Valdívia no Vasco



Valdívia está perto de ser anunciado pelo Vasco (Foto: AFP)

Com apenas 17 anos de idade, Valdívia se tornou artilheiro da Copa São Paulo de Futebol Júnior vestindo a camisa do modesto Rondonópolis. Foram 8 gols do meia em apenas cinco jogos disputados naquela edição, uma média superior por exemplo a do centroavante Tiago Reis, destaque recente do Vasco na Copinha, marcando nove vezes em nove partidas.

As grandes atuações do jovem Wanderson Ferreira de Oliveira, despertaram o interesse do Internacional, que o contratou para o sub-20 ainda no mesmo ano. Dois dias após completar 19 anos, estreou como profissional do Colorado, na vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, no Brasileiro de 2014.

Dois anos depois de debutar com a camisa do Inter, o apoiador estourou no futebol brasileiro marcando 19 gols em 53 atuações. Entre os jogadores da Série A com menos de 23 anos, apenas Gabriel Jesus, até então no Palmeiras e hoje brilhando na Seleção e no Manchester City, da Inglaterra, marcou mais vezes em 2016, com 21 tentos.

Meia de criação, com facilidade tanto para finalizar de fora da área, inclusive na bola parada, quanto para pisar na área como um segundo atacante, Valdívia foi convocado para a Seleção Olímpica do Brasil junto de Gabigol, Luan, Vitinho, Jesus, Rodrigo Caio e o seu novo companheiro de Vasco, Vinícius Araújo. E foi justamente com a Amarelinha que o camisa 10 viu seu sonho virar pesadelo. Em um amistoso contra os Estados Unidos, o jogador rompeu os ligamentos cruzados do joelho esquerdo, ficando fora dos gramados por seis meses.

Deste então, Valdívia tem oscilado na carreira. Retornando de lesão, não conseguiu impedir a queda do Internacional em 2016, ficando marcado pela torcida por conta de um pênalti perdido contra o São Paulo, em seu primeiro jogo em que atuou os 90 minutos após o problema no joelho. Na penúltima rodada, marcou um golaço contra o Cruzeiro, que quase impediu o rebaixamento colorado, mas acabou sendo em vão.

Valdívia depois sem brilho por Atlético Mineiro, São Paulo e Al Ittihad, da Arábia Saudita. Agora, o meia está bem próximo de ser anunciado pelo Vasco.

É impossível afirmar se o Valdívia que chegará ao Vasco é o de 2015, incisivo, driblador e com facilidade para marcar gols de todas as posições, com os dois pés e a cabeça, como fez no Inter naquela temporada, ou o do Galo e do Tricolor Paulista, onde o meia pareceu em alguns momentos ansioso para reviver o bom momento interrompido pela lesão.

O lado direito de ataque do Vasco parece bem resolvido com Rossi e Pikachu brigando pela posição. Na esquerda, Marrony não tem tido concorrência, e Valdívia pode ser opção por esse lado, mudando a característica do time por ser destro. É mais provável, no entanto, que Valentim o utilize centralizado – caso a negociação se concretize -, revezando com Bruno César, como vinha ocorrendo com Thiago Galhardo, afastado do elenco recentemente.

Qualidade, Valdívia já mostrou que tem. E isso não some de um dia para o outro. O que se pode perder é o foco e a capacidade física, principalmente após uma grave lesão, mas isso é muto mais fácil de se recuperar do que o talento. Principalmente quando ainda se tem apenas 24 anos de idade.

Youtube: Canal do Garone
Twitter: @BlogDoGarone
Facebook: /BlogDoGarone
Instagram:@BlogDoGarone



MaisRecentes

As voltas por cima de Graça e Henríquez



Continue Lendo

Marrony e Pikachu brigam pela artilharia do Vasco no ano; Rossi é o garçom



Continue Lendo

Um clássico do tamanho de sua história



Continue Lendo