Após Viola e Meneghel, Resende volta a apostar em ex-vascaínos para chegar novamente à final da Taça Guanabara



Camisa 10 do Resende, Arthur é cria do Vasco (Foto: Divulgação/Vasco)

Apesar de ter sido fundado em 1909, o Resende pode ser considerado ainda um juvenil na elite do futebol carioca. Isso porque o clube chegou na 1ª divisão do Rio de Janeiro apenas em 2008, com uma ascensão meteórica iniciada em 2006, na terceira divisão estadual.

O primeiro duelo com o Vasco, no entanto, aconteceu bem antes disso. Em 1940, o Cruz-Maltino goleou por 5 a 1 em um amistoso. Dois anos depois, outro atropelo vascaíno: 7 a 1. Ao todo, foram 13 confrontos entre os times, que se enfrentam nesta quarta-feira, pela semifinal da Taça Guanabara, com dez vitórias do clube de São Januário, um empate e apenas um triunfo do Resende.

E para chegar à segunda vitória, a equipe resendense contará com alguns ex-vascaínos, assim como fez em 2011, no 1 a 0 que contou com a participação de Gabriel Appelt, hoje meia do Benfica, que acumula passagem pela base do Cruz-Maltino. Ou em 2009, quando chegou até a final da Taça Guanabara eliminando o Flamengo, vencendo o Rubro-Negro por 3 a 1 em pleno Maracanã. O Botafogo acabou campeão, mas o clube teve a sua melhor participação até hoje no Estadual, tendo como principal destaque o atacante Bruno Meneghel, outra revelação do clube carioca, além do lateral-direito Bruno Leite e dos centroavantes Fabiano Silva e Viola, que jogaram juntos no Vasco em 1999.

Viola atuou pelo Resende, em 2009 (Foto: Reprodução)

No atual elenco, três atletas já passaram pela Colina Histórica. Um deles, cria da base: o meia Arthur Faria. O camisa 10 do Resende foi campeão carioca sub-20 com o Vasco em 2010, atuando lado de nomes como Allan, atualmente no Napoli, o volante Rômulo, hoje no Grêmio, e o meia Marlone, que vem defendendo o Goiás. Arthur, porém, ao contrário de seus companheiros, jamais atuou pelos profissionais com a camisa vascaína, deixando o clube em 2013 rumo a Cabofriense.

O volante Joseph, autor do gol no empate em 1 a 1 com o Flamengo, na 2ª rodada do Carioca, é outro que passou pelo rival desta quarta. Porém, também não chegou a integrar o grupo principal. Contratado no fim de 2017, ainda pela gestão de Eurico Miranda, o jogador fez parte do chamado Expressinho, que participou de uma competição não-oficial no Vietnã. Na época, em nota oficial, o clube afirmou que era um projeto para captar jovens revelações do futebol brasileiro. Nenhum dos mais de 20 contratados, no entanto, ficaram no clube. Inclusive Joseph, que retornou ao São Gonçalo, equipe que o revelou.

Joseph, o 4º em pé, com o Expressinho do Vasco  (Foto: Sarah Borborema/Vasco)

Quem teve uma passagem meteórica por São Januário também foi o atacante Sabão. Em julho de 2015, o jogador passou por um período de testes no Vasco após se destacar pelo Gonçalense. Um mês depois, porém, acabou assinando com o Macaé.

Curiosamente, quem teve passagem mais destacada pelo Cruz-Maltino não estará em campo nas semifinais, mas sim no banco de reservas. O técnico Edson Souza, do Resende, foi volante do time vascaíno de 1992, que fez ótima campanha no Campeonato Brasileiro e se sagrou campeão carioca. Com um meio-campo recheado de craques, como Luisinho, Geovani, Bismarck e William, no entanto, Edson disputou apenas seis jogos com a camisa vascaína e marcou um gol, contra o Dom Bosco, do Mato Grosso, em um amistoso realizado em Cuiabá.

Edson com a camisa do Vasco, em 92 (Foto: Álbum Brasileiro 92/Panini)

Dez anos após brilhar com Viola, Fabiano, Bruno Leite e Meneghel, o Resende volta a apostar em ex-vascaínos para chegar à final da Taça Guanabara. Dessa vez, porém, o adversário será o próprio Vasco.

Youtube: Canal do Garone
Twitter: @BlogDoGarone
Facebook: /BlogDoGarone
Instagram:@BlogDoGarone



MaisRecentes

Talles Magno, Raul e Ribamar ganham posições no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Sub-20: Vasco contrata jovem do Coritiba e renova com atacante



Continue Lendo

Talles Magno, Ribamar e as ironias da bola



Continue Lendo