Raúl Cáceres: uma aposta na regularidade



Cáceres teve números discretos na Libertadores 2018 (Foto: AFP)

Se eu te disser que conheço o futebol de Raúl Cáceres, um dos reforços do Vasco para 2019, e que tenho uma opinião formada sobre ele pelo o que vi até hoje, estaria mentindo. O lateral até foi titular nas partidas contra o Palmeiras que assisti, pela Libertadores deste ano – inclusive aquela vencida pelos paraguaios, em que Felipe Melo foi expulso aos três minutos -, mas não seria verdade se eu afirmasse que me recordo de sua atuação. O que não quer dizer que tenha ido mal.

O que me lembro do Cerro 2018 é de um time que atuava bem mais pelo lado esquerdo, aproveitando bem o apoio de Arzamendia, que terminou a competição sul-americana como o 2º lateral que mais acertou cruzamentos (10), ficando atrás apenas de Cortez (11), do Grêmio. Foi dele, inclusive, o gol da vitória sobre o Alviverde, em São Paulo. O canhoto terminou ainda a copa com 13 assistências para finalização e duas para gol, enquanto que Cáceres não deu nenhum passe para um de seus companheiros marcar e apenas três para tentarem. Números que mostram um lateral bastante discreto no apoio. Ao menos nesta Libertadores.

Essa discrição, mais uma vez, não quer dizer que seja algo negativo. Consistência defensiva deve ser uma das prioridades de Alberto Valentim para 2019, e essa precaução demonstrada por Raúl pode sinalizar uma melhora no lado que há tempos ninguém se firma no Vasco. Apenas em 2018, cinco jogadores foram testados na posição: Pikachu – que logo foi adiantado para o ataque -, Rafael Galhardo, Lenon, Raul e Luiz Gustavo. O último, zagueiro de origem, terminou como titular, mas longe de ter o status de solução.

Cáceres, porém, também não teve esta condição no Cerro. Ao menos não com a torcida. Não é difícil encontrar críticas dos cerristas ao seu futebol – inclusive defensivamente – pelas redes sociais. Portanto, é necessário cautela para que não se crie uma alta expectativa simplesmente por vir de fora, como aconteceu com outros paraguaios recentemente, casos de Julio dos Santos, Aranda e Irrazábal.

Por outro lado, mesmo sem ter caído nas graças dos torcedores, Raúl fechou 2018 como o jogador de linha que mais atuou pelo time, com 50 partidas de um total de 56 realizadas pela equipe na temporada. Todas elas como titular e atuando os 90 minutos. Desde 2016, quando chegou ao Cerro Porteño, foram 138 jogos. Para um clube que sofreu durante todo uma temporada com lesões e desgastes físicos, como o Vasco, uma boa referência do que está contratando: regularidade. Ao menos física.

RAUL CÁCERES NA LIBERTADORES 2018

8 jogos
0 gols
0 passes para gol
3 assistências para finalização
1 finalização em gol
2 finalizações para fora
274 passes certos (2º mais acionado do time)
40 passes errados
5 cruzamentos certos
22 cruzamentos errados
11 desarmes
2 interceptações
31 rebatidas defensivas

Youtube: Canal do Garone
Twitter: @BlogDoGarone
Facebook: /BlogDoGarone
Instagram:@BlogDoGarone

 



MaisRecentes

No Vasco, a base decide até no profissional



Continue Lendo

Tiago Reis iguala marca de Valdir e busca recorde de Jardel na Copinha



Continue Lendo

Uma geração de esperança no Vasco



Continue Lendo