A importância dos laterais no esquema de Sá Pinto no Vasco



Neto Borges foi um dos destaques do Vasco (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Os dois gols de Germán Cano condicionam ele, inegavelmente, à condição de destaque do Vasco na vitória por 2 a 0 sobre o Sport, neste sábado. No primeiro tento, antecipando o zagueiro. No segundo, atacando as suas costas. Movimentação de artilheiro que explica os ótimos números do atacante apesar do recente jejum.

Cano, no entanto, é apenas o ponto final de uma frase que aos poucos vem sendo escrita pelo técnico Ricardo Sá Pinto. A sua construção se inicia, na verdade, na implantação dos três zagueiros. Esse foi o terceiro jogo da equipe nesse formato, o segundo em que não sofreu gols, mesmo sem Leandro Castan e Miranda, diagnosticados com Covid.

A melhora defensiva já vinha sendo notada nas últimas partidas, mas faltava acertar a transição. E se Talles Magno e Benítez ainda seguem devendo sob o comando do português, Neto Borges e Léo Matos, novos titulares das laterais, assumiram a responsabilidade de levar o Vasco ao ataque. Ao menos foi o que se viu contra o Leão, com os dois sendo as válvulas de escape do time.

Acionados quase sempre por Leo Gil e Andrey, Neto e Léo tiveram números de meias ofensivos no duelo. Autor da assistência para o segundo gol de Cano, Borges deu ainda mais dois passes decisivos, um deles exatamente para Matos finalizar com perigo sobre o gol de Maílson. De lateral para lateral, algo inimaginável no Vasco até outro dia.

E essa não foi a única chegada de Léo Matos com perigo. Quase no fim do 1º tempo, o camisa 3 vascaíno recebeu ótimo passe de Andrey e finalizou para boa defesa do goleiro pernambucano com o pé. Na etapa final, Yago Pikachu, que ocupou sua vaga, também apareceu com perigo duas vezes na área. Na primeira, batendo sem deixar cair aproveitando um belo lançamento de Leo Gil. Na segunda, ajeitando para Tiago Reis desperdiçar.

Neto Borges criou mais do que Talles Magno e Benítez juntos. Léo Matos, por sua vez, finalizou mais vezes que os dois somados – apenas Talles arriscou um chute, sem perigo. Enquanto os homens de ligação de Sá Pinto não dão liga, os laterais ajudam o Vasco a tentar comer pelas beiradas.

*Com números do Sofascore



MaisRecentes

Léo Matos passa Pikachu no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Cano já é o 6º maior artilheiro estrangeiro da história do Vasco



Continue Lendo

Gustavo Torres marca seus primeiros pontos no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo