Sem reforço, Luxemburgo muda perfil de centroavante no Vasco



Valdívia fez dois gols no último amistoso (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Quando 2018 terminou, uma posição parecia intocável no Vasco: a do centroavante. Com 7 gols e seis assistências em apenas 19 partidas, Maxi López era, até então, a principal referência técnica do time e um dos responsáveis pela permanência da equipe na Série A.

Os primeiros meses de 2019, porém, mudaram esse panorama. Com Maxi López fora de forma, Ribamar iniciou o Carioca como titular. o entanto, não teve sucesso. O argentino então retomou a posição no decorrer do Estadual, mas também não emplacou.

Para suprir a falta de gols, Alberto Valentim promoveu a subida de Tiago Reis. O jovem começou bem, assumiu a artilharia do time na temporada, mas hoje parece não contar com a confiança total de Vanderlei Luxemburgo, que o tem deixado na reserva. Pesa sobre o garoto, além da pouco experiência, a pouca qualidade fora da área.

Com a vaga em aberto no time titular, o Vasco foi ao mercado em busca de um novo camisa 9. Anangonó era o nome pretendido, mas a negociação melou quando o futebol chinês também mostrou interesse na contratação do jogador. Outros nomes, como Carlos Garcés e Edson Cariús, foram oferecidos, mas parecem não ter agradado.

Com a intertemporada no fim e sem um novo reforço para o ataque, Luxemburgo parece ter mudado o perfil do jogador para a função. Antes procurando um atacante de área, como os especulados, o treinador agora vem testando meias de origem na posição. Contra o Atlético Goianiense, na vitória vascaína por 1 a 0, Marquinho foi titular jogando mais avançado, por dentro, com Marrony e Rossi pelos lados. Porém, mal tocou na bola.

Nesse fim de semana, contra o Foz do Iguaçu, foi a vez de Valdívia ser utilizado como o famoso falso 9. Centralizado, na frente, mas participando também da construção da jogada, recuando como um meia central para ajudar nas triangulações, flutuando na intermediária ofensiva. O jogador já vinha treinando nessa função, inclusive tinha sido um dos destaques do jogo-treino contra o Madureira, marcando dois gols, e agora repetiu a dose, fazendo seus primeiros tentos com a camisa cruz-maltina.

Após ficar quase seis meses sem atuar no primeiro semestre, Valdívia ressurge no Vasco após um início irregular. Com capacidade de criação e finalização, ganha espaço numa nova função, com mais liberdade para movimentação e menor responsabilidade sem a bola. Pode funcionar.

Em 2015, quando surgiu no Internacional, Valdívia marcou 19 gols e foi um dos principais artilheiros do futebol brasileiro no ano.Uma grave lesão no joelho, no entanto, freou a rápida ascensão do jogador, que agora, aos 24 anos, tenta reencontrar o sucesso em uma nova função.

Deu certo nos treinamentos e amistosos. Agora terá pela frente o Brasileiro.

Youtube: Canal do Garone
Twitter: @BlogDoGarone
Facebook: /BlogDoGarone
Instagram:@BlogDoGarone



MaisRecentes

As voltas por cima de Graça e Henríquez



Continue Lendo

Marrony e Pikachu brigam pela artilharia do Vasco no ano; Rossi é o garçom



Continue Lendo

Um clássico do tamanho de sua história



Continue Lendo