O que esperar de Germán Cano no Vasco



Germán Cano defenderá o Vasco em 2020 (Foto: Divulgação/Vasco)

O Vasco precisava de um atacante que lhe oferecesse um volume de gols superior ao dos atuais artilheiros do clube – Marrony e Pikachu fecharam 2019 com apenas 10 tentos cada. E encontrou: Germán Cano.

Maior artilheiro da história do Independiente Medellín, o argentino chega à São Januário referendado pelo ótimo desempenho no clube colombiano. Apenas nas duas últimas temporadas – teve duas passagens pelo time -, foram 68 gols em 88 partidas. Uma média de 0,77 bolas na rede por jogo em 2018/2019.

Além dos números soltos, porém, como costuma ser o rendimento do novo reforço vascaíno? Quais as suas principais características? Como costuma balançar as redes? É bom no jogo aéreo? Cai pelos lados ou atuas mais centralizado?

Pra responder essas perguntas – e algumas outras – analisei 81 dos 89 gols gols marcados por Cano – não encontrei oito deles – vestindo as camisas de Leon e Pachuca, ambos do México, e em sua última passagem pelo Medellín.

EXPLOSÃO E ATAQUE AOS ESPAÇOS

Uma das principais características do jogador são as diagonais nas costas dos zagueiros. Apesar de não ser um atacante com características de movimentação, capaz de criar jogadas pelos lados, Cano tem na velocidade, nas arrancadas curtas, uma de suas grandes virtudes. Dos 81 gols analisados, 23 saíram em infiltrações pelo meio, muitas delas partindo no limite da linha de impedimento, “marcando o zagueiro” antes de explodir.

No Independiente, porém, Germán contava com os passes do talentoso camisa 10 Andrés Ricaurte, principal garçom do Campeonato Colombiano em 2019, com nove assistências. No Vasco, no entanto, a vaga de meia central não existiu nesta temporada, com Luxemburgo optando por jogar com três volantes e três atacantes.

O clube ainda busca alguém para essa função no mercado.

POSICIONAMENTO E FARO DE GOL

Os gols em arrancadas por dentro só não superam em volume os tentos anotados a partir de cruzamentos. Foram 26 no total, entre os analisados, além de seis rebotes. E certamente não foi pela altura.

Mesmo não sendo um centroavante muito alto – tem 1,76 m -, Cano marcou 13 vezes de cabeça. Agressivo dentro da área e com boa leitura de jogo, o atacante costuma de deslocar bastante dentro da área para se desvencilhar da marcação.

Dos 81 gols analisados, 78 foram na grande área.

QUAL A PERNA BOA?

Rápido na hora de definir as jogadas, Cano parece não fazer muita cerimônia quando a bola cai em sua perna esquerda. Dos 81 gols analisados, 16 foram marcados de canhota, mesmo sendo destro. Um deles, inclusive, de fora da área – de apenas três anotados nesta distância.

NA MARCA DA CAL

Há quem pense que pênalti é sinônimo de gol. Bom, no Vasco 2019 não foi. Das 12 infrações marcadas ao seu favor no Campeonato Brasileiro, o time desperdiçou quatro, a pior marca da competição. Um desempenho que tende a melhorar com a chegada do argentino.

Cano marcou 19 dos 81 gols analisados em cobranças de pênalti, variando a batida e mostrando calma na batida. Uma especialidade que fez falta ao Cruz-Maltino nesta temporada.

PONTOS NEGATIVOS

Germán Cano, no entanto, não é Pelé, obviamente. Como todo jogador, tem os suas dificuldades e limitações.

Aos 31 anos, já não é o atacante veloz que iniciou a carreira pelo Lanús atuando mais pelos lados. Apesar de explosivo na hora de concluir as jogadas, não é um jogador de movimentação constante. Por vezes, sem a bola, parece desligado do jogo, contribuindo pouco com uma possível pressão alta – pode ser opção do treinador também, é claro.

Além disso, mais fixo no corredor central, sem se deslocar pelos lados, Cano participa pouco também na criação. Não é um jogador de técnica apurada, refinado, mas sim um grande finalizador. Ainda assim, quando a bola não chega, recua para participar mais. No entanto, quase sempre para concluir ele próprio as jogadas, mesmo de fora da área.

No último Campeonato Colombiano, por exemplo, deu apenas uma assistência para gol.

No Vasco de Luxemburgo, essa pressão alta e troca de posições no ataque era importante – principalmente com a presença de Talles Magno em campo. Vamos ver como se portará o time de Abel Braga em 2020 com o seu novo atacante.

ANÁLISE DOS GOLS DE GERMÁN CANO

Total de gols analisados: 81, entre 2015 e 2019

52 gols de direita
16 gols de esquerda
13 gols de cabeça

26 gols concluindo cruzamentos
23 gols infiltrando pelo meio
19 gols de pênalti
6 gols em rebotes
3 gols em jogadas individuais
3 gols de fora da área
1 gol infiltrando pelo lado



MaisRecentes

Os maiores artilheiros do Vasco nessa década



Continue Lendo

A paixão de Romário



Continue Lendo

A evolução de Andrey no meio-campo do Vasco em 2020



Continue Lendo