Sá Pinto tem o pior aproveitamento de um técnico do Vasco desde 2012



Vasco venceu apenas dois jogos desde a chegada de Sá Pinto (Foto: Matias Delacroix/AFP)

Apenas uma vitória nos últimos 14 jogos de Campeonato Brasileiro. Eliminado da Copa do Brasil e da Sul-Americana. Dono do pior ataque do ano entre os 20 times da Série A com apenas 40 gols marcados. Aliás, dono da pior média de gols em uma temporada em toda a sua história. O Vasco 2020 segue colecionando marcas negativas no ano.

Com a goleada de 4 a 0 sofrida para o Grêmio, neste domingo, Ricardo Sá Pinto passou a ter o pior aproveitamento de um técnico do Cruz-Maltino desde 2012. São 12 jogos da equipe desde a sua chegada – duas com Grasseli no banco, com Ricardo fora por conta de Covid -, no fim de outubro, com duas vitórias, cinco empates e cinco derrotas, conquistando apenas 30,5% dos pontos disputados.

De 2010 pra cá, apenas dois treinadores tiveram um desempenho inferior ao do português: Celso Roth, em 2010, e Marcelo Oliveira, em 2012, ambos com um aproveitamento de 26,6%. Nenhum dos dois, no entanto, chegou a comandar o time por mais de dez partidas – Roth pediu demissão após cinco jogos, se transferindo para o Internacional.

RANKING DE APROVEITAMENTO DOS TREINADORES DO VASCO NOS ÚLTIMOS ANOS
– Números entre 2010 e 2020

1º – Ricardo Gomes – 2011 – 44 jogos – 24 vitórias – 13 empates – 7 derrotas – 64,39% de aproveitamento
2º – Vagner Mancini – 2010 – 19 jogos – 10 vitórias – 5 empates – 4 derrotas – 61,4% de aproveitamento
3º – Gaúcho* – 2012/2013 – 18 jogos – 10 vitórias – 3 empates – 5 derrotas – 61,1% de aproveitamento
4º – Cristóvão Borges – 2011/2012 – 78 jogos – 41 vitórias – 18 empates – 19 derrotas – 60,2% de aproveitamento
5º – Adílson Batista – 2013/2014 – 52 jogos – 24 vitórias – 21 empates – 7 derrotas – 59,6% de aproveitamento
6º – Jorginho – 2015/2016 – 87 jogos – 43 vitórias – 24 empates – 19 derrotas – 58,6% de aproveitamento
7º – Cristóvão Borges – 2017 – 14 jogos – 7 vitórias – 2 empates – 5 derrotas – 54,7% de aproveitamento
8º – Doriva – 33 jogos – 2015 – 15 vitórias – 9 empates – 9 derrotas – 53,5% de aproveitamento
9º – Gaúcho – 2010 – 10 jogos – 5 vitórias – 1 empate – 4 derrotas – 53,3% de aproveitamento
10º – Joel Santana ** – 2015 – 17 jogos – 7 vitórias – 6 empates – 4 derrotas – 52,9% de aproveitamento
11º – Zé Ricardo – 2017/2018 – 50 jogos – 22 vitórias – 13 empates – 15 derrotas – 52,6% de aproveitamento
12º – Ramon – 2020 – 18 jogos – 8 vitórias – 4 empates – 6 derrotas – 51,8% de aproveitamento
13º – Vanderlei Luxemburgo – 2019 – 37 jogos – 15 vitórias – 12 empates – 10 derrotas – 51,3% de aproveitamento
14º – Paulo Autuori – 2013 – 13 jogos – 6 vitórias – 2 empates – 5 derrotas – 51,2% de aproveitamento
15º – Alberto Valentim – 2018/2019 – 41 jogos – 17 vitórias – 11 empates – 13 derrotas – 50,4% de aproveitamento
16º – Celso Roth – 2015 – 13 jogos – 6 vitórias – 1 empate – 6 derrotas – 48,7% de aproveitamento
17º – Milton Mendes – 2017 – 27 jogos – 11 vitórias – 6 empates – 10 derrotas – 48,1% de aproveitamento
18º – PC Gusmão – 2010/2011 – 39 jogos – 14 vitórias – 14 empates – 11 derrotas – 47,8% de aproveitamento
19º – Jorginho – 2018 – 10 jogos – 4 vitórias – 1 empate – 5 derrotas – 43,3% de aproveitamento
20º – Abel Braga – 2020 – 14 jogos – 4 vitórias – 5 empates – 5 derrotas – 40,4% de aproveitamento
21º – Dorival Júnior – 2013 – 29 jogos – 9 vitórias – 8 empates – 12 derrotas – 40,2% de aproveitamento
22º – Ricardo Sá Pinto – 2020 – 12 jogos – 2 vitórias – 5 empates – 5 derrotas – 30,5% de aproveitamento
23º – Marcelo Oliveira – 2012 – 10 jogos – 2 vitórias – 2 empates – 6 derrotas – 26,6% de aproveitamento
Celso Roth – 2010 – 5 jogos – 1 vitória – 1 empate – 3 derrotas – 26,6% de aproveitamento

* Contabilizado o jogo entre Vasco e Palmeiras pelo Brasileiro de 2011, onde Gaúcho assumiu como interino após a saída de Cristóvão Borges e antes da chegada de Marcelo Oliveira.

** Não contabilizados os jogos ABC x Vasco e América-MG x Vasco, em setembro de 2014, onde Jorge Luiz assumiu interinamente. Não computada também a partida entre Vasco x Bragantino, onde Marcelo Salles assumiu interinamente.

Obs: não contabilizados os aproveitamentos de técnicos interinos, como Gaúcho – apenas quando foi efetivado -, Marcelo Salles, Valdir e Marcos Valadares.



MaisRecentes

Pikachu se torna um dos 15 maiores artilheiros do Vasco na história do Brasileiro



Continue Lendo

Pikachu ultrapassa Alecsandro no ranking de artilheiros do Vasco neste século



Continue Lendo

Benítez e Pikachu sobem no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo