Luxemburgo no Vasco seria uma mudança muito maior do que apenas de treinador



Luxemburgo passou por Flamengo e Cruzeiro em 2015 (Foto: Gilvan Souza/Flamengo)

Luxemburgo passou por Flamengo e Cruzeiro em 2015 (Foto: Gilvan Souza/Flamengo)

A incerteza sobre o futuro de Jorginho no Vasco abriu brecha para que nomes de substitutos rolassem por São Januário. O primeiro deles, e possivelmente o mais forte, o de Vanderlei Luxemburgo.

Isaías Tinoco, gerente de futebol do clube e grande amigo do treinador, negou a investida, mas a possibilidade parece real. Até mesmo a confirmação no interesse por Luis Fabiano aumenta a dúvida, já que o centroavante foi levado justamente pelo treinador para o futebol chinês.

Reeditar a dupla em São Januário não seria uma surpresa.

E essa talvez seja a principal ajuda que Vanderlei possar dar ao clube caso realmente seja feita esta troca no comando técnico: a capacidade de trazer jogadores. Luxa tem contatos, é experiente, conhece o meio, mantém bom relacionamento com jogadores, dirigentes e empresários.

Seria uma porta para novos reforços, algo que o clube tem tido dificuldades para conseguir.

O Vasco hoje precisa mais dessa capacidade de Luxemburgo, de negociar, do que da de treinador. Os últimos anos não mostram um desempenho muito melhor ao de Jorginho, por exemplo.

Separar as duas funções seria uma opção, mas com o atual técnico tendo maus resultados no fim da temporada, parece uma contratação para duas frentes.  O próprio Vanderlei já se manifestou contrário a deixar o banco de reservas para ficar apenas como gerente.

Porém, é necessário que se faça um acordo bem costurado, para que uma possível troca no meio da temporada não resulte em uma debandada geral no elenco. Deixar o poder do futebol na mão de apenas uma pessoa é um risco. Esse talvez seja o grande motivo para que a função de ‘manager-treinador’ ainda não tenha sido implantada no país.

Na Europa funciona porque há durabilidade no trabalho. No Brasil, não.

Essa incerteza no cargo de técnico dificulta a chance das duas funções serem exercidas pela mesma pessoa, já que uma possível saída acarretaria numa mudança maior na estrutura. É nisso que a diretoria deverá pensar, caso a negociação com Luxemburgo realmente aconteça.

A chegada de Luxa no Vasco seria uma mudança muito maior do que apenas de treinador. Afetaria toda a estrutura de futebol do clube, o que realmente precisa acontecer. Resta saber se a diretoria estaria disposta a abrir mão do próprio poder.



MaisRecentes

Bruno César não é Maxi López



Continue Lendo

Sub-20 do Vasco poderá superar o desempenho do time de 2010, que revelou Allan e Luan



Continue Lendo

A Martín o que é de Martín



Continue Lendo