Mais do que casa, São Januário é a arma do Vasco



Vasco venceu 8 dos 12 jogos em São Januário (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Escrevi uma crítica aqui, em julho, sobre as vendas de mando de campo realizadas pelo Vasco durante o Campeonato Brasileiro. Atuando em Brasília, foi goleado pelo Corinthians, por 4 a 1, e empatou em 1 a 1 com o Flamengo. Mais pra frente, em setembro, trocou São Januário pelo Maracanã, e novamente foi atropelado: 3 a 0 para o Santos.

Três partidas como mandante longe de seu estádio em apenas um ponto conquistado. Algo até certo ponto previsível, tendo em vista que a última vitória vascaína longe da Colina Histórica pelo Brasileirão aconteceu em novembro do ano passado, quando os cariocas derrotaram o Cruzeiro no Mineirão por 1 a 0, com gol de Paulão.

Atualmente ocupando a 13ª colocação – o Botafogo, que enfrenta o Ceará nesta segunda-feira, ainda pode ultrapassar o Vasco -, a equipe cruz-maltina tem, em São Januário, um aproveitamento de líder. Em 12 confrontos em seu estádio, venceu oito, empatou dois e perdeu apenas duas vezes, conquistando 72,2% dos pontos disputados – 8ª melhor marca como mandante. O Palmeiras, primeiro colocado na competição, tem uma média geral de 67%.

É claro que não dá para jogar as 38 rodadas em seu estádio, mas a diferença de rendimento dentro e fora é assustadora. Longe da Colina, o Vasco ganhou somente 15,6% dos pontos que disputou – 4ª pior marca da Série A -, obtendo oito empates, nove derrotas e nenhuma vitória.

Exatamente por isso, abrir mão de sua casa no meio campeonato foi um erro, ao meu ver. Com o aproveitamento que tem tido, dos nove pontos jogados longe como mandante, ao invés de um, o clube teria conquistado pelo menos mais seis, o que o colocaria hoje na 8ª posição, bem distante da zona de rebaixamento.

Das nove rodadas que restam, em quatro o Cruz-Maltino será o mandante: contra Internacional, Atlético Paranaense, São Paulo e Palmeiras. Três times que lutam pelo título e um que ainda sonha com o G6.

Que a diretoria vascaína olhe não apenas para os números financeiros, mas também para os rendimentos técnicos, antes de pensar em abrir mão de seu estádio mais uma vez neste Brasileiro. Até porque, uma nova queda afetaria muito mais o orçamento do clube do que alguns milhares de reais recebidos por abrir mão de seu campo.

Mais do que casa, São Januário é uma das armas do Vasco.

RENDIMENTO DO VASCO

Vasco em São Januário – 72,2% – 12 jogos – 8 vitórias – 2 empates – 2 derrotas
Vasco fora de São Januário – 15,6% – 17 jogos – 0 vitórias – 8 empates – 9 derrotas

Youtube: Canal do Garone
Twitter: @BlogDoGarone
Facebook: /BlogDoGarone
Instagram:@BlogDoGarone

 



MaisRecentes

Thiago Galhardo ultrapassa Wagner e Andrey no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

O indefensável



Continue Lendo

Reforços que não jogam: uma prática comum no Vasco há mais de duas décadas



Continue Lendo