Sequência atual do Vasco é tão ruim quanto o início do Brasileiro 2019



Pikachu teve dificuldades para marcar Clayson (Foto: Felipe Oliveira/Bahia)

A gordura obtida pelo Vasco no início do Campeonato Brasileiro, onde chegou a liderar e a figurar no G4 por algumas rodadas, já foi para o espaço. O time do técnico Ramon Menezes hoje vive uma sequência tão ruim quanto aquela do início do Brasileirão do ano passado, quando a equipe era lanterna da competição. São três derrotas e um empate nos últimos quatro jogos pela competição nacional, mesma marca obtida sob o comando do interino Marcos Valadares, em 2019.

Até mesmo os placares se repetem. Naquela série, o Cruz-Maltino foi goleado pelo Athletico Paranaense, por 4 a 1, e pelo Santos, por 3 a 0, mesmos resultados obtidos agora contra Atlético Mineiro e Bahia. Na ocasião, Vanderlei Luxemburgo assumiu na rodada seguinte à derrota para o Peixe e conseguiu tirar o time da zona de rebaixamento e levar até a Sul-Americana.

O contexto atual é diferente. Por um período as ideias de Ramon surtiram efeito na equipe, que terminou na 7ª colocação do Campeonato Carioca com Abel Braga. Nas últimas rodadas, porém, o time apresentou falhas defensivas que antes haviam sido neutralizadas. Se o ataque sempre foi um problema – até pela falta de opções no elenco -, a organização sem a bola, antes uma virtude, vem deixando a desejar.

O Vasco, que antes marcava com duas linhas próximas, deixa cada vez mais espaços. Principalmente quando atua sem dois dos seus jogadores de mais pegada no meio-campo, Andrey e Benítez. Pelas pontas, Talles Magno e Vinícius contribuem pouco, facilitando os avanços adversários pelo setor. Foi assim que Arana, do Atlético, teve liberdade para marcar no fim de semana, e Ernando, do Bahia, pôde avançar com liberdade para servir Gilberto no 2º gol do Tricolor nessa quarta-feira.

Tanto que as alterações do treinador no intervalo da partida, em Pituaçu, foram exatamente para reforçar os lados do campo, promovendo a entrada de Cayo Tenório na vaga de Vinícius, adiantando Pikachu, e de Gabriel Pec no lugar de Talles. Mas já era tarde demais.

Sem pressão no meio e dos lados, o Vasco fica exposto – qualquer time, na verdade. Foi assim contra o Galo e foi assim também no duelo com o Bahia.

Repetir os erros neste sábado, contra o Flamengo, dono do ataque mais positivo do Brasil em 2020 – 73 gols -, pode ser fatal. Para o Vasco e para Ramon.

INÍCIO DO VASCO NO BRASILEIRO 2019

– Athletico-PR 4×1 Vasco
– Vasco 1×2 Atlético-MG
– Vasco 1×1 Corinthians
– Santos 3×0 Vasco

4 jogos
3 derrotas
1 empate
10 gols sofridos
3 gols marcados
-7 de saldo

SEQUÊNCIA ATUAL DO VASCO NO BRASILEIRO

–  Coritiba 1×0 Vasco
– Vasco 1×1 Red Bull Bragantino
– Atlético-MG 4×1 Vasco
– Bahia 3×0 Vasco

4 jogos
3 derrotas
1 empate
9 gols sofridos
2 gols marcados
-7 de saldo



MaisRecentes

Cano passa Pikachu no ranking de artilheiros do Vasco neste século



Continue Lendo

O talentoso Riquelme



Continue Lendo

Nenê sobe cinco posições no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo