publicidade


Posts com a Tag ‘Deodoro’

Deodoro sobe o valor dos Jogos e greve acaba

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Na quinta-feira, a prefeitura do Rio divulgou os editais de licitação para reforma e construção de instalações do Complexo de Deodoro e fez com que o custo dos Jogos Rio-2016 saltasse de R$ 36,7 bilhões para R$ 37,5 bilhões.

Tudo porque foram acrescentados os valores de R$ 804,2 milhões, por causa das despesas com Deodoro. A prefeitura, ao invés de realizar três licitações, optou por fundir duas das três zonas previstas.

Com a decisão, as zonas A e B, que ficam na Região Norte de Deodoro vão custar R$ 647,1 milhões e compreenderão: o Estádio de Canoagem Slalom, a pista de Mountain Bike, a pista de BMX, o Centro Nacional de Tiro Esportivo, a Arena de Rúgbi e Combinado do Pentatlo Moderno, a Arena Deodoro – onde acontecem a esgrima do Pentatlo e as preliminares do basquete feminino –, o Centro de Hóquei sobre Grama e a piscina do Pentatlo Moderno.

Já a zona C, na Região Sul, sairá por R$ 157,1 milhões e será composta pelo Centro Nacional de Hipismo, a clínica veterinária e a Vila dos Tratadores.

A promessa é a de que as obras comecem no segundo semestre deste ano e terminem no primeiro semestre de 2016.

Outro assunto que trazia dor-de-cabeça aos organizadores era a greve dos operários do Parque Olímpicos, que durou 14 dias. Os trabalhadores voltaram ao trabalho na quinta-feira, mas poderão parar novamente, caso as negociações reiniciadas com o consórcio Rio Mais para a concessão de novos benefícios não avancem.

Tanto o Rio Mais quanto a prefeitura do Rio garantem que a greve não atrapalhou o cronograma de obras e que as construções do Parque Olímpico estão em dia. Só lembro que falamos do atual cronograma e não daquele inicial em que obras já eram para estar prontas.

Para ficar por dentro das novidades do blog, siga-o no twitter: @LANCE_RIO2016.

Paes fala sério mas parece brincar com a situação

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Diz o dito popular: “o pior cego é aquele que não quer ver”. E o prefeito do Rio, Eduardo Paes, a primeira vista, parece se enquadrar nele quando o assunto é as críticas feitas pelas Federações Internacionais de esportes olímpicos.

Na quarta-feira, Paes se pronunciou sobre o assunto e, ao invés de adotar uma postura conciliatória e agregadora, optou por desqualificar os críticos. E tentar pintar uma outra realidade.

- Não recebi essa avaliação do COI. Foi o presidente da Federação de Tênis (Francesco Ricci Bitti, que também preside a Associação das Federações Internacionais Olímpicas de Verão – Asoif), que não falou em nome do COI. Por acaso, o estádio dele está ficando pronto, dentro do cronograma. Eu discordo totalmente dele. Tivemos visita há 15 dias do COI. Se você pegar todas as obras de infraestrutura estão endereçadas e caminhando. Se você pegar o Parque Olímpico, totalmente caminhando. Todas as obras já se iniciaram – disse Paes.

A questão não é incorporar o “Complexo de Vira-latas” e abaixar a cabeça para tudo o que os dirigentes, principalmente, os de Federações Internacionais reclamam e pedem, até porque, eles reclamam e pedem muito. Mas também não é necessário ficar batendo boca sem ter razão.

Humildade, nessas horas, é o melhor remédio.

Por exemplo, a foto abaixo é do local onde ficará o Centro de Tênis, o estádio que Paes falou que está ficando pronto. E foi isso que Bitti viu quando esteve em março no Rio, a menos de mil dias para o início dos Jogos.

No quarteirão da frente será o Centro de Tênis e as quadras auxiliares. Atrás dele, onde estão os tubos pretos, o Centro Aquático (Foto: Michel Castellar)

No quarteirão da frente será o Centro de Tênis e as quadras auxiliares. Atrás dele, onde estão os tubos pretos, o Centro Aquático (Foto: Michel Castellar/MAR/2014)

Outra questão em que o prefeito do Rio parece estar desinformado, o que não creio, é quanto as instalações do Complexo de Deodoro. Leia o que ele falou:

- O que você tem é um problema conhecido que a gente está procurando recuperar o tempo perdido que é Deodoro, mas também dá prazo. A gente está preparado para publicar agora dia 16 abril a licitação, para as obras começarem no segundo semestre. São obras simples. É uma pista de BMX. É um negócio para cavalo saltar. E para cavalo saltar não precisa de estádio, nem de ar condicionado no estádio. São estruturas mais simples, mais rápidas de fazer. Tenho a minha preocupação com Deodoro, portanto não preciso de presidente nenhum de federação falar isso para mim. Essa preocupação é minha. Eu alerto com relação isso.

Alguém precisa alertá-lo que uma das instalações mais complexas dos Jogos está em Deodoro: o parque de canoagem slalom. Londres amargou um prejuízo porque depois do projeto pronto, viram que estava errado e precisaram corrigí-lo.

Por fim, diz o prefeito do Rio…

- É uma tarefa dificílima fazer uma Olimpíada. Nesse momento a gente está fazendo só dois BRTs, só estamos fazendo toda a Zona Portuária, só estamos fazendo com o Estado a linha 4 do metrô, só estamos fazendo todos os piscinões da Praça da Bandeira, só estamos duplicando a Avenida Ayrton Senna da Abelardo Bueno a Salvador Alende, temos que começar agora a duplicação do Viaduto do Joá, só estamos fazendo o Parque Olímpico, só estamos fazendo o Parque Deodoro. São um conjunto de intervenções. É tudo muito difícil. É um exercício, dever de casa supercomplexo, mas não há nenhuma questão assim dramática. A prefeitura vai dar conta. Vamos fazer a melhor Olimpíada da história – prometeu Paes.

Acho que depois dessa, só me resta a escrever: “que os anjos digam amém”.

Para ficar por dentro das novidades do blog, siga-o no twitter: @LANCE_RIO2016.

Caminho livre para as instalações de Deodoro

domingo, 30 de março de 2014

Com a correria, nem escrevi que a licitação responsável por abrir os caminhos do Complexo Esportivo de Deodoro para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016 foi concluída na sexta-feira. A MRJE Construtora foi a vencedora da concorrência para as obras de domínio urbano do complexo.

O domínio urbano são as obras de melhorias viárias em 11 vias de Deodoro, que vão desde pavimentação e acessibilidade à construção de ferrovias e reforma de calçadas. Para tanto, o valor gasto será de R$ 49,3 milhões e os recursos virão do Ministério do Esporte.

Para ficar por dentro das novidades do blog, siga-o no twitter: @LANCE_RIO2016.

Saiba as novidades da licitação de Deodoro

terça-feira, 25 de março de 2014

A Empresa Olímpica Municipal (EOM) já decidiu como será a licitação das obras de construção e reformas dos equipamentos esportivos no Complexo de Deodoro para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016. A intenção é a de que os editais sejam liberados até a primeira quinzena de abril e há novidades quanto a forma como as instalações serão licitadas.

As instalações foram divididas em três zonas:

A – Parque Radical - Composta pelo Estádio Olímpico de Canoagem Slalom, pelo Parque Olímpico de Mountain Bike e pelo Centro Olímpico de BMX.

B – Área Central - O Centro Nacional de Tiro Esportivo, a Arena de Rugby e Pentatlo Moderno, a Arena Deodoro, o Centro Olímpico de Hóquei sobre Grama e o Centro Aquático de Pentatlo Moderno.

C – Centro Nacional de Hipismo - A Clínica Veterinária, a Ferradoria e a Vila dos Tratadores (são três prédios de seis andares cada um).

E ao invés de licitar instalação por instalação ou tudo em um só pacote, a EOM optou por dividí-las em duas grandes áreas: a Norte e a Sul.

A licitação referente à área Norte compreenderá as zonas A e B.

Já a licitação referente à área Sul compreenderá a zona C.

Para ficar por dentro das novidades do blog, siga-o no twitter: @LANCE_RIO2016.

A paciência acabou e o couro comeu

sexta-feira, 21 de março de 2014

Se possível fosse, o Comitê Olímpico Internacional (COI) estaria até agora batendo na organização do Rio com um gato morto e só pararia quando o bichano defunto miasse. A verdade é essa: a ficha caiu, os Jogos do Rio são os próximos e a paciência acabou.

Um exemplo dessa nova postura foi a cobrança feita pela Comissão de Coordenação do COI para os Jogos Rio-2016, nesta sexta-feira, ao término da 6ª visita à capital fluminense. Sem medir palavras, a presidente da comissão Nawal El Moutawakel ressuscitou um assunto que estava morto e enterrado: a matriz de responsabilidades.

- Em 27 de março, uma reunião crucial vai ocorrer em Brasília com todos os principais representantes dos governos. Nossa expectativa é a de que as responsabilidade de cada um sejam esclarecidas para evitarmos atrasos mais significativos na entrega do projeto – afirmou Nawal.

Não estava tudo resolvido? Vejam o que Nawal disse no dia 6 de junho de 2012:

- Com esse importante e complexo trabalho chegando a uma conclusão (confecção da matriz de responsabilidades e o término do projeto executivo do Parque Olímpico), torna-se claro que os prazos para entrega são muito curtos e que a quantidade de trabalho a ser completada é considerável.O principal exemplo foi a cobrança da definição da matriz de responsabilidades, um assunto que já estava resolvido, segundo a própria entidade – afirmou Nawal.

Só que o tempo foi passando e o COI começou a dar sinais de que tudo não estava tão bem:

- Desde última vez em que estivemos, aqui (em fevereiro), passaram-se 29 semanas. Muito foi feito, mas muito trabalho permanece por fazer e algumas linhas de tempo estão estreitas e apertadas. Tais como completar a matriz de responsabilidade e entregar instalações olímpicas e de infraestrutura – disse Nawal, no dia 3 de semtrbo de 2013.

Isso quer dizer que mais de um ano se passou desde a apresentação da matriz para o primeiro pedido público ocorrer. E quase dois anos se passaram até culminar com as palavras desta sexta-feira, que tiveram endereço certo: os governos municipal, estadual e federal que patinam e não se entendem para o término da matriz.

A reunião classificada por Nawal como crucial seria apenas mais uma de rotina. Esses encontros em Brasília, entre os três níveis de governo e o Comitê Organizador dos Jogos Rio-2016 ocorrem periodicamente, mas a da próxima quinta-feira ganhou importância por causa da cobrança pública feita pelo COI.

E não foi só Nawal que falou sobre a matriz de responsabilidades, que é o documento onde os governos federal, estadual e municipal devem detalhar todas as obras para a competição e a quem competirá executá-las e pagá-las. O diretor executivo do COI para Jogos Olímpicos, Gilbert Felli, também pegou pesado para o lado dos entes públicos ao falar sobre o assunto.

– Essa reunião é crucial porque alguns parceiros ainda não chegaram a um acordo sobre as responsabilidades dos Jogos. Essas reuniões acontecem normalmente mas chega um momento que é preciso definir quem fará cada coisa – frisou Felli.

Ultimato dado, agora é ver se depois da reprimenda pública os governos vão mudar de postura.

Sem Bubka, COI faz um giro pelo Rio

quinta-feira, 20 de março de 2014

Por causa dos problemas políticos, militares e civis em seu país, o ucraniano Sergey Bubka foi o único dos 18 integrantes que não veio ao Rio para a 6ª reunião da Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional para os Jogos de 2016. O campeão olímpico preside o Comitê Olímpico da Ucrânia e, no momento, tenta usar sua influência e prestígio para liderar uma cruzada pela promoção da paz.

Sem Bubka, o segundo dia da Comissão de Coordenação no Rio foi reservado para visita às instalações olímpicas.

De acordo com um limbense presente ao evento, os membros do COI se surpreenderam com as instalações, como o Centro Nacional de Tiro. Afinal, esta foi a primeira vez que Deodoro, na Zona Oeste, recebeu a comissão e a impressão que todos tinham era a de que as instalações estavam aquém do desejado.

Desfeita a impressão, a comitiva seguiu para a Parque Carioca. Para quem não ligou o “nome à pessoa”, é o condomínio para onde serão transferidos parte dos moradores da Vila Autódromo.

De lá, visitaram as obras do Parque Olímpico, no antigo terreo do Autódromo Internacional Nelson Piquet, e seguiram para o campo de golfe.

Durante as andanças, o saldo positivo para o Comitê Rio-2016 foi que em nenhum momento a comitiva foi acossada por alguma manifestação contra os Jogos.

E quanto aos engarrafamentos, apesar da falta de escolta durante a ida a Deodoro, os dois ônibus da comitiva pouco trânsito pegou. Até porque, informo a todos, ela estava contra o fluxo matinal de carros.

Nawal El Moutawakel com integrantes do Conselho de Esportes dos Jogos Rio-2016, durante visita nas obras de Deodoro (Divulgação)

Nawal El Moutawakel com integrantes do Conselho de Esportes dos Jogos Rio-2016, durante visita nas instalações de Deodoro (Divulgação)

Rio se reúne com federações que vão competir em Deodoro

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016 se reuniu em Sochi com as federações internacionais que vão ter suas sedes no Complexo Esportivo de Deodoro. O objetivo foi o de acalmar os ânimos e fazer um balanço de como está o andamento da preparação do local.

Durante o encontro, o principal temor demonstrado foi quanto às instalações de treino que ficarão na Universidade Federal do Rio de Janeiro, na Ilha do Governador, Zona Norte. As Federações de Hóquei sobre Grama e Rúgbi revelaram preocupação quanto a qualidade do campo.

Mas o Comitê Rio-2016 tratou de assegurar que todas as instalações de treinamento serão feitas com o mesmo material utilizado no campo oficial dos Jogos.

 Em Sochi, Rússia.

Para ficar por dentro das novidades do blog, siga-o no twitter: @LANCE_RIO2016.

Frase Olímpica: “E aí?”

sábado, 7 de dezembro de 2013

“Outro aspecto ressaltado no Relatório, relacionado ao empreendimento como um todo, é a discrepância verificada entre os valores originalmente pre vistos no Dossiê de Candidatura, mesmo com a atualização monetária, e as estimativas mais recentes, o que denota uma falha nos estudos preliminares. No caso de Deodoro, o valor estimado no Dossiê, atualizado pelo INCC para janeiro de 2013, conforme documento do Ministério do Esporte, corresponde a R$ 454.303.010,73,  considerando-se complexo esportivo e legado urbano, enquanto a estimativa realizada pelo IAB/RJ para subsidiar o orçamento-base dos projetos indicou um valor estimado superior a R$ 1 bilhão, ou seja, o valor inicialmente estimado mais do que duplicou.”

Trecho do relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), divulgado na quarta-feira, sobre as obras no Complexo Esportivo de Deodoro.

Para ficar por dentro das novidades do blog, siga-o no twitter: @LANCE_RIO2016.

As datas de Deodoro

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Para anotar, guardar e cobrar. Este é o cronograma elaborado pela prefeitura do Rio de início e término das construções/reformas necessárias para o Complexo Esportivo de Deodoro estar apto aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

deodoro

1001 dias

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

E não é que para a alegria dos fogueteiros até dinamites foram detonadas para festejar a marca de 1000 dias para o início dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016?

Para explicar melhor, nesta sexta-feira, véspera da efeméride, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, reuniu a turma olímpica: governador fluminense Sérgio Cabral Filho, presidente da Autoridade Pública Olímpica (APO), general Fernando Azevedo e Silva, o secretário executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, além do presidente do Comitê Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, para dar início à construção dos dois túneis do BRT Transolímpica (Barra da Tijuca/Deodoro) na Serra do Engenho Velho, no Jardim Sulacap. E para furar as rochas…dá-lhe dinamite.

Exultante, o prefeito do Rio garantiu que a Transolímpica ficará pronta a tempo dos Jogos. E a previsão é a de que somente os túneis demorem 18 meses para terem suas perfurações concluídas. Em uma conta rápida, antes do primeiro semestre de 2015, nada feito.

Com isso, mais um prazo para a conclusão das obras fica estourado. E olha que nem estou levando em consideração que a obra deveria ter começado em 2011 e só teve início neste ano. Não acreditam no que escrevo? Vejam trecho da divulgação feita pela prefeitura no dia 17 de maio de 2010.

“De acordo com o cronograma apresentado hoje, será publicado nesta terça-feira, dia 18, aviso de convocação para a audiência pública, dia 11 de junho, que definirá, entre outros detalhes, os custos da intervenção. O lançamento do edital está marcado para setembro deste ano e a assinatura do contrato, bem como o início das obras, estão previstos para o primeiro semestre de 2011. A obra deverá ser entregue no primeiro semestre de 2015.”

Quem quiser ler o texto completo da divulgação municipal, clique AQUI.

Depois das explosões, a caravana partiu para o futuro Parque Olímpico, onde um mirante foi inaugurado para o acompanhamento das obras. A prefeitura carioca assegurou que, em breve, o local estará liberado para receber quem desejar visitar o local e observar o andamento das obras.