Guarín e mais dois: como o Vasco ainda se movimenta atrás de reforços



Guarín marcou três gols pelo Vasco em 2019 (Foto: Marcelo Gonçalves/Photo Premium)

Entre saídas por fim de contrato e empréstimos realizados, foram 23 jogadores deixando o Vasco nessa virada de ano. Quatro deles, titulares: o zagueiro Oswaldo Henríquez, os volantes Richard e Guarín e o atacante Rossi. Para suprir estas baixas, até agora o clube anunciou apenas a contratação do atacante Germán Cano, e os retornos do goleiro Jordi, que estava no CSA, e do meia Lucas Santos, que atuou pelo CSKA, da Rússia. Além deles, chegaram ao elenco jovens oriundos da base, como Vinícius, Juninho, Miranda e João Pedro, destaques da equipe sub-20.

O Vasco, porém, segue no mercado em busca de novos nomes.

O blog conversou com o diretor de futebol do Vasco, André Mazzuco, que confirmou as prioridades para o time neste início de ano: renovar com o meia colombiano e trazer mais dois reforços. Ambos para o setor ofensivo.

Com capacidade de fazer mais de uma função no meio-campo, atuando tanto como 1º volante – Abel gosta de fazer a saída com um meia entre os zagueiros – quanto mais avançado, chegando na área pra finalizar, Guarín é visto como peça-chave para a temporada. E as negociações têm avançado.

“Há interesse mútuo. Estamos conversando bastante e tentando equalizar dentro do cenário atual do Vasco. Há boa vontade também da parte dele e de seu agente. Isso tem sido importante”, disse o diretor com exclusividade para o blog.

Na última semana, algumas notícias sobre a chegada de um novo volante ao Vasco surgiram, como o possível interesse em Jucilei, do São Paulo, e no colombiano Gustavo Carvajal, do América de Cali. Ambos foram desmentidos pelo dirigente. Muito por conta da provável permanência de Guarín.

O foco na verdade é outro: o setor ofensivo. Principalmente na criação.

“É uma posição que não temos ninguém de ofício pra fazer apesar do Abel gostar de jogar em um 4-2-4 sendo o ‘ponta’ do lado direito preferencialmente um meia.”, revelou Mazzuco em contato com o blog.

Além de monitorar um meia, posição carente no elenco – Bruno César foi afastado do grupo -, o Vasco também procura uma peça de reposição para o ataque. Não necessariamente um reserva para Cano, mas um jogador que possa ser opção na ausência de Talles Magno e até numa possível saída do jovem na próxima janela. Em seu orçamento para 2020, o clube informou que espera arrecadar R$ 46 milhões com venda de atletas.

“Estamos buscando dar oportunidades aos atletas do clube, somados a uma base que já vem da temporada anterior. Tivemos algumas saídas naturais e outras que temos a intenção de repor. Mas apenas no momento e nas condições que podemos fazer. Temos atletas que podem aproveitar essa oportunidade e se firmarem no grupo. E, na medida do possível reforçaremos pontualmente. Trouxemos um atleta que vem de duas temporadas muito boas (Cano), que já era monitorado por nós há muito tempo, e em uma posição difícil de encontrar na qual o Vasco estava carente. Agora queremos reforçar naturalmente alguns setores que entendemos que precisamos. Já temos atletas para compor o grupo e que podem evoluir, assumindo papeis importantes. Os que vierem precisam chegar para assumir as posições.”, completou o diretor de futebol vascaíno.



MaisRecentes

Os maiores artilheiros do Vasco nessa década



Continue Lendo

A paixão de Romário



Continue Lendo

A evolução de Andrey no meio-campo do Vasco em 2020



Continue Lendo