A lágrima que não seca em Bangu



Guilherme Costa marcou seu 1º gol pelo Vasco (foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Guilherme Costa marcou seu 1º gol pelo Vasco (foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Bangu muitas vezes é quente demais até para respirar. Um amigo que jogou nas divisões de base do clube, no fim dos anos 90, certa vez me disse que suava poeira no aquecimento e buscava uma sombra para o esquecimento durante os coletivos.

Não transpirava, transpassava.

Há de se ter mais do que pulmões, é preciso coração para encarar Moça Bonita numa tarde de verão. E poucos verão como é bonita esta moça quando lhe pedem para fazer o papel como anfitrião.

Bronzeada pelo sol e conservada pela Pedra Branca, carrega em sua origem proletária – como todo banguense – também a luta pela inclusão social. Como o Vasco.

Duelaram, portanto, nesta quinta-feira, dois irmãos de história. Dois pioneiros no Rio de Janeiro, que batalharam diversas vezes de dezembro a dezembro para que nem tudo ficasse a gosto de ‘qualquer Julio’.

Pioneirismo que assistiu o debute de Guilherme Costa com a rede.

Planejado para impulsionar a Fábrica de Tecidos Bangu, o bairro se esqueceu de guardar panos para secar o rosto do garoto que marcara seu primeiro gol como profissional pelo Cruz-Maltino, na vitória de seu time por 3 a 1 nesta tarde.

Lágrimas soltas onde muitos são presos.

Guilherme subiu em 2013 para o amistoso de despedida de Pedrinho. Se despediu duas vezes do clube para defender outras camisas que não aquela que escolheu vestir na juventude. Em Bangu, subiu novamente, desta vez acompanhado do adversário para se ver livre das algemas de ‘eterna promessa’.

Eternizou seu momento indo mais alto que o marcador, mostrando não ter salto desde que estreou. Arrisca sem medo e chora sem covardia. Esconde o rosto mas não o futebol.

Hoje, muita gente chora em Bangu – por desvios ou envios. Mas só as lágrimas de Guilherme não secam. Nem empoeiram.



MaisRecentes

Bruno César não é Maxi López



Continue Lendo

Sub-20 do Vasco poderá superar o desempenho do time de 2010, que revelou Allan e Luan



Continue Lendo

A Martín o que é de Martín



Continue Lendo