publicidade


Como o São Paulo não foi rebaixado no SP-90 e como a FPF rebaixou 32 clubes no SP-94

por Mauro Beting em 25.jan.2009 às 13:42h

O São Paulo não poderia ter tido as vantagens regulamentares que teve no SP-91. Burrice maior da FPF, que comparou bananas com laranjas (com a complacência de alguns bananas). Mas não havia como ter “rebaixado” o então campeão brasileiro no SP-90. Ele e outros nove que não se classificaram para a quarta fase do Paulistão de 1990. Uma brilhante sacada regulamentar que desinflou o SP-91, repetida depois no SP-94. Quando Eduardo José Farah terminou a maquiavélica obra de deixar o campeonato estadual com apenas 16 clubes, rebaixando outros 32 que o aplaudiram e aclamaram. Não sabendo o que liam. Não sabendo o que aprovaram: a própria queda de divisão.

Resumidamente: como em 1991, em 1994 não havia como passar a caneta e tirar da elite 32 clubes. O que fez a FPF? Dividiu o futebol paulista em três módulos de campeonato, com 16 clubes em cada. Mais ou menos como nos outros anos, quando vencedores de módulos menores disputavam a fase semifinal do Paulistão. A diferença é que, em 1994, estava escrito claramente no regulamento que o vencedor do campeonato em turno e returno, pontos corridos, era o “campeão paulista” – como foi o Palmeiras de Luxemburgo. Campeão e mais os melhores times do SP-94 que se juntaram a vencedores dos módulos inferiores (Araçatuba, da segunda divisão, e o Nacional, da terceira divisão) para a disputa da Copa Bandeirante, disputada durante a Copa do Mundo de 1994; o torneio dava ao campeão (o Corinthians) a vaga para a Copa do Brasil.

A grande sacada de Farah foi aproveitar a desatenção dos cartolas para “rebaixar” os outros 32 que não estavam na “primeira divisão”. Quase nenhum clube percebeu. A esmagadora maioria da imprensa, também não. Quando foram ver, já estavam fora da elite, a partir de 1994.

Em 1990-91, a situação foi semelhante. Para tirar da principal divisão 10 clubes ainda no SP-90, foram criados os módulos. Para não caracterizar rebaixamento, foi dada a chance à turma que veio do módulo inferior disputar o título de 1991: para a semifinal, os cinco melhores do grupo de elite se juntaram aos três melhores do grupo inferior para formar dois quadrangulares em turno e returno. Foi a sorte do São Paulo. Que tinha o melhor time do Estado – e do país. E teve o regulamento com critério de desempate mais estúpido – já que deu o mesmo peso aos pontos conquistados pelo Tricolor numa divisão inferior àqueles conquistados pelos times que disputaram o módulo principal. Por isso, o Palmeiras, mesmo empatado em pontos na fase semifinal com o São Paulo, foi eliminado; por isso o Corinthians entrou sem a vantagem do empate na decisão do SP-91.

No frigir das bolas: o São Paulo começou o SP-91 na divisão inferior – mas não foi tecnicamente rebaixado. A mesa não foi virada para beneficiar o São Paulo – apenas foi um truque discutível da FPF, ainda em 1990, e sem saber que um grande passaria pelo vexame tricolor, para rebaixar sem ações na Justiça dez clubes do SP-90 para o SP-91. Torneio que, ainda assim, teve na prática quatro clubes a mais (28). Mas já preparando para o “ataque final” aos clubes menores: no SP-92, o número de equipes que poderiam ser campeãs paulistas ainda era o mesmo – 28. Mas, desta vez, seis equipes da divisão de elite se juntavam a apenas dois clubes do módulo inferior para os quadrangulares semifinais. No SP-93, outra assoprada no interior para dar uma mordida ainda maior no futuro próximo: no grupo de elite, em vez de 14 clubes, eram 16. E os seis melhores passavam para os quadrangulares semifinais. Continuavam 14 clubes no módulo inferior, e apenas dois deles se classificavam para os quadrangulares semifinais.

O SP-93 teve 30 clubes. Mais dois interior chegaram à “elite”. Mas apenas os melhores sobreviveriam à foice que viria em 1994, e eles não sacaram: disputaram o SP-94 apenas os 16 do módulo principal. Sem cruzamentos de chaves, sem semifinais.

Algo que só voltaria a acontecer no SP-95, quando apenas o campeão da segunda divisão (o Mogi Mirim) foi para os quadrangulares semifinais, enfrentando os sete melhores entre os 16 da primeira turma do futebol paulista. No SP-96, o Palmeiras venceu os dois turnos e cancelou as finais. Mas já com o cancelamento dos cruzamentos entre os grupos. Agora, claramente, não havia mais cruzamentos entre as “divisões” do futebol estadual. Eduardo Farah, chefão da FPF, simplesmente inchara o Estadual para logo depois esvaziá-lo, contando com a anuencia dos clubes para evitar uma batalha jurídica nos tribunais.

Nesse contexto, o São Paulo foi o grande vencedor e beneficiário da grande e discutível sacada dos cartolas da FPP.

Tags: ,

80 comentários para “Como o São Paulo não foi rebaixado no SP-90 e como a FPF rebaixou 32 clubes no SP-94”

  1. Marcio disse:

    Rebaixado ou não.

    São Paulo TRI campeão MUNDIAL
    Tri Campeão da LIBERTADORES
    Hexa Campeão Brasileiro.

    O verdinho não foi rebeixado?
    a galinhada não Foi rebaixada?

  2. André disse:

    No campeonato paulista de 1990, de 24 clubes o SPFC terminou em 16º ou seja, muito longe das últimas colocações.
    Só na cabeça de galinha e porquinha que o SPFC foi rebaixado.

    Como que a FPF iria rebaixar 10 times se apenas 4 subiram? Sobe 4 e desce 10 ? Como vocês são tontos…

  3. Vinicius Bernardi disse:

    Mito, lenda urbana, inverdade. Seguiram o regulamento a risca e o São Paulo nunca foi rebaixado, tal como mostra o PVC: http://futeboldebotao.wordpress.com/2008/06/30/lendas-urbanas-sao-paulo-rebaixado/

  4. Edson AS (SPFC) disse:

    O São Paulo no Paulistão de 1990:
    15º colocado entre 24 equipes (a frente de 9 equipes)
    5º melhor saldo de gols (saldo positivo de 15 gols)
    6º maior número de vitórias (13, contra 18 do campeão Novorizontino e do Palmeiras – os que mais venceram)
    5º melhor ataque (41 gols)
    5ª melhor defesa
    7º melhor aproveitamento de pontos (55%)
    (Modo irônico on) Uma equipe com um desempenho desses, e tendo o regulamento do campeonato um regra dizendo que “não haverá descenso”, só podemos concluir que caiu sim, claro. ¬¬ (modo irônico off).
    Foi culpa do São Paulo um regulamento estúpido tê-lo deixado em 15º, atrás de equipes que estavam no Grupo II (a tal “segunda divisão”) e que avançaram na briga pelo título, enquanto que o São Paulo teve que se reunir em outro grupo, na repescagem, para disputar uma única vaga, sem poder com equipes desclassificados de ambos os grupos (I e II).
    Eu fico pensando se o São Paulo tivesse se classificado na repescagem, hoje estariam dizendo que o São Paulo foi rebaixado por ter disputado a repescagem com equipes desclassificadas do Grupo II. rsrsrs

  5. Edson AS (SPFC) disse:

    Correção: 18 vitórias do campeão BRAGANTINO.

  6. Carlos Mucio disse:

    Claro que o Sao Paulo foi rebaixado. No ano seguinte o Sao Paulo nao jogou contra a Ferroviaria de Araraquara, onde eu morava. O Sao Paulo jogou a segundona, e depois houve virada de mesa, e colocaram o Sao Paulo na Semi-final(uma vergonha).

  7. Leonardo disse:

    ”No frigir das bolas: o São Paulo começou o SP-91 na divisão inferior – mas não foi tecnicamente rebaixado”. Me responda sr. Professor de Deus… O QUE É DIVISÃO INFERIOR???????????

  8. LEANDRO disse:

    ← Legal e imoralO torcedor que atrapalha →
    6
    NOV
    O São Paulo foi rebaixado em 1990?
    Curiosidades, Vídeos

    De José Renato Sátiro Santiago Jr

    Atendendo aos inúmeros pedidos, encaminho abaixo detalhes sobre os fatos ocorridos durante o Campeonato Paulista de 1990.

    Ele foi dividido em 2 grupos:

    Grupo 1: Corinthians, Internacional, Bragantino, Novorizontino, Palmeiras, São Paulo, Mogi-Mirim, Santos, Portuguesa, União São João, São José e Guarani.

    Grupo 2: Catanduvense, Juventus, Botafogo, XV de Piracicaba, XV de Jaú, América, Noroeste, São Bento, Santo André, Ferroviária, Ituano e Ponte Preta

    1) Segundo o regulamento do Campeonato Paulista, durante as duas primeiras fases as equipes se enfrentariam dentro e fora de seus grupos. Sendo que os 12 times com melhor campanha, independentemente do grupo do qual fazia parte, se classificariam, automaticamente, para a Quarta Fase:

    O que aconteceu: As equipes classificadas foram o Corinthians, Palmeiras, Bragantino, Santos, Mogi-Mirim, Portuguesa e Novorizontino, pelo Grupo 1 e XV de Piracicaba, XV de Jaú, Ferroviária, Ituano e América, pelo Grupo 2.(Regulamento Cumprido)

    2) Conforme o regulamento os campeões de cada grupo se classificariam automaticamente para a Copa do Brasil de 1991.

    O que aconteceu: Corinthians e XV de Piracicaba foram os vencedores de seus grupos e se classificaram para a Copa do Brasil de 1991. (Regulamento Cumprido)

    3) O regulamento informava que as equipes que não tivessem se posicionado entre as 12 melhores aos longos das duas primeiras fases, deveriam disputar a Terceira fase, uma espécie de repescagem. As equipes seriam divididas em dois grupos de 6.

    O que aconteceu: As equipes foram divididas em 2 grupos, o primeiro formado por Botafogo, Internacional, Santo André, São Paulo, Ponte Preta e Noroeste e o outro por Guarani, Catanduvense, São José, Juventus, União São João e São Bento. (Regulamento Cumprido)

    4) O regulamente definia que apenas os campeões de cada grupo desta terceira fase, se classificariam para a quarta fase, quando se juntariam aos demais 12 classificados anteriormente, e seriam divididos em 2 grupos de 7.

    O que aconteceu: Botafogo e Guarani foram os campeões de seus grupos e se classificaram para a Quarta fase. Nesta fase, as equipes foram divididas em 2 grupos de 7. O primeiro grupo foi formado por Bragantino, Corinthians, Botafogo, Santos, Ituano, Mogi-Mirim e XV de Jaú, o segundo grupo foi constituído por Novorizontino, Palmeiras, Guarani, Portuguesa, América, XV de Piracicaba e Ferroviária. (Regulamento Cumprido)

    5) Quanto ao rebaixamento, vamos ao texto original do regulamento oficial do Campeonato Paulista de 1990. Parágrafo 1º do artigo 5º: “Para o Campeonato da Primeira Divisão de Futebol Profissional de 1991, o Grupo I será constituído pelas 14 associações classificadas para disputar a quarta fase do Campeonato de 1990 e o Grupo II será constituído pelas dez associações restantes que não se classificaram para a quarta fase e mais quatro advindas da Divisão Especial de 1990.” Parágrafo 2º – “No campeonato da primeira divisão de futebol profissional de 1990, não haverá descenso à divisão especial de futebol profissional. Mas a partir de 1991, ou a cada ano haverá o descenso de uma associação da Primeira Divisão de Futebol Profissional e o acesso de uma associação da Divisão Especail de Futebol Profissional”

    O que aconteceu: O Campeonato Paulista de 1991 foi constituídos por 2 grupos de 14 equipes: Grupo I formado pelos 14 classificados para a Quarta Fase do Campeonato de 1990 – Corinthians, Palmeiras, Botafogo, Portuguesa, Guarani, Bragantino, Santos, Ituano, América, Novorizontino, XV de Piracicaba, XV de Jaú, Ferroviária e Mogi-Mirim; Grupo II formando pelas 10 equipes que não se classificaram para a Quarta Fase do Campeonato de 1990: São Paulo, Internacional, Santo André, Noroeste, Catanduvense, Juventus, Ponte Preta, União São João, São José e São Bento, mais 4 equipes originária da Divisão Especial de 1990 que foram: Olímpia, Marília, Sãocarlense e Rio Branco (Regulamento Cumprido)

    6) Por fim, voltando a Quarta Fase do Campeonato de 1990, o regulamento previa que os campeões de cada grupo disputariam o título

    O que aconteceu: Bragantino e Novorizontino foram campões de seus grupos e decidiram o título em 2 jogos, nos dias 22 e 26 de agosto. O título foi conquistado pelo Bragantino (Regulamento Cumprido)

    Também sugiro o vídeo abaixo que mostra o jornalista Paulo Vinícius Coelho, o PVC, explicando o regulamento do Campeonato Paulista:

    [youtube:http://youtube.com/watch?v=g2n8vzxKRPs

    E foi assim que a história aconteceu.

  9. Reginaldo disse:

    Me diz ai… quantos campeonatos tiveram maracutaia hein, COPA JOÃO HAVELANGE onde o Fluminense subui da C para A num passe de mágica BRASILEIRO KIA 2005 onde voltaram jogos pra favorecer um timeco ai, então vamos parar com essa hipocresia idiota, todos sabem q hj em dia debaixo do tapete do futebol tem muita sujeira escondida!

  10. Edilson Lira disse:

    Se vocês tivessem um pinguinho de vontade de esclarecer o assunto, teriam consultado o ACERVO DA FOLHA e olhariam a edição do dia 27 de janeiro de 1990, data da abertura do campeonato paulista daquele ano com Corinthians X Noroeste.

    E à medida que se fosse lendo, buscando tudo o que foi acontecendo através do tempo, aí saberiam se o regulamento foi cumprido ou não.

    Hoje eu sei a verdade… graças ao ACERVO FOLHA. E acho que muitos terão uma triste surpresa!

  11. Anderson Santos disse:

    Ae corintias e palmeiras o tricolor nunca foi rebaixado vejam a historias dos seus clubes!

  12. Mayko disse:

    Uma pergunta ainda melhor, como o São Caetano foi vice-campeão no módulo amarelo da copa joão havelange e ainda no mesmo ano foi vice-campeão br-2000?
    Então vocês que são comentaristas que são contra o Tricolor Paulista, por favor para de fazer bobeira igual a essa… parece que vocês não sabia que aquele ano não tinha rebaixamento no paulistão? Porque nessa mesma temporada o time da minha cidade nesses anos foi campeão da série A2 do paulista e ainda assim não subiu…
    Para de fazer barraca contra o SP. Estuda mais sobre futebol OK…?

  13. Mauro Beting disse:

    Você não leu e não entendeu. Ou, pior, leu e não entendeu…

  14. Mauro Beting disse:

    Que ele não foi rebaixado – posto que venceu o título da primeira divisão. releia o texto

  15. Downey disse:

    Será que esse assunto só voltou agora depois de vários anos pra tentar justificar a queda de um time grande. Onde vários veículos tentam arrumar matérias pra desqualificar os demais clubes. Os tempos são outros…Desde que o Palmeiras foi rebaixado no CB2002, baseado no que diz o regulamento, e após o Corinthians no CB2007 voltou esse assunto que o SPFC caiu no CP1990.
    Infelizmente os regulamentos são feitos por pessoas incapacitadas para tal atividade. E para busca de privilégios e “cargos” em entidades superiores se sujeitam a concordar com tudo que os presidentes de federações e confederações decreta.
    Se no CP1990, os presidentes e responsaveis pelos clubes de Futebol no estado de São Paulo tivessem vetado essas armadilhas que a FPF propôs nada disso estaria acontecendo. Mas não… Todos assinaram e ninguém foi contra.
    Quando o campeonato acaba é evidente que as equipes usarão o regulamento a seu benefício, aliás, em tudo na sociedade é assim, quando alguém se sente prejudicado, corre “atrás dos direitos”, e que estão amparados em leis… E no futebol é a mesma coisa, existe a lei dos jogos (regras) e lei da Organização (Regulamento).
    Em 1990, o SPFC só fez o que previa o regulamento no inicio da competição, que não haveria rebaixamento. Ponto!!! Se não havia, não tinha como disputar a 2ª Divisão. Então novamente os “cartolas” de todos os times que concordaram com o regulamento do CP1990, adicionando mais os “cartolas” dos clubes que ascenderam se reuniram para fazer alterãções no regulamento do CP1991, o que era normal em todos os anos.
    Então não houve virada de mesa em 1990, pois não previa o rebaixamento. Houve uma mudança no regulamento de 1991, o que deu certa vantagem ao SPFC, com conivência de todas as demas agremiações. .
    Agora a discussão se foi ou não rebaixado é ridícula. Não foi rebaixado. Isso está documentado. Não é porque a mídia publicou que foi rebaixado que devemos acreditar. Mas no documento oficial da FPF que não conidera o SPFC como rebaixado, ok?
    Se fosse nesse ponto de vista de clube rebaixado, por que o Corinthians não disputou a série B ods campeonatos Brasileiro em 1988 e em 2001, já que foi último colocado no CB1987 e penultimo no CB2000??? Não foi por causa do regulamento que não previa rebaixamento??? Então é o mesmo caso, com o mesmo exemplo, a única diferença é que são clubes diferentes. E que estão justamente querendo criar conflitos entre épocas e clubes, tentando amenizar os efeitos de um rebaixamento de clube grande, comparando com os rebaixamentos dos rivais. E mesmo não tendo onde se amparar para tal atitude criam especulações sobre fatos com os outros clubes. E isso está sendo criado.
    Se fosse errado o que fizeram na época, por que os dirigentes assinaram???
    Mas está aí, os documentos oficiais (Regulamentos) estão à prova. Ou estão querendo fazer isso pra “desconsiderar” o SPFC como o Campeão Paulista de 1991 (1ª Divisão)??

  16. Pitaco disse:

    Campeonato dividido em 2 módulos.

    Os times do segundo módulo comporam a segunda divisão do campeonato paulista.

    São Paulo Não se classificou para a composição do primeiro módulo, estabelecendo-se no segundo.

    São Paulo Rebaixado. Fim. Não tente consertar.

  17. Rodrigo Antero disse:

    Leiam o regulamento, muito se quer falar, muito se quer especular, mas ninguém lê um regulamento! Em 88, 89 e 90 não havia rebaixamento acordado entre os maiores times, somente a partir de 91…!

  18. Edilson Lira disse:

    As pessoas não lêem a droga do regulamento!
    Elas querem criar o regulamento que agrade a elas…

    Assim, se me agradasse eu rebaixaria até o Bragantino que foi campeão…

  19. admir disse:

    o flamengo ficou em ultimo no carioca de 1933,seria rebaixado,formaram uma nova liga e viraram a mesa,a primeira virada de mesa do futebol brasileiro

  20. carlos disse:

    bela manobra da fpf ao en ves de rebaixar o clube: o coloque para disputar um modulo mais fraco e o da o direito de disputar o titulo com ovencedor do modulo mais dificel parabens

  21. Ozeias disse:

    Mauro Betting… Jornalista deve se ater aos fatos. O Regulamento de 1990, assiando em 1990, por todas as agremiações especificava:
    Não haverá descenso
    ——————————-
    Artigo 5º:
    Parágrafo 1º – “Para o Campeonato da Primeira Divisão de Futebol Profissional de 1991, o Grupo I será constituído pelas 14 associações classificadas para disputar a quarta fase do Campeonato de 1990 e o Grupo II será constituído pelas dez associações restantes que não se classificaram para a quarta fase e mais quatro advindas da Divisão Especial de 1990.”
    Parágrafo 2º – “No campeonato da primeira divisão de futebol profissional de 1990, não haverá descenso à divisão especial de futebol profissional. Mas a partir de 1991, ou a cada ano, haverá o descenso de uma associação da Primeira Divisão de Futebol Profissional e o acesso de uma associação da Divisão Especial de Futebol Profissional.”
    ——————————-

    Agora tu vai querer provar que o regulamento não existiu! Seja mais jornalista e menos torcedor.

  22. Mauro Beting disse:

    Ozeias, e quando eu disse o contrário?

    Meu Deus.

  23. GUILHERME CIMINO disse:

    Como é o sensacionalismo…
    Imagina se passaria batido pra imprensa que o campeonato rebaixaria 10 times… isso é tão exótico e absurdo que todos os jornais fariam o maior escândalo, principalmente os do interior, onde estão os times pequenos…

    Mas o importante é vender, a qualidade da informação é secundário.

  24. LUIZ disse:

    Na realidade, além de não cair nenhum time, ainda subiram 4 para compor o módulo2, ou grupo, ou prata, seja lá qual for o nome.

  25. Alexandre Oliveira disse:

    Taí. Falar que o SPFC caiu em 90 é PATÉTICO, é tentar reescrever a História, como nosso glorioso governo tem tentado fazer de todo jeito.
    Para o SPFC, foi ruim não ficar entre os 14 melhores em 1990? Foi.
    Foi uma ‘vergonha’ para a torcida? Foi.
    Foi um fato jornalístico, uma ‘pseudoqueda’, que veículos como a FSP exploraram à época (sabe-se lá com quais intenções)? Foi.
    MAS NÃO FOI QUEDA DE DIVISÃO!! o Regulamento deixa claro que NÃO HAVERIA DESCENSO.
    Tanto é que, para infelicidade de muitos, fomos campeões no ano posterior.
    E NÃO HOUVE VIRADA DE MESA, o Regulamento (ridiculamente horrível) estava PRONTO, aceito por todos.
    Sinto muito para PORCOS e GAYVOTAS, mas quem carrega manchas inapagáveis no lombo são os times de vocês: não queiram nos colocar na mesma barca furada na marra, A HISTÓRIA NÃO É ‘REESCREVÍVEL’.

  26. Levi Lopes disse:

    O próprio Telê Santana, em entrevista que qualquer um pode ver no Youtube, declarou que quando chegou para treinar o São Paulo, pegou o time na 2ª DIVISÃO DO PAULISTA e com muito receio que acontecesse o mesmo no Brasileirão. O cara estava lá e dirigiu o time no referido campeonato. Ninguém melhor que ele prá saber o que o time estava passando. Aí os caras ficam procurando um monte de desculpas prá dizer que nunca foram rebaixados. Tem também o fato de que a FPF é a responsável pela impressão dos ingressos, nos quais consta, nos jogos do São Paulo, tratar-se de jogo de SÉRIE B. A questão não é dizer se o time da vila Sônia disputou ou não a SERIE B, pois realmente a virada de mesa não permitiu isto, mas saber que eles foram rebaixados. TIME GRANDE CAI SIM, MAS MOSTRA QUE É GRANDE CONQUISTANDO O ACESSO NO CAMPO DE JOGO E NÃO NA CANETADA.

  27. Marcos Vinicios disse:

    É bem simples de entender por que corintiano diz que o São Paulo foi rebaixado, eles não sabem ler, assim eles não entendem o regulamento.
    Se quiserem podemos fazer algo com uns desenhos pra vocês colorirem, quem sabe assim parem de falar tanta merda.

  28. Thiago Machado disse:

    Time GRANDE não cai gambazada e nem estádio de TIME GRANDE cai gambazada…….

  29. FRANKLIN BATISTA disse:

    Chupa rebanho de gambazada,que querem rebaixar o GIGANTE TRICOLOR PAULISTA.
    O flamengo ficou em ultimo lugar no campeonato carioca ninguém fala nada,o tricolor ficou em decimo quinto no campeonato paulista,vcs querem rebaixar. Vá entender essa historia!!!!! Só pra lembrar: chupa cu+rintia=curintia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  30. Nelson Segura disse:

    Que regulamento rebaixaria 10 clubes de uma só vez??
    Se ficou em 15º lugar, não foi rebaixado!!!

Deixe um comentário