A ineficiência ofensiva do Vasco



Pikachu teve duas oportunidades, mas errou o passe final (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Pikachu teve duas oportunidades, mas errou o passe final (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Escrevi, após o empate deste sábado entre Vasco e Chapecoense, sobre a dificuldade dos cruzmaltinos em marcar gols. Na ocasião, citei, entre outras coisas, que o time jogava as oportunidades para fora como se fossem camisas velhas. E fui atrás de números que corroborassem essa impressão. Achei.

De acordo com dados do Footstats, o clube de São Januário tem o 3º pior aproveitamento na relação finalização/gol. Para estufar as redes, a equipe precisa, em média, de 12,5 tentativas. Apenas Avaí (14,9) e Atlético Goianiense (13,9) possuem desempenhos inferiores.

Nos 26 jogos já disputados, os vascaínos tentaram 325 finalizações, acertaram apenas 105 no alvo e marcaram somente 26 gols – 4º pior ataque.

Andrés Rios, autor do gol, por exemplo, acertou suas primeiras finalizações no alvo neste fim de semana, em sua 6ª partida. Uma foi na rede. A outra, sem goleiro, parou no zagueiro. Todas as outras oito tentativas do atacante, somando todos os seus jogos, foram para fora.

Após a partida contra a Chape, Zé Ricardo destacou a evolução do time em relação ao duelo com o Sport, na rodada anterior. Justo, houve melhora. Porém, o próprio treinador já havia dito que a atuação contra os pernambucanos não poderia servir como parâmetro, já que foi uma partida muito ruim. É bom, mas ainda é insuficiente. Tem faltado capricho e calma para definir.

O Vasco segue ineficiente na hora de decidir seus jogos. Inclusive quando produz para isso.



MaisRecentes

Mudança no Vasco precisa ir além de Valentim



Continue Lendo

Aproveitamento de Valentim foi inferior ao de Zé Ricardo e outros 11 técnicos que passaram pelo Vasco nesta década



Continue Lendo

O óbvio



Continue Lendo