publicidade


Taça Brasil e Robertão

por Mauro Beting em 24.mar.2009 às 14:48h

Taça Brasil (1959-1968) é a mãe da Copa do Brasil – um torneio eliminatório, com representantes de quase todo o país; o Robertão (1967-70) é o pai do Brasileirão – um campeonato de fato, quase sempre com regulamentos discutíveis, clubes igualmente convidados, mas, de um modo geral, com os melhores do país, na época de ouro do futebol brasileiro.

Por mim, o campeão do Robertão é tão campeão brasileiro quanto qualquer outro a partir de 1971. O campeão da Taça Brasil é tão campeão como qualquer campeão da Copa do Brasil a partir de 1989.

Mas embora entendendo que não houvesse outro torneio de caráter nacional até 1967; embora a Taça Brasil concedesse vaga para a Libertadores da América (disputada a partir de 1960), ainda não considero Taça Brasil e Robertão o mesmo tipo de torneio. O que não desmerece todos os campeões a partir de 1959. Nem tira o significado histórico e esportivo de cada conquista.

(Pode me chamar de filho daquilo. Só não xingue meu pai, que só não apresentou o evento dos clubes pleiteantes no Palestra Itália por compromissos profissionais previamente assumidos: diferentemente do filho que vos escreve, Joelmir Beting entende que todos os campeões da Taça Brasil e Robertão também são “campeões brasileiros”, como pretendem Santos, Palmeiras, Cruzeiro, Fluminense, Botafogo e Bahia).

O Palmeiras, campeão da segunda Taça Brasil, jogou só quatro vezes (contra Fluminense e Fortaleza) e foi para a Libertadores-61. O Cruzeiro-66 fez apenas seis jogos e foi campeão – o que não tira mérito desses vencedores, mas apenas contextualiza as diferenças entre os campeonatos. O Santos, por exemplo, no brilhante pentacampeonato da Taça Brasil, só uma vez entrou nas quartas-de-final. Todas as demais, como representante paulista e/ou campeão do ano anterior, só jogou a partir das semifinais – o que não mudaria nada: se entrasse antes, possivelmente venceria todos os rivais, do jeito que Pelé e companhia ilimitada quisessem. Dos cinco canecos alvinegros, três foram invictos. O Santos chegou a ficar 16 jogos sem derrota no torneio. Quando não foi (penta)campeão, foi duas vezes vice, em 1959 e 1966. Só não jogou todos os torneios porque o Palmeiras ganhou dois estaduais, e, em 1968, nenhum paulista disputou a esvaziada Taça Brasil.

Jogar pouco não tira o mérito de ninguém. E jogar muito só aumenta a façanha: o Bahia-59, por exemplo, fez 14 jogos, playoffs incluídos, e venceu o enorme Santos de Pelé. Mérito total para a equipe de Nadinho, Alencar e Biriba. Um dos maiores campeões da história dos torneios nacionais. O grande vencedor do Brasil em 1959. Mas, para mim, não é campeão brasileiro como o Bahia-88. Por mais que se possa discutir aquele torneio, e tantos outros com regulamento absurdos, desde 1971.Em 1967, quando começou o Robertão, ainda existia a Taça Brasil. Em 1968, último ano dela, o Botafogo foi campeão de um torneio já esvaziado, sem a presença dos paulistas. Eles preferiram jogar o Robertão, o pai legítimo, DNA reconhecido do Brasileirão.

A Taça Brasil foi importantíssima para colocar no mapa brasileiro times de vários estados. Foram 80 clubes ao todo que a disputaram. Mas alguns grandes jamais atuaram no torneio, reservado apenas aos campeões estaduais. Gigantes como São Paulo e Corinthians, que viviam longo jejum, nunca participaram da Taça Brasil. Era um torneio muito semelhante à Copa do Brasil. Mas era uma disputa regionalizada: apenas nas fases finais equipes do Norte-Nordeste enfrentavam rivais do Sul-Sudeste e Centro-Oeste. O clube que mais participou da competição foi o Grêmio (9 dos 10 torneios – o Inter só jogou em 1962). O maior aproveitamento de pontos foi do Santos (72%). A turma de Pelé foi quem mais venceu (64%), teve a melhor média de gols (2,9), o maior saldo de gols (53).O Torneio Roberto Gomes Pedrosa foi o primeiro disputado em grupos, em ida e volta, e com caráter de campeonato, não de copa. No primeiro ano, foram os 15 principais clubes de cinco estados mais poderosos da CBD; de 1968 a 1970, foram 17 equipes de sete estados. Ao todo, 22 clubes participaram, de 1967 a 1970. O Palmeiras foi o maior campeão (duas vezes), o clube que mais pontos conquistou (104), o que mais venceu (41 jogos), o melhor aproveitamento de pontos (67%), o melhor ataque (118 gols), o melhor saldo de gols (45), e teve a terceira melhor média de gols sofridos (o Grêmio foi mais eficiente defensivamente, com 0,9 por jogo).

Em 1967, 15 clubes de cinco estados disputaram o Robertão vencido pelo Palmeiras; em 1968, o Santos foi o primeiro entre 17 clubes de sete estados, divididos em dois grupos; em 1969, o Palmeiras voltaria a ser o melhor de um campeonato com o mesmo número de clubes e estados participantes; em 1970, com os mesmos números e regulamento de 1969 e 1968, o campeão foi o Fluminense.Se Santos (campeão da Taça Brasil de 1961 a 1965), Palmeiras (campeão em 1960 e 1967), Bahia (1959) e Botafogo (1968) querem ser campeões “brasileiros” daquelas temporadas, o Criciúma-91 e o Juventude-99 também são campeões “brasileiros”, como vencedores da Copa do Brasil.

Nesta modesta opinião, não são. Não foram. Pode ser um preciosismo de minha parte, um exagerado apego ao rigor dos fatos (dentro da minha ótica com 7 graus de miopia). Mas é apenas mais uma opinião. Que, dentro do possível, tenta não ser clubista e bairrista e revisionista.

Ressalvas feitas para a Taça Brasil, o Robertão, para mim, é outra história. Mais rica: o Palmeiras campeão do Robertão (em 1967 e 69), o Santos (1968) e o Fluminense (1970) podem se dizer campeões brasileiros. De fato, de direito, de história.

A Taça Brasil apontava o campeão do Brasil, o campeão nacional, o representante brasileiro na Libertadores. Mas não pode e não deve se equiparar ao Robertão e ao Brasileirão. São tipos de campeonatos distintos.

A Taça Brasil só foi ter algo além do mata-mata nas duas últimas edições, com grupos nas fases preliminares. E quando já dividia o calendário com o Robertão.Por casuísmo, já tivemos duplicidade de campeões em outros anos, como em 1987, quando Flamengo foi o campeão brasileiro de fato, e o Sport, de direito (ou o da CBF, reconhecido pela Conmebol).

Os campeões do Robertão podem e devem ser campeões brasileiros reconhecidos pela CBF, Fifa, Liga da Justiça, quem mais quiser.

Mas, os da Taça Brasil, para este humilde escriba, não.E já respondendo a vários questionamentos feitos:

1. Não é desmerecer a Taça Brasil, muito menos seus campeões.

2. Bahia, Santos, Palmeiras, Cruzeiro e Botafogo tinham equipes para ganhar tudo que disputassem. Foi o maior Bahia de todos os tempos, o maior Santos da riquíssima antologia (para não dizer o maior time da história na primeira metade dos anos 60), foi o melhor Cruzeiro desde a fundação, um dos melhores Botafogo e Palmeiras de todos os tempos e campos.

Como o Flamengo da metade dos anos 50, o Expresso da Vitória vascaíno dos anos 40-50, o Rolo Compressor colorado, a Máquina do São Paulo dos anos 40, o Corinthians do início dos anos 50. Enormes times que não foram “campeõess nacionais” por falta de um torneio.

O que não tira o mérito de nenhum deles. Até porque a bola os reconhece como gigantescos campeões de todos os tempos e campos. Que não precisam de chancela de uma entidade que não dá pelota para a própria história. Ou a reescreve a partir de conveniências, não convivências.

Tags:

145 comentários para “Taça Brasil e Robertão”

  1. Daniel disse:

    Tenho acompanhado bastante esse assunto aqui no blog. Li todos os comentários e respostas do Mauro. Independente de concordar ou não com unificação o que me assusta é a raiva que os torcedores estão do São Paulo.

    O Palmeiras devia ser a força maior do futebol brasileiro na sua época, por isso tem bastante títulos de nível nacional da época. A história mostrou que o São Paulo correu atrás. Hoje o São Paulo tem bastante títulos brasileiros também.

    Acho que já passou da hora de começar a pensar no futuro. Parem de se comparar ao São Paulo… Enquanto vocês choram as pitangas o São Paulo está ganhando mais títulos, investindo no Morumbi, investindo na estrutura, categorias de base, etc.

    Eu não lembro do último grande jogador que o Palmeiras revelou. O Ferrugem? Vagner Love que era meio carioca, meio corinthiano e jogou um paulista apenas?

    Sobre os campeonatos. Palmeirenses, santistas e cia deveriam se orgulhar de terem sido campeões de campeonatos antigos que formaram a fama do país do futebol. O São Paulo não pode ganhar um Robertão, nem o Corinthians… Pq o Palmeiras precisa transformar o Robertão em Brasileirão? Não tem orgulho da sua história? Vocês querem transportar as glórias dos maiores ídolos da história do futebol para os dias atuais? Dias atuais que capengam de craques…

    Vocês estão sujando a história bonita dos seus clubes lutando pelo passado. Os campeonatos do passado não eram piores nem melhores, só eram outros. Lutando pela comparação vocês acabam por implorar… e implorando vocês diminuem a importância dos campeonatos do passado.

    Sou são paulino e preciso de grandes rivais… Por favor, respeitem o passado dos seus clubes.

  2. erick disse:

    Mauro, faz um favor e tenha o trabalho de ler o dossiê apresentado pelos clubes.

    http://www.parmerista.com.br/dossie_octacampeao.pdf

    São poucas páginas, e ao término da leitura, a comparação da Copa do Brasil x Taça Brasil não vai mais fazer sentido.

    Um abraço

  3. Ricardo Carvalho disse:

    Mauro, agradeço sua resposta. Nos países do exterior não observe somente a lista dos campeões. Observe as permanentes mudanças no regulamento, número de times participantes e período de disputa dos campeonatos. Qual a preparação logística para um torneio nacional em uma época onde se viajava de trem apenas para os locais onde as vias férreas existiam? Particularidades que cada época possuiu. Particularidades que cada torneio possuiu. Em comum, o fato de serem reconhecidamente pelo público que vivenciou o momento como o time que obteve a glória máxima em seu território.
    Compreendo sua linha de raciocínio, mas o mundo é um local de generalistas, que pouco se importam com as particularidades, mas sim com os números do computo final. A equiparação dos valores dos títulos é questão de justiça. O tricampeonato brasileiro do São Paulo é tão legítimo quanto o pentacampeonato do Santos. Ganhos no campo. As equipes trilharam caminhos distintos, mas árduos da mesma maneira. Cada torneio com sua particularidade, dentro da realidade que o momento possibilitava. Mas com o mesmo valor.
    Que as 70 milhões de testemunhas do período de 59-70 não sejam enganadas, quando aclamaram seus campeões. Que não criemos jurisprudência pra que os 180 milhões que testemunharam os campeonatos até 2009 sejam enganados daqui a 30 ou 40 anos por novas gerações que mais uma vez queiram revolucionar o passado histórico.

  4. James disse:

    ..Blá blá blá, o que interessa mesmo é o bom senso.Me recuso a acreditar que a Taça Brasil valha como campeonato brasileiro,um time que enfrenta 3 ou 5 adversários apenas não pode se intitular campeão brasileiro, é Copa do brasil e lamba os beiços..

  5. Alexandre disse:

    Mauro,

    Lendo diferentes blogs e os comentários aos mesmos, identifiquei 5 diferentes abordagens ao tema:

    1) Abordagem Oficialista: considera o valor dos títulos pelo reconhecimento dos órgão competentes. Por este critério, Taça Brasil (TB) e Torneio Roberto Gomes Pedrosa (TRGP) não se equivalem ao Campeonato Brasileiro (CnB) nem à Copa do Brasil (CpB), Taça Intercontinental (TI) não é equivalente ao Mundial de Clubes (MC), o campeão brasileiro de 87 é o Sport e em 2000 não houve um campeão brasileiro. O problema desta abordagem é que em geral as escolhas das entidades competentes são políticas e pouco técnicas.

    2)Abordagem histórica, com viés europeu: considera o valor histórico dos títulos, procurando adequá-los ao modelo-padrão europeu. Há copas (em sistema de mata-mata) e campeonatos (em geral, em sistema de turno e returno) nacionais. TB e CpB são copas, TRGP e CnB (bem como a Copa União e a Copa João Havelange) são campeonatos. No âmbito continental há o torneio principal (Champions League, Libertadores) e os secundários (Recopa Européia, UEFA, Supercopa Libertadores, Conmenbol, Mercosul, Sulamericana). E há o torneio intercontinental (TI e MC). O problema desta abordagem é que nem sempre os nossos campeonatos se ajustam bem ao modelo europeu. Onde entram os estaduais? Campeonatos com regulamentos mistos como os dos CnB pré-2003 podem ser equiparados aos com turno e returno?

    3)Abordagem histórica, com viés sulamericano. É semelhante à anterior, mas se prende menos ao modelo europeu e aos formatos dos torneios. Por esta abordagem a TB equivale ao CnB e não à CpB, pois era o principal (e único) torneio de âmbito nacional de sua época. Problema: pode um time ser considerado campeão nacional disputando poucas (4, 6, 8,…) partidas? Mas se o torneio está ligado a um pré-qualificatório (os estaduais, no caso), e dentro do contexto histórico, não é legítimo ser mais curto?

    4) Abordagem não-metodológica. Analisa e dá seu veredicto caso-a-caso. Há, por exemplo, quem defenda que a TB e o TRGP não se equivalem nem ao CnB nem à CB, mas, a TI se equivale ao MC e Flamengo e Vasco são legítimos campeões brasileiros de 1987 e 2000. O problema desta abordagem é que está sujeita a várias contradições internas e personalismos.

    5) Abordagem clubística. É a mais simples de todas: se meu clube ganhou tal torneio ele é importante, se não ganhou, não é. Problema: só tem validade dentro da sua própria torcida.

    ALEXANDRE, perfeita análise. E o duro é que ainda, por vezes, misturamos as cinco…
    Quando não temos a sexta via, a daqueles colegas que viveram a época, estão com preguiça de pesquisar, escrevem qualquer frase feita (deles e/ou de outros), e defecam para as opiniões alheias. infelizmente, até alguns ídolos da mídia fazem isso. uma lástima.

  6. Mauro quando a C.B.F. criou a COPA DO BRASIL ela o fez pensando em reeditar a TAÇA BRASIL ou foi pensando em copiar os paises europeuos que possuem o torneio nacional e a copa nacional?
    Responda esta pergunta antes de comparar estes torneios e dizer que um é filho do outro.
    Outra coisa … o que vc sabe sobre o antigo “Campeonato Brasileiro de seleções” e sua forma de disputa onde as seleções de São Paulo e Distrito Federal entravam já na fase semi-final e massacravam seus oponentes.
    Pensei que por ser jornalista e filho de um excelente jornalista vc fosse mais “BEM INFORMADO” …
    Abraços e pesquise um pouco que seja antes de escrever algo tão importante que refleti diretamente no coração do torcedor mais apaixonado por futebol do planeta.

    WALMIR,
    1. A CBF teve várias motivações para instituir a Copa do Brasil, em 1989. Uma delas a Taça Brasil.
    2. O que tem a ver o Campeonato de Seleçòes com a a questão?
    3. Sou filho de um grande jornalista. Também por ele – como eu – ser modesto e humilde, e saber ouvir com atenção até quem se acha maior que o planeta e a história.
    4. Parece que de história eu entendo alguma coisa. Não como você, claro, que não só a conhece, como a escreveu, e não aceita discussão em tema tão polêmico.
    5. Por que as pessoas têm tanta dificuldade em respeitar opiniões contrárias quando elas são fundamentadas, sem achismo e chutes? Você pode e deve discordar da minha opinião, como discordo da sua. Mas mandar eu estudar um pouquinho mais é de uma pretensão e arrogância que só os que realmente acham que são a própria história conseguem fazer.
    6. Abraços, e tente estudar um pouco mais a história e a vida das pessoas humildes e democratas.

  7. [...] campeões do país com uma unificação de títulos que fizesse sentido (Mauro Cezar Pereira) Taça Brasil e Robertão (Mauro Betting) O que a CBF pensa do dissiê da equiparação dos títulos nacionais [...]

  8. Diego Vieira Cetrulo disse:

    Acredito que nossos campeonatos “brasileiros”, não são bem organizados e acredito que a melhor forma de um campeonato brasileiro digno e com todos as regioes do brasil incluidas seria como o da Taça Brasil. Em que tinhamos grupos regionais e PLAYOFFS entre todos eles.
    Poderia sim haver primeira segunda terceira divisão mas, entre as regiões e ai sim teriamos uma democracia e nao aconteceria mais a falencia dos clubes do interior do brasil

  9. Respondendo:
    1-Se a CBF criou a Copa do Brasil motivada pela Taça Brasil pq não uniu os titulos desta aos daquela? O verdadeiro motivo esta nas Copas Européias.
    2-O Campeonato BRASILEIRO de seleções tem tudo a ver pq foi extinto na mesma hora em que surgiu a TAÇA BRASIL que manteve o mesmo sistema de disputa do secular torneio que começou a ser disputado em 1920 e só foi extinto quando a confederação sulamericana CONMEBOL obrigou a CBD a realizar um campeonato nacional de clubes e não de seleções estaduais como era até então.
    3-Concordo.
    4-Pesquiso futebol brasileiro a alguns anos por prazer e hobby, mas não me acho dono da razão concordo com vc quando diz que a Taça Brasil e o Robertão são torneios diferentes, mas discordo totalmente qdo amarra a TAÇA BRASIL a COPA DO BRASIL e quando reclamo que vc não pesquisou é pq se soubesse o que já encontramos de informações no site RSSSF BRAZIL talves vc tivesse outra opinião sobre o assunto.
    5-Se a opinião contraria for bem fundamentada não tenho pq não rever minha e vc é capaz de rever a sua?
    6-Falando em estudar a HISTORIA vou te falar um coisa que tenho certeza que vc não sabe rssss …
    Em 1907 a pedido do então Presidente da Republica foi constituido um Campeonato Brasileiro de Futebol a L.M.F.(Distrito Federal) e a L.P.F.(São Paulo) organizaram duas seleções para disputar a TAÇA BRASIL ofertada pelo presidente, São Paulo venceu por 4 x 1 no campo do Velodromo em 25/08/1907 e por 1 x 0 no campo do Paysandu no Rio em 12/10/1907 os primeiros jogadores da historia de nosso futebol a serem declarados “campeões brasileiros” foram: Tutu (C.A.Paulistano); I.Rittscher(S.C.Germania atual E.C.Pinheiros), W.Jeffrey(C.A.P.); Thiele(S.C.G.), Argemiro (S.C.Internacional não confundir com o Inter gaúcho fundado por ex-sócios deste), Gerhardt (S.C.G.); Einfurker (S.C.I.), Léo (S.C.I.), Aquino (S.C.Americano clube fundado em Santos portanto mais antigo que o S.F.C. que foi fundado por ex-sócios desta agremiação quando ele se mudou para a cidade de São Paulo), Oscar de Andrade (S.C.A.) e H.Ruffin (S.C.Americano) e veja só se o Presidente do Brasil os declarou “campeões brasileiros” quem somos nós (pessoas humildes e democratas) para dizer o contrário.
    7-Um abraço e fique com DEUS só ele sabe tudo, todos nós estamos aqui para aprender e melhorar como seres humanos.

    WALMIR,
    1. PQ ela não gosta de reunir.
    2. o campeonato de seleções foi além da taça brasil.
    3. No mais, discordâncias naturais.
    para resumir, valeu, Walmir. acho que estamos começando a nos entender. mesmo nos desentendendo.
    abração.

  10. Mario Ielo / Botucatu disse:

    A Confederação Sul-Americana de Futebol vai a partir de 2010 realizar o 1º Campeonato Sul-Americano de Futebol Profissional Masculino de Clubes, com a participação das melhores equipes do continente incluindo as equipes do Suriname, Guiana e Guiana Francesa que serão convidadas a participar do “novo” campeonato. Seu presidente declarou que a forma de disputa será semelhante à Liga dos Campeões da Europa e o calendário será sincronizando com o europeu. Esta competição internacional substituirá a atual Copa Santander Libertadores.
    Toda a imprensa está eufórica e os principais clubes sul-americanos estão reforçando suas equipes já prevendo que terão maiores lucros com publicidade e renda. Será um grande campeonato, bem competitivo e democrático. “Era nosso sonho realizar o verdadeiro campeonato sul-americano, todas as equipes do continente poderão participar”, finalizou o dirigente, considerando a América do Sul um continente.
    Até “Hugo Chaves” entrou na estória, “Agora poderemos mostra a todos que as equipes venezuelanas serão os primeiros verdadeiros campeões sul-americanos”, já que as equipes nacionais terão o apoio de seu governo com publicidade da empresas nacionais de petróleo.
    Mas nem todos estão gostando da novidade, o México, por exemplo, não poderá mais disputar este rendoso campeonato, e as equipes argentinas, em conjunto com as uruguaias não concordam com a inclusão das equipes semi-amadoras das “guianas”. Já os bolivianos apóiam seus novos irmãos.
    A imprensa dos novos países participantes está eufórica, chegam até mesmo a falar em realizar a Copa do Mundo em 2050. “Com a inclusão de nossas equipes o futebol vai amadurecer e poderemos realizar a Copa em conjunto, tenho certeza que a Comunidade Inglesa, a Holanda e a França apoiarão esta nossa iniciativa”, disse um dirigente de Suriname.
    Esta noticia surgiu no Brasil com desconfiança dos dirigentes brasileiros, muitos perguntam se será possível um calendário para está “nova” competição. Já os torcedores brasileiros receberam com alegria a noticia. “Este campeonato terá os clube brasileiros liderando de ponta a ponta”, falou um corintiano roxo. “Este campeonato será nosso, os argentinos ficaram no passado com a velha Libertadores cheia de distorções e mal organizada”, completo um atleticano (este atleticano é genérico), “Agora quero ver um time paraguaio ganhar”, grito um torcedor do Azulão de São Caetano.
    Os são paulinos, palmeirenses, santistas, flamenguistas, vascaínos, gremistas, colorados e cruzeirenses estão preocupados se seus títulos da Libertadores serão reconhecidos como campeões sul-americanos. As entidades oficiais, CONMEBOL e a FIFA, ficaram de estudar o caso de cada torneio e cada clube, mas já avisa que o clube que não estiver em dia com as duas entidades não poderá reivindicar junto a sua respectiva federação…
    Repito, é apenas uma questão de nomenclatura confirmada pelas pesquisas históricas, o reconhecimento oficial confirmará a prosperidade o que de fato já existe aos torcedores.

  11. Alexandre Magno Barreto Berwanger disse:

    Prezado Mauro Beting.

    Fantástico, por ser baseado em coerência intelectual, o seu artigo intitulado Pai e mãe, dando a sua opinião sobre a equiparação dos Torneio Roberto Gomes Pedrosa e Taça Brasil com o Campeonato Brasileiro. Concordo com tudo.

    —–x—–

    Um comentário adicional, que não tem a ver com o motivo principal dessa matéria: entre os esquadrões lembrados, faltou o do Flu de 1935 à 1941.
    Formado em 1935, com a base da seleção paulista campeã brasileira, quando ainda pegava jeito de time conquistou o Torneio Aberto, embora não tenha ganho o Campeonato Carioca, vindo a ganhar cinco nos seis anos seguintes, liderando o Torneio Rio-São Paulo quando de sua interrupção em 1940, cinco jogadores na seleção brasileira da Copa de 1938 (estes dados vão de memória) e arrebentado nos amistosos interestaduais, tendo se reforçado neste período com outros tantos grandes jogadores entre eles Russo (nascido no Afeganistão), o baiano Pedro Amorim, o mineiro Brant e o argentino Rongo, para citar alguns.

    Este foi outro esquadrão pouco lembrado na atualidade. Apenas quiz comentar a lembrança que me veio a mente, quando lia sobre os esquadrões do passado.

    ALEX, certamente merece a lembrança. Mas eu quis me restringir a clubes que não estão pleiteando a equiparação dos títulos.

  12. André disse:

    Ola Mauro

    So uma pergunta simples pra matar o assunto.
    Se por acaso a partir de 2015 a Fifa mudar de Copa do Mundo para Campeonato Mundial, pontos corridos etc e tal, com varias divisoes mundiais, e o Brasil viesse a ganhar em 2018 (considerando que o Brasil nao leva em 2010 nem 2014), o que vc gritaria? é campeao !! ou é hexa !! ??

    Se vc escolheu a segunda opção, esse seu (otimo por sinal) trabalho de pesquisa vai por agua abaixo.

    Abraços

    MURILO, todos nós vamos continuar contando os títulos.
    é um caso diferente, creio.
    se a cbd tivesse adotado a nomenclatura – A PARTIR DO ROBERTÃO, como eu penso – acredito que parte desta discussão não haveria.
    André

  13. Mauro, volto a insistir na afirmação de que a TAÇA BRASIL nasceu do antigo campeonato brasileiro de seleções por isso exponho minhas evidências ou provas que sejam:
    1º – Depois que criou-se a Taça Brasil só houve duas edições do Campeonato Brasileiro de seleções em 1963 com jogadores de menor expressão o que não ocorria quando era o mais importante torneio do pais fruto da antiga e famosa rivalidade entre paulistas e cariocas e em 1987 (não sei pq talves um remake comemorativo) agora dizer que o campeonato brasileiro de seleções continuou após a Taça Brasil seja ser falacioso.
    2º – Se formos pensar assim podemos dizer que o Robertão não nasceu do Torneio Rio-São Paulo porque continuou a ser disputado depois da criação deste torneio, mesmo que depois de mais de 27 anos (66-93) e vc sabe que isto não é verdade.
    3º – O extinto “Campeonato Brasileiro de Seleções” resolve e explica muitas charadas, pq quando foi criado em 1920 cada estado foi representado por seu campeão local e só depois do segundo torneio em 1922 passou a ser disputado pelas seleções, mas caso se mantive-se a forma anterior a TAÇA BRASIL teria nascido em 1920 e até sua extinção em 1968 teria existido por 48 anos, meio século de vida e assim além de Paulistano, Atletico-MG e os campeões da Taça Brasil com certeza clubes como Corinthians, São Paulo, Vasco(este poderia ter ganho o direito de disputar a Libertadores de 1948 como campeão brasileiro e não pelo fato do seu estado(que era o Distrito Federal do pais) ser o campeão), Flamengo e até a Portuguesa teriam sido campeões brasileiros e aí eu queria ver alguem ser contra o reconhecimento destes titulos.
    4º – Em 1925 o jornalista Leopoldo Sant’Anna editou o livro “Supremacia e Decadencia do Futebol Paulista” onde no seu Capitulo 3º cita a historia e ficha técnicas dos jogos que definiram os “campeões brasileiros” em 1907,1920,1922,1923(1º officializado pela C.B.D. da época será que é a mesma atual? rsss) e 1924(5º campeonato e 2º officializado).
    MINHA CONCLUSÃO que não precisa ser a sua rss..
    TAÇA BRASIL e ROBERTÃO são torneios diferentes?
    SIM a primeira representa o ANTIGO FORMATO do campeonato brasileiro e o segundo é o NOVO FORMATO de campeonato brasileiro, são tão diferentes quanto a TAÇA INTER-CONTINENTAL e o MUNDIAL DE CLUBES que apesar de diferentes valem a mesma coisa, por isso em
    2000 tivemos dois campeões mundiais, assim como em 1967 e 1968 tivemos dois campeões nacionais lembrando que quem ganhou o direito de disputar a Libertadores de 1968 foi o campeão da TAÇA BRASIL e não do Robertão. Isto jamais aconteria hoje se tivesse apenas uma vaga na libertadores e provavelmente a Copa do Brasil seria extinta.
    Abraços e fico por aqui.

  14. Sidney disse:

    Mauro, e como está a situação hoje? Será que a CBF está disposta a reconhecer esses títulos?

    SIDNEY, Ricardo Teixeira é quem manda e desmanda. não sei. honestamente, acho difícil.

  15. Ramon Villar disse:

    Pode-se até dizer que Taça Brasil foi a mãe da Copa do Brasil…e que o Robertão foi o pai do Campeonato Brasileiro…Agora, querer misturar tudo isso não dá…O filho não é o pai…é outra pessoa…tem outra personalidade…e assim por diante…Foram campeonatos (ou torneios !!!) diferentes…em épocas diferentes…E até com menor representatividade (principalmente no caso do Robertão) do que nosso Brasileirão.
    Não havia, por exemplo, o acesso e o rebaixamento, o que efetivamente só começou com o Campeonato Brasileiro. Isso sim possibilita maior representatividade ao Campeonato Nacional de um país tão imenso como nosso Brasil.
    Campeonato Brasileiro é Campeonato Brasileiro…Robertão é Robertão…Não misturemos as estações.
    Parabéns aos campeões daqueles tempos ídos. Em 1971 se iniciou outro campeonato…e que perdura até hoje.
    Portanto, que a CBF tenha coerência e deixe as coisas como estão até este momento.

  16. ROSSI ALELEBLEUS disse:

    CARO JORNALISTA , HÁ INUMERAS QUESTOES QUE PRECISAM FICAR CLARAS, PARA QUE UM ARGUMENTO VALIDO NAO SEJA DESCARACTERIZE OS FEITOS PROMOVIDOS PELOS CLUBES DETENTORES DOS TITULOS ANTERIORES A 1971 !!

    Primeiro lugar, será que o nome jornalista diria que o Uruguai nao foi campeao do mundo em 1950 so porque jogou 4 partidas !!?Ou que o brasil de 58 e 62 tambem nao foi campeao do mundo por ter jogado só 6 ou 7 partidas!!? O sistema de copa era predominante em competiçoes no brasil ( caso do campeonato brasileiro de seleçoes ) e fora dele, e era o modelo adotado para indicar a melhor seleçao do mundo , porque nao serviria para indicar o melhor do país.

    É fundamental lembrar,como já foi dito, que nao havia nem estradas , nem aeroportos suficientes á epoca para adotar outro molde de disputa e quanto ao valor tecnico da competiçao, isto se tornava claro, pois o objetivo, expresso no congresso fundador da Taça Brasil ( 1954 )era indicar o melhor clube de futebol entre os melhores do Brasil, num momento em que sequer era ventilada a criaçao da Libertadores, portanto é mentirosa a afirmaçao de que a taça brasil se destinava a indicar representantes. NÃO!! Era destinada a indicar o campeao brasileiro.
    Voce tem o direito de nao gostar do modelo de disputada Taça Brasil, que usava os estaduais como eliminatoria para o Campeonato nacional, mas vai perceber que esta formula foi usada, mesmo depois de 71 para definiçao de seus disputantes, em campeonatos que tinham diversos nomes como Copa Brasil, nome do campeonato de 74e 75,entao vasco e inter nao sao campeoes brasileiros!!?

    Mais que isso, aos clubes só cabia a pratica do desporto, e os times daquela epoca nao se desmanchavam da noite pro dia como nos dias de hoje , portanto um campeao do nordeste,do sul, do centro, eram representativamente ,os melhores do país,e faziam isto bem claramente em seus certames regionais, ( vide santos em sao paulo, gremio em rs, cruzeiro em minas, nautico e bahia no nordeste,flamengo e botafogo na Guanabara ) .

    Isto posto, so para míopes ou analfabetos funcionais se poderia negar a esses clubes o legítimo título de campeoes brasileiros, a nao ser quer nao saibamos, e o brasil fosse na epoca , protetorado ingles, entao estes foram campeoes ingleses,!!

    POR FIM É IMPORTANTE DEIXAR CLARO QUE SE HOJE A COPA DO BRASIL UTILIZA REGULAMENTO SEMELHANTE ( SISTEMA MATA MATA ) O TITULO DE CAMPEAO DA COPA DO BRASIL NAO LEMBRA EM NADA O QUE SIGNIFICAVA SER CAMPEAO DA TAÇA BRASIL,BASTA QUE PARA ISSO O ILUSTRE JORNALISTA ACREDITE EM SEUS OLHOS E NO QUE LERÁ EM TODOS OS JORNAIS DA EPOCA QUE TRATAVAM O CAMPEAO DA TAÇA BRASIL COMO CAMPEAO BRASILEIRO !!!! ASSIM O BAHIA FOI TRATADO,COMO PRIMEIRO CAMPEAO BRASILEIRO EM TODAS AS MANCHETES DOS JORNAIS PAULISTAS DA EPOCA!! PORTANTO , A TAÇA BRASIL É PAI E MÃE DO FUTEBOL BRASILEIRO DE CLUBES, E DEVEMOS ,COMO DISSE JESUS, DAR A CESAR O QUE E DE CESAR!!!

    AOS MEMORÁVEIS CAMPEOES BRASILEIROS BAHIA, PALMEIRAS, SANTOS, CRUZEIRO ,BOTAFOGO E FLUMINENSE, DEVERIA CABER DANOS MORAIS AOS QUE INSISTEM EM TORNAR A MENTIRA DE 71 UMA VERDADE ETERNA !!! QUE O DESTINO PERMITA QUE NOSSOS IDOLOS, PELE TOSTAO, MANGA ETC, RECEBAM AS GLORIAS A ELES DEVIDAS ANTES QUE O TUMULO OS ENCONTRE !!!

  17. Gisely disse:

    Respeito a opinião, mas os campeões da Taça Brasil~foram campeões nacionais e brasileiros, sim.

    Realmente não havia nenhuma competição de nível nacional antes de 1959, ´logo, embora tivessem outros times grandes como os citados(o Corinthians do início dos anos 50 e etc) eles não poderiam ser de forma alguma ser campeões, já que o Brasil, sempre atrasado não tinha um Campeonato nacional. No entanto, em 1959, foi criado um : Taça Brasil com o Bahia como primeiro campeão. Lógico que o sistema era diferente do Robertão e do consequente Campeonato Brasileiro de 1971, pois novas regras foram sendo criadas. Aliás as regras do Brasileirão foram sendo mudadas constantemente desde 1971 para cá. Agora estamos no Sistema de Turno e returno. Já pensou se tivessem determinado que campeões seriam apenas até 2002 e que agora com pontos corridos o Campeonato era outro e receberia outro nome ?
    O Brasil ganhou três Copas do mundo em 58, 62 e 70, mas era na época com menos jogos e equipes e eram pela CBD (mesma organizadora da Taça Brasile do Robertão) como mudou de nome e de sistema, não é mais Jules Rimet e nem CBF, e tem mais equipes, então a CBF não pode também ser penta, e sim bi. Olha só a CBF se iguala à Argentina.

  18. Juliano disse:

    Mauro, sou corinthiano fanático e amante do futebol!!! Tenho convicção de que os títulos da Taça Brasil e Taça de Prata deveriam SIM ser reconhecidos pela CBF e seus campeões serem SIM reconhecidos como campeões nacionais, pois de fato o foram. Não importa se eram 2 ou 500 jogos que eram isputados, mas a importância do campeonato à época. No começo do século, o CORINTHIANS ganhou alguns Paulistas com poucos jogos, porém foi campeão de fato e é de direito. Concordo que o Robertão tem características mais marcantes e próximas ao atual Brasileirão, porém a Taça Brasil foi a idéia de campeonato nacional encontrada pelos senhores do futebol no final dos anos 50 e início dos anos 60. Acho que esse negócio da CBF não reconhecê-los é tremenda falta de respeito com Palmeiras, Santos, Fluminense, Bahia, Cruzeiro e Botafogo. Mas o que mais me deixa chateado é o desconhecimento da atual geração de “moleques” sobre um passado glorioso de alguns times e crêem piamente que só o São Paulo é grane porque ganhou 6 vezes um campeonato nacional, baseando-se na “simples” análise do presente e menosprezano o passado de times como Corinthians, Santos, Cruzeiro, Fluminense e até o Bahia. Só pra encerrar, acho que a Taça Rio deve sim ter o Palmeiras e o Fluminense reconhecidos como campeões do mundo e o torneio de 1951 deve SIM ser reconhecido como 1º Campeonato Mundia da FIFA e não o de 2000, ganhado pelo glorioso TIMÃO DO POVO.

  19. adair disse:

    a taça brasil é o campeonato brasileiro em forma de copa a taça brasil merecer espeito pois o campeão da taça brasil recebial o titulo de campeão brasileiro ela tinha varias face regionais portanto o cara que tenta comparar a taça brasil a copa dobrasil conhece muito pouco de história de futebol. a taça brasil é sim o campeonato brasileiro em forma de copa e ponto final o torneio roberto gomes de pedrosa so tinha time do rio/são paulo tem menos credito que a taça brasil so veio ser um competição nacional aparti de 1969 porque de 1959 a 1968 a taça brasil foi a principal competição do futebol brasileiro

  20. Luiz disse:

    ENTÃO ESTE TEXTO É PURA RETÓRICA E ESTÁ EIVADO DE SOFISMAS. A GRANDE VERDADE É QUE TAÇA BRASIL TINHA O MESMO PESO DO BRASILEIRO ATUALMENTE. NÃO IMPORTA CONFIGURAÇÃONDO CAMPEONATO, A IMPRRENSA TODA NA ÉPOCA QUALIFICAVA O CAMPEÃO DA TAÇA BRASIL DE CAMPEÃO BRASILEIRO, O QUE QUALIFICAVA A EQUIPE PARA A DISPUTA DA LIBERTADORES. RIDÍCULO POR UMA QUESTÃO DE SIMPLES MUDANÇA DE DENOMINAÇÃO DE UM CAMPEONATO IGNORAREM AS EQUIPES CAMPEÃS NACIONAIS ANTES DE 1971. SENDO ASSIM, O VASCO NÃO FOI CAMPEÃO BRASILEIRO EM 2000, MAS CAMPEÃO DA TAÇA JOÃO HAVELANGE….

    ALONSO, não é retórica, nem sofisma. é a interpretação de alguns fatos.

  21. Marcel disse:

    Caro Mauro,
    Inicialmente, registro minha admiração por seu trabalho e confesso que nunca esperei menos, tendo em vista o sangue jornalístico que corre nas veias. Brilhante Joelmir, brilhantes os Beting.
    Contudo, nesse tema específico, ouso discordar, e muito. Não dá para não reconhecer esses times como os campeões brasileiros da época. Sem delonga, admiro o conceito majoritário do velho continente.
    P. ex., basta ver como foi conquistado o primeiro “scudetto” (campeonato italiano), disputado por apenas quatro equipes e vencido pelo Genoa, que jogou duas partidas no mesmo dia para se sagrar campeão.
    Campeonato BEM diferente do que é disputado atualmente, não!?
    Mas não importa. Se o momento histórico “exigia” essa forma de disputa, isso não tira o mérito dos participantes e, especialmente, de seu campeão.
    Tão justo o reconhecimento, que lá está na memória de todos os italianos e nos registros da federação.
    Desqualificar a Taça Brasil e o Robertão é o mesmo que descartar os imensos campeonatos brasileiros disputados no fim dos anos 70, início dos 80, com zilhões de participantes e tantos outros com diferentes formatos, que nada têm a ver com o campeonato atual.
    Para manter essa “coerência” de seu raciocínio, então, com todo respeito, que se apague a conquista da Copa União pelo Flamengo e a Copa João Havelange pelo Vasco (torneio esse que nem rebaixamento teve, possivelmente para livrar os grandes, como o Corinthias, último ou penúltimo colocado).
    Parabenizo e reconheço as fantásticas conquistas dos verdadeiros campeões brasileiros das décadas de 60 e 70.
    Grande abraço e parabéns pelo enorme sucesso de sua carreira.
    Marcel

  22. JOSE COSTÓDIO DA MOTA disse:

    Mauro:
    Apesar de reconhecer em voce um ótimo Jornalista, não concordo de maneira nenhuma com sua opinião. É questão de bom senso: no começo dos anos 60, a Taça Brasil era o único torneio que reunia os melhores times do Brasil, se não me engano era o campeão e o vice dos principais estados e somente o campeão dos estados menores. Não importa a quantidade de jogos, o que importa é que na época era o verdadeiro Campeonato Nacional, queiram ou não queiram. É claro que com o início do Torneio Roberto Gomes Pedrosa em 1967, que reunia os principais clubes de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná, a Taça Brasil já não seria o prinicipal torneio do Brasil. Por exemplo; o Palmeiras foi campeão da Taça Brasil de 1967 e do Torneiro Roberto Gomes Pedrosa no mesmo ano. Para mim, a partir deste ano o veradeiro campeão brasileiro é o ganhador do Torneio Roberto Gomes Pedrosa. Então para finalizar ficaria assim, com toda justiça na minha modesta opinião: Santos: Campeão Brasileiro em 1961-62-63-64-65 (o único penta-campeão brasileiro, até porque tem que ser consecutivo), em 1968 (Roberto Gomes Pedrosa), em 2002 e 2004; Palmeiras; Campeão Brasileiro em 1960 (Taça Brasil) -1967 (Roberto Gomes Pedrosa), 1969 (Roberto Gomes Pedrosa), 1972-73 (Bicampeão realmente, afinal foi consecutivo), 1993-94(outro Bi) e assim por diante, valendo os títulos do Fluminense em 1970, do Cruzeiro em 1966 (Taça Brasil), repito porque era o único campeonato nacional da época.
    A C.B.F. tem mesmo é que ser coerente, e considerar essas grandes conquistas dos nossos grande clubes, até porque, aquela foi considerada a fase áurea do futebol brasileiro; 3 vezes campeão mundial; 1958-62-70.
    Salve Santos; o maior ganhador de títulos nacionais.
    Falei
    Obrigado
    José Costódio da Mota

  23. Edson disse:

    Concordo com tudo que voçê disse Mauro Beting, como faremos para fazer valer? Ja sei poderemos colocar nosso dignissimo rei do do futebol ( Pelé ) para reivindicar os títulos disputados por ele no Santos e assim por consequência os do Palmeiras e de outros times.

  24. André disse:

    Apesar de respeitar mto vc como jornalista, e concordar com ALGUNS argumentos, devo fazer uma observação mais do que pertinente. Não se pode de maneira nenhuma equiparar a Taça Brasil a Copa do Brasil atual, mesmo que ambas usem a formula de mata-mata, por um motivo mto simples. Comparar as duas competições diminui a importancia da Taça Brasil. A TB era indiscutivelmente a principal competição nacional da época, enquanto a atual Copa do Brasil (que não conta com os melhores times, que estão na Libertadores), é apenas a segunda competição. Não se pode comparar o principal de uma época com um secundário de outra. E outra consideração. Na Europa, antigamente os campeonatos tb tinham poucos times e poucos jogos. O primeiro campeonato italiano, se não me engano, contou com apenas 4 ou 5 times. O campeão jogou no máximo 4 partidas, e lá isso nao é usado como argumento pra desmerecer o campeão. É campeão italiano tanto quanto o Inter nas ultimas 3 temporadas. A primeira Libertadores, teve 6 times. E o Peñarol de 1960 é tão campeão quanto o Estudiantes de 2009.

  25. Maron disse:

    Mauro,
    Realmente, há várias possibilidades de interpretações, mas, pra variar aqui nos comentários, discordo… rs

    Parece que tudo já foi dito, da importância dos torneios em sua época, a insignificancia de ter mais ou menos partidas disputadas (até pq havia uma fase classificatória regional), o período de indiscutível importância do futebol nacional, os ABSURDOS e igualmentes mirabolantes e desconexas fórmulas dos ‘brasileiros” após 71 e, finalmente, os campeonatos de 87 e 2000 que vem coroar a ZONA completa.

    Mas gostaria de lembrar uma coisa que NÃO vi sendo dita por qui: os primeiros “Campeonatos Brasileiros” após 71 (tenho certeza que até 84 era assim com certeza) TAMBÉM NÃO TINHAM ESSE NOME, de “Campeonato Brasileiro”, se chamavam “COPA BRASIL”!!!

    Isso trás ainda mais à tona, o fator RELEVÂNCIA DO TORNEIO, para sua caracterização como “Campeão Brasileiro” ou não. Na minha opinião, naturalmente.

    Você confirma essa opinião, Mauro?? Dos nomes “Copa Brasil” para os primeiros “Ampeonatos Brasileiros” até +ou- 1984.

    Minha opinião: Todos deveriam sem declarados CAMPEÕES NACIONAIS.
    Poderia, clubisticamente, aceitar só os capeões do “Roberto Gomes Pedrosa” como campeões nacionais, pois sou torcedor do Fluminense, mas não concordo. As dificuldades de integração nacional é motivo mais do que justo para existência de uma capeão nacional com menos jogos do que hoje em dia.

    Assim com, no futuro, o campeão mundial de clubes terá que jogar bem mais jogos do que antigamente e do que hoje. As distâncias serão vencidas em menos tempo e seria um absurdo desmerecer os atuais e anteriores campeões.

    A verdade é que esses organizadores tem que ter mais RESPONSABILIDADE e preocupação com a SEQUÊNCIA com os torneios que criam. Vide a confederação sulamericana.

    Abraço, Mauro!

    Aguardo a resposta apenas sobre o nome “Copa Brasil”.
    Até!

  26. Maron disse:

    (Por favor, o texto anterior não havia sido revisado. Desconsidere)

    Mauro,
    Realmente, há várias possibilidades de interpretações. Mas, pra variar aqui nos comentários, devo discordar… rs

    Parece que tudo já foi dito; da importância dos torneios em suas épocas, a insignificância de ter mais ou menos partidas disputadas (até porque havia uma fase classificatória regional, os estaduais), o período de indiscutível importância do futebol nacional, os ABSURDOS e mirabolantes fórmulas dos ‘brasileiros” após 71 e, finalmente, os campeonatos de 87 e 2000 que vem coroar a ZONA completa.

    Mas gostaria de lembrar uma coisa que NÃO vi sendo dita por qui: os primeiros “Campeonatos Brasileiros” após 1971 (tenho certeza que até 84 era assim) TAMBÉM NÃO TINHAM ESSE NOME, de “Campeonato Brasileiro”. Se chamavam “COPA BRASIL”!!!

    Isso trás ainda mais à tona o fator RELEVÂNCIA DO TORNEIO, para sua caracterização como “Campeonato Brasileiro”. Como ele é, e era, encarado por todos.

    Você confirma esse fato, Mauro?? Dos nomes “Copa Brasil” para os primeiros “Campeonatos Brasileiros” até +ou- 1984.

    Finalmente minha opinião: Todos deveriam sem declarados CAMPEÕES NACIONAIS.
    Eu “poderia”, clubisticamente, aceitar só os campeões do “Roberto Gomes Pedrosa” como campeões nacionais, pois sou torcedor do Fluminense, mas não concordo! As dificuldades de integração nacional são motivos mais do que justos para existência de uma campeões nacionais com menos jogos disputados do que hoje em dia.

    E quanto às fórmulas de disputa, isso considero até meio engraçado, pois mesmo após 1971 os formatos foram os mais absurdos possíveis e sem nenhum critério claro.

    No futuro os campeões mundiais de clubes terão que jogar bem mais jogos do que atualmente, pois as distâncias serão vencidas em bem menos tempo e seria um absurdo desmerecer os atuais campeões. Isso é um exemplo do que pode se repetir e ser diretamente relacionado à essa discussão.

    Por fim, a verdade é que esses organizadores tem que ter mais RESPONSABILIDADE e preocupação com a SEQUÊNCIA dos torneios que criam. Vide a confederação sulamericana.

    Abraço, Mauro!

    Aguardo a resposta apenas sobre o nome “Copa Brasil”.
    Até!

  27. Antonio Jr disse:

    Não concordo!
    Não pode ser considerado como Campeonatos Brasileiros alguns desses torneios.
    Principalmente os que alguns times fizeram menos de 10 jogos. Seria uma total falta de consideração com os clubes que enfrentam dificuldades para vencer um campeonato longo.
    Será que o santos não perderia para algum clube?Tenho dúvidas. Pois o esporte é futebol. Esporte que inúmeras veses surpreende por resultados inesperados.

    Eles são campeões, mas dos respectivos torneios.Brasileiro é o atual. Pois todos os clubes tem chances de participar.

    Minha humilde opinião.

  28. [...] textos para esclarecer (ou suscitar novas dúvidas): Blog do Mauro Beting: Taça Brasil e Robertão (coincide mais com a minha visão) Blog do Odir Cunha: Comparar a Taça Brasil à Copa do Brasil é [...]

  29. Duilio disse:

    Mauro, o que você afirma não tem lógica nenhuma (taça brasil = copa do brasil)

    Copa do Brasil é um torneio nacional reconhecidamente secundário ao principal que é o Brasileiro. Logo dizer que a Taça Brasil equivale a Copa do Brasil em importância, é necessariamente dizer que a Taça Brasil também era um torneio secundário, portanto há a necessidade de se mostrar que existia um campeonato mais importante que a Taça Brasil na época e era jogado ao mesmo tempo da mesma, e sabemos que exceção a 68 não tem.

    O fato de possuirem formatos identicos não significa que possuem a mesma importância. Uma coisa tem nada a ver com a outra. Não existe nenhum argumento lógica que sustente que a partir do regulamento você consegue inferir a importancia de um campeonato. Se for asism temos que diferenciar inúmeros brasileiros com regulamentos diferentes.

    Só porque Taça Brasil é diferente dos outros campeonatos, não significa que não teve a mesma importância equivalentemente. Todos definiram o principal campeão nacional e davam vagas para a libertadores.

    DUILIO, não extou minimizando a Taça Brasil de 1959 a 1968 (embora já esvaziada a partir de 1967). Apenas não estou supervalorizando.

  30. José Aparecido disse:

    Mauro, se fosse como v disse então o Brasil também não é campeao mundial cinco vezes, pois nas tres conquistas primeiras do Brasil, nao se disputava com 32 seleçoes, e nem havia uma eleiminatória coma as de hoje. Vc até parece que São Paulino ou Flamenguista?

    JOSÉ APARECIDO, é um ponto interessante, de sua parte. Mas apenas tenho de ser um pouco mais rigoroso e criterioso, apenas isso. E sem jamais desmerecer o mérito daquelas conquistas. Mas, insisto: se virar oficial, cumpra-se. Santos e Palmeiras são octas, Fluminense é tri, Bahia, Cruzeiro e Botafogo são bicampeões nacionais.

  31. cleber disse:

    Se o Robertão é tão falido como um brasileirão! Se rola a unificação por que não se pode dizer que Flamengo não foi campeão de 87! Pois também existia dois módulos iguais a taça de prata e o robertão!! Mais o senhor Ricardo Teixeira! Então presidente da CBF, só resolveu excluir o Flamengo de um titulo Brasileiro, Por que o Flamengo quis o expulsar do seu rol de sócios! Mais como isso acontece? É só aqui no Brasil!

  32. Edmar disse:

    taça brasil não é brasileirão PORQUE?? era mata-mata, vários campeões fizeram poucos jogos, se classificava pelos estaduais, não tinha nome de campeonato brasileiro, alguns grandes ficavam de fora, se for por estes motivos vamos anular vários brasileirões porque tudo que citei aconteceu de 71 até hoje – a maioria foi decidido no mata-mata – times classificando pelos estaduais – vários nomes c.brasil, t.ouro, c.união, j.havelange – o palmeiras em 79 se fosse campeão faria só 7 jogos, s.caetano 2000 8 jogos – grandes ficaram de fora 79 s.paulo, corinthians, santos, 82-03 palmeiras, 92-05 grêmio, 98-99 fluminense, 03 botafogo, 09 vasco, 08 corinthians 07 atletico-mg – todos são brasileirões T.brasil, R.G.pedrosa, C.brasil. T.ouro. C.união, J.havelange – só muda o nome, eram os únicos nacionais em suas épocas e davam ao campeão vaga na libertadores.

  33. tiaguinho disse:

    a questao eh a seguinte,vcs falao em justica considerar a taca brasil cmo brasileiro nao eh?pois a justica sera falha pois um exemplo corinthians e sao paulo nunca participarao desse torneio quer dizer beneficia uns e ferra outros,minha opiniao eh a seguinte passado eh passado na epoca foi glorioso para os clubes campeoes,entao pronto agora trazer a tona titulos antigos…FOI UMA TREMENDA PIADA DA MAFIOSA CBF

  34. Edmar disse:

    Mauro não podemos diferenciar os torneios por nomes ou tipos de regulamentos, pois os campeonatos pós 71 foram disputados de várias maneiras, e vários acontecimentos na Taça Brasil ocorrêram pós 71, como times se classificando pelos estaduais ex; Taça Ouro 1980-86, inclusive o Palmeiras ficou de fora em 1982 por ir mal no paulistão, vários campeonatos decididos no mata-mata, nomes diferentes como Copa Brasil, Copa União…..teve clubes quase campeões com pouco jogos ex: Palmeiras 1979 se fosse campeão varia só 7 jogos então não iria valer? a Taça Brasil era única disputada na época então não tem como falar que não é brasileirão. Vamos então anular todos campeonatos disputados antes dos pontos corridos pois eram regras diferentes?

  35. José Carlos Soares Condé disse:

    A meu ver todos os campeões do Rio-São Paulo, até 1966 e da são campeões brasileiros, pois, naquele tempo os clubes do Rio e de S.Paulo superavam enormemente os dos outros estados. Naquele tempo o Brasil inteiro acompanhava fervorosamente o Rio-S.Paulo, o que dava a esse torneio um status de campeonato brasileiro. Como ficam clubes, como a Portuguesa de Desportos, que formava timaços naquele tempo, ganhou dois Rio São Paulo com galhardia, e, hoje vê esses títulos desvalorizados. O Flamengo, por exemplo, que ganhou 5 títulos(oficialmente) de campeão brasileiro, dos quais se gaba, porque são atuais, disputou 25 torneios Rio-São Paulo, quando lutou,ferozmente, para ganhar esse título, e só conseguiu vencer um. Dos times do Rio, o Botafogo venceu 4, o Vasco 3 e o fluminense 2. Como ficam os grandes craques daquele tempo, como Pelé, Garrincha, Didi, Jairzinho, Vavá, Amarildo, Djalma Santos, Nilton Santos e outros do mesmo quilate, com a desvalorização dos seus títulos? Porquê o Flamengo tem de parecer melhor que aqueles times que ganharam brilhantemente, esses títulos? Esses títulos precisam ser unificados por respeito àqueles craques, e aos torcedores daqueles times. O Flamengo com todo o respeito é um grande clube, (acho que foi campeão de fato, mas não de direito em 1987), mas não pode negligenciar aqueles títulos, tanto do Rio-São Paulo, quanto da Taça Brasil, que quiz ardentemente,mas não conseguiu. Cada qual tem seu tempo, e a disputa continua.

  36. José Carlos Soares Condé disse:

    Que moderação devo fazer? Não agredi ninguém no texto acima. Acho que o Flamengo por ter uma torcida bem maior que os demais, influencia à uma ideia errada das coisas. Eu,aqui, estou tentando ajudar a formar um raciocínio justo da história passada, em benefício dos clubes que conquistaram aqueles magníficos troféus. Considerei, até, que o Flamengo é hexacampeão de fato. Não o é de direito porque o Sport, ganhou na justiça o título de 1987, que inclusive, transitou em julgado. Quem está sendo, a meu ver mais prejudicado nisso é a Portuguesa de Desportos, que ganhou 2 belos títulos do Rio-São Paulo. Porque começar a contar o Campeonato Brasileiro a partir da Taça de Prata ou do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, se o início de tudo foi o Torneio Rio-São Paulo? Quem viveu naquele tempo sabe da grandeza desse torneio que não pode ser desprezada. Um grande abraço a todos o desportistas.

  37. marcio guimarães disse:

    acredito que campeonato brasileiro que vale é aquele que todos os estados participam, não acho justo só alguns estados participarem,igual ao mundial que ante s só participavam a américa e europa e os outros continentes não existe,então robertão,copa brasil é tudo igual não valem

  38. Eduardo disse:

    …e ainda tem certos criticos da bancada esportiva que ensistem em dizer que não são torcedores “palmeirense de carteirinha” pai e filho, aaah!!! tenha dó!!! “xapinha” BRASILEIRÃO É BRASILEIRÃO E ROBERTÃO É BOBERTÃO, assim como TAÇA BRASIL É TAÇA BRASIL E COPA DO BRASIL É CPA DO BRASIL… cada um ha sua época, na boa!!! Isso feito pelo sr Pelé e Cia, nada mais foi que justificar seu mérito da época com os dias atuais, coisa que p/os demais torcedores não tem o menor valor, sim pq o único clube do país a ter o legítimo HEXA Brasileiro é o São Paulo, sim pq tbém o legítimo Camp.de 87 é o Sport do Recife que pisou na grama, cumprindo o regulamente da Tutelar do campeonato CBF, e não o Club dos 13, que até hoje não manda em nada…então nao temos na história um titulo do Nacional membrado como prega os fanfarroes cariocas…resumindo LEGITIMOS CAMP.BRASILEIROS GALO MINEIRO EM 71 E FLUMINENSE EM 2012, O RESTO É FRAUDE, COM TODO RESPEITO É CLARO…

  39. Eduardo disse:

    … SANTOS É NA VERDADE BI CAMPEÃO E PALMEIRAS PENTA BRASILEIRÕES… E SE QUEREM SER 8VZS COMO PREGAM, TEM É QUE JOGAR MUITA BOLA AINDA, PQ SE A CBF RECONHECEU POR FORÇA OCULTA PELEZISTA, P/O RESTO DA TORCIDA BRASILEIRA NÃO SÃO…E PARABENS PELOS ROBERTÕES, COPA BRASIL E TAÇAS DE PRATA DA VIDA…

  40. Edmar disse:

    Quase todos campeonatos nacionais no mundo tiveram em seu inicio campeões com poucos jogos e mata-mata como Itália, Alemanha, França etc. Coloquem no google “sabatina sobre a taça brasil” blog odir cunha, vocês vão ver que a importancia da Taça Brasil e do Torneio Roberto Gomes Pedroza era a mesma dos campeonatos brasileiros pós 1971 lendo a repercusão da imprensa da época.

  41. Edmar disse:

    Eu só não aceitaria a Taça Brasil como Campeonato Brasileiro, se todos os brasileirões após 1971 fossem disputados com o mesmo regulamento padrão, turno e returno e nos pontos corridos, sem mata-matas e sempre se chamando Campeonato brasileiro sem ser Torneio Nacional de Clubes, Copa Brasil, Taça de Ouro, Copa União, Copa João Havelange. E também se a Taça Brasil fosse disputada até hoje sem interrupção ao lado do Campeonato Brasileiro igual a Copa do Brasil, ai sim a Taça Brasil era Copa e não Brasileirão, igual por exemplo na Inglaterra. Será que quem é contra leu o dossier e conhece a história do futebol brasileiro em todas as épocas??? Ou tá chorando pois seus clubes não venceram nenhum destes 2 campeonatos??? E se tivessem vencidos concerteza não estavam chorando agora né??? COLOQUEM NO GOOGLE “SABATINA SOBRE A TAÇA BRASIL” Vejam a importancia deles pela repercussões da imprensa da época. Veja também que o Torneio Roberto Gomes Pedrosa/Taça de Prata contou com os 7 estados mais fortes do futebol brasileiro, SP, RJ, MG, RS, PR, BA e PE, veja, se pegarmor todos os campeões e vices dos campeonatos brasileiros desde 1971, somente 7 estados estavam entre os 2 primeiros, os mesmos que disputaram o Torneio Roberto Gomes Pedrosa/Taça de Prata. A CBF acertou na unificação, ela é muito justa sim!!!

  42. afranio salles disse:

    É baseado neste tipo de raciocínio do Mauro Betting que os jornalistas torcedores de times que não participaram da Taça Brasil ficam dizendo que o verdadeiro embrião do Campeonato Brasileiro foi o Robertão, porque nele participavam os melhores times do Brasil. Ele se esqueceu que os participantes do Torneio Rio – São Paulo eram os mais famosos, tendo como prova que o melhor time da época, não só do Brasil como do mundo – o Santos – perdeu para o Bahia que não participava do Rio – São Paulo. Uma coisa é ter os melhores jogadores e outra é ter o melhor time. Pensem no que seria o Campeonato Brasileiro em 1959, com todos os Estados participando, com os 4 melhores do Rio, os 4 melhores de São Paulo, 2 do Rio Grande do Sul, 2 de Minas Gerais e um de cada Estado. Democraticamente correto? Agora gostaria de saber como se agilizar os carentes transportes da época, a deficiente organização da CBD, a falta de comunicação, falta de patrocinadores, etc. e realizar um Campeonato Brasileiro econômica e logisticamente viável. Olha, Mauro, não basta dizer que respeita a opinião dos outros e dizer que não tirar o mérito dos títulos conquistados. Quando a pessoa é inteligente o suficiente e tem conhecimento do assunto tem que se render aos fatos. A Taça Brasil foi o início do Campeonato Brasileiro, mas como o Brasil já havia evoluído em termos de comunicações e transportes, e algum tempo depois começaram a surgir os patrocinadores foi que houve a imperiosa necessidade de se ampliar os participantes. Lembre-se que o país, na época que iniciou o Robertão, era governado por uma ditadura que mandou seu agente (Antonio do Passo) aqui na Bahia dizer publicamente que o Bahia tinha seus méritos como primeiro campeão da Taça Brasil, mas que só entraria no Robertão em 1968, porque assim determinou a CBD. O representante pernambucano só entrou em 1969. Portanto, dizer que as melhores equipes estavam no eixo Rio – São Paulo não é verdadeiro. Aí tem a maioria, mas não a totalidade. Se na época só o Palmeiras, das equipes do eixo Rio – São Paulo, conseguia enfrentar o Santos, fora do eixo o Bahia pôde e o Cruzeiro. A verdade é que o Santos da época, conseguiu obscurecer as equipes do Sudeste e, por que não afirmar, do mundo. Espero ter colocado um outro ponto de vista no debate que possa minimizar a afirmativa de alguns de que só no Sudeste se pratica o melhor futebol do Brasil. Hoje não temos em nenhuma equipe (salvo alguns veteranos em fim de carreira) jogadores, nem de segunda linha, para jogar o Campeonato Brasileiro, que cada vez mais torna-se difícil de assistir pela qualidade dos jogadores. Já que o Brasil é o celeiro dos grandes craques do futebol, vamos aumentar esta oferta para ver se aparece mais e melhores jogadores.

  43. Luiz disse:

    Este regulamento da Taça Brasil me lembra muito o da extinta ”Copa dos Campeões” (com a diferença de ter jogo único , em campo neutro, somente em cidades do Nordeste)realizada no início dos anos 2000 , e que contava apenas com campeões estaduais .

Deixe um comentário