criativo, sem imaginação, o Corinthians não conseguiu furar a retranca do Bernô, que abriu o placar no primeiro ataque com Erick Flores, ex-Flamengo.

Pato acertou a trave e em outras duas oportunidades obrigou o goleiro Wilson Júnior a fazer boas defesas. Jocinei soltou uma patada, ainda no começo do jogo, que até lembrou Roberto Carlos.

Mas nada…

Muito da falta de imaginação se deve ao posicionamento da linha de três jogadores atrás de Pato. Sheik circulava, é verdade, mas Rodriguinho, preso entre os volantes, e Ibson, na esquerda, facilitaram a vida do rival.

No segundo tempo, com Guerrero e Danilo ao lado Pato e Sheik, o Timão pressionou no 4-2-1-3, opção que Mano só deve usar em momentos como o de ontem, com mais suor do que razão. Contra o Santos, quarta-feira, o time das duas primeiras rodadas volta.