Um Vasco necessário e nada mais



Nenê e Thalles garantiram a vitória sobre o Bragantino (Foto: Nelson Rocha/Vasco.com.br)

Nenê e Thalles garantiram a vitória sobre o Bragantino (Foto: Nelson Rocha/Vasco.com.br)

Foi feio. E nem precisava ser bonito. Foi o que o time precisava que fosse: vitória. Era o que a torcida queria. E apenas isso.

Um prato de canja numa noite fria. Sem repetição. Apenas o necessário. Meia dose, só para matar a vontade, não a necessidade. Para esquentar, não entorpecer.

Vencer jogando bem é algo de quem busca uma sequência. É o objetivo de quem está num campeonato longo e necessita ter regularidade. Faltando três rodadas para o fim, implantar um padrão para 2017 se tornou irrelevante.

O que o Cruz-Maltino precisa é de uma mudança.

Independente do que aconteça, será necessário mudar. Seja para subir ou para ficar na Série A. Do jeito que está, ou não sobe ou não fica.

Contra o Bragantino, sofreu com uma arbitragem – errou nos dois pênaltis e na anulação do gol vascaíno – pior que sua própria atuação. Que explica o sofrimento, mas não justifica. Tinha que ser mais fácil. Menos sofrido.

Só não poderia ser menos Vasco. E tem sido.

Falta tudo ao time de Jorginho, principalmente cara de Série A. Tem menos do que na reta final de 2015, quando caiu. Corre o risco de subir ainda mais irreconhecível, como foi em 2014.

E voltou.

Neste sábado, se não fosse um Thalles que entregou mais do que podia e um Nenê que queria mais do que conseguia, novamente seria mais um.

E foi apenas 2 a 1, o que poderia ter sido algo a zero. Sem erro.  Nem do árbitro, nem do Vasco.

O Vasco mostrou que pode subir.

Demonstrou também que necessita mudar. Com urgência.



MaisRecentes

Mudança no Vasco precisa ir além de Valentim



Continue Lendo

Aproveitamento de Valentim foi inferior ao de Zé Ricardo e outros 11 técnicos que passaram pelo Vasco nesta década



Continue Lendo

O óbvio



Continue Lendo