O que esperar de Ribamar no Vasco?



Ribamar é o novo reforço do Vasco para 2019 (Foto: Fabio Wosniak/Athlético-PR)

Aos 21 anos de idade, muitos jogadores ainda aguardam a primeira oportunidade no time profissional. Ou então vivem aquela fase de transição, onde ganhar minutos em campo é algo gradativo e lento, quase uma romaria no verão. Ribamar, com a mesma idade, chega ao Vasco após passagens por cinco clubes, três países diferentes e uma incerteza: o que esperar do atacante?

De boa estatura – 1,84 m -, forte, rápido e jovem, Ribamar é um raro centroavante canhoto com diversas valências físicas que chamam a atenção para um jogador da sua posição. Porém, pesa sobre ele o fato de não ser um grande finalizador. E, como sabemos, um camisa 9 que não faz gols é um semi-eunuco.

Quando surgiu no Botafogo, no Carioca de 2016, com apenas 18 anos, pecava muitos pelas decisões erradas, prendendo excessivamente a bola. Fazendo uma pesquisa no Números da Bola, outro blog que escrevo para o LANCE! desde 2015, vi que o jogador, naquele Estadual, foi o líder de perdas de posse em diversos jogos, assim como o que mais errou finalizações em várias partidas do Glorioso. Muito volume e pouco acerto.

No caso da individualidade, até natural para atletas tão jovens que despontam rapidamente, algo que pode ter mudado nestes três anos como profissional. O segundo problema, a pontaria, no entanto, não demonstrou aprimoramento em sua última passagem pelo Brasil, quando defendeu o Athlético, entre 2017 e o início de 2018. Foram apenas cinco gols em 28 jogos, números discretos para um atacante.

Talvez seja o caso de Ribamar trocar a 9 pela 7, usando mais suas qualidades físicas, onde se sobressai, do que as técnicas, de onde vêm as principais críticas. Até porque, no Vasco, a 9 tem nome e sobrenome: Maxi López. Se quiser brigar por vaga de titular, terá que ser pelos lados do campo, podendo revezar em alguns momentos com o argentino, como chegou a fazer com Pablo, mo Furacão. Para o pivô de Maxi funcionar, no entanto, Ribamar terá que começar a ser o que nunca foi, nem na base: um artilheiro.

Um rápido atacante de lado de campo, individualista, com dificuldades de jogar coletivamente com a bola, um centroavante com problemas de finalização ou um jovem com estas qualidades e que vem atenuando os seus defeitos? Qual Ribamar chega ao Vasco? Aí depende do quanto o jogador evoluiu este ano e como Valentim, com quem trabalhou no Egito, decidirá utilizá-lo na equipe.

Pela idade, custo e potencial retorno – sem pagar nada o clube ficará com 50% de seus direitos econômicos, segundo informações -, uma boa aposta do Vasco pelo lado da oportunidade de mercado. Em campo, porém, terá que fazer valer a confiança depositada pelo treinador e, enfim, se firmar em uma equipe.

NÚMEROS DA CARREIRA DE RIBAMAR

2016 – Botafogo – 4 gols em 32 jogos
2017 – Munique 1860 – 0 gols em 4 jogos
2017 – Atlético-PR – 5 gols em 20 jogos
2018 – Atlético-PR – 0 gols em 8 jogos
2018 – Pyramids – EGY – 2 gols em 3 jogos
2018 – Ohod – KSA – 3 gols em 11 jogos
TOTAL: 14 gols em 78 jogos

Youtube: Canal do Garone
Twitter: @BlogDoGarone
Facebook: /BlogDoGarone
Instagram:@BlogDoGarone



MaisRecentes

Em 2019, Vasco já renovou os contratos de oito destaques oriundos da base



Continue Lendo

Publicitário lançará livro-calendário sobre a história do Vasco



Continue Lendo