Um Vasco conformado



“Aqui é Vasco! Se é para perder que seja jogando para frente!”. Essa frase foi dita por Kleber após a derrota para o América-RN e tenho certeza que reflete bem o pensamento da maioria dos vascaínos. Derrotas acontecem, o problema é a forma como elas tem vindo. Aliás, nem mesmo as vitórias tem convencido.

O Vasco que hoje vemos em campo, perambula conformado por estar nessa situação. Tem mais medo de se expôr do que vontade de se impôr. É o medo de perder, superando a vontade de ganhar. E, num elenco que era para sobrar na competição, isso é um tiro no pé. Com essa postura, qualquer time se sente a vontade para pressionar o Vasco. E consegue.

Jogadores que vinham tendo atuações destacadas, como Maxi Rodriguez, Lorran e Lucas Crispim, estranhamente viraram reservas. Marlon, Fabrício e Dakson, por exemplo, continuam e o Vasco segue lento e pesado. Pragmático!

O que incomoda, não é ver o Vasco perder, foram apenas 8 derrotas na temporada. O pior é ver um time conformado em ser mais um, num campeonato onde tem a obrigação de ser ‘o cara’.

A Série B não pode ser uma zona de conforto. Não para o Vasco!



MaisRecentes

Vasco prorroga os contratos de dois jogadores do sub-20



Continue Lendo

Mais do que casa, São Januário é a arma do Vasco



Continue Lendo

Em fase artilheira, Pikachu já é um dos maiores goleadores do Vasco neste século



Continue Lendo