Afinal, quem são os maiores artilheiros estrangeiros da história do Vasco?



Cano é o artilheiro do Vasco na temporada (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

O sucesso de Germán Cano vem encantando o torcedor do Vasco. E não é por menos. Com 16 gols em apenas 23 jogos, o argentino já é o centroavante cruzmaltino com mais gols em uma temporada desde Alecsandro, em 2012, que estufou as redes 26 vezes em 58 partidas. E ainda tem muita bola pra rolar por Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana.

Por conta disso, tenho recebido várias mensagens perguntando se Cano pode se tornar o maior artilheiro estrangeiro da história do Vasco. Bom, se mantiver esse ritmo e permanecer no clube por mais alguns anos, sem dúvida alguma. Mas antes de dizermos se é possível alcançar esta marca, primeiro precisamos saber quem é o recordista atual. E eu fui atrás destes números.

Numa pesquisa inédita, levantei as estatísticas de todos os estrangeiros que atuaram com a camisa vascaína desde a estreia do futebol no clube, em 1916. Aliás, futebol esse que teve o seu primeiro gol anotado já por um estrangeiro, o português Adão Antônio Brandão, um dos primeiros ídolos do clube, nascido em Penafiel.

A relação do clube com jogadores vindos de fora, no entanto, se consolidaria na década de 30, com a profissionalização do futebol. Foi quando ocorreu o chamado ‘platinismo’, em referência ao Rio da Prata, que é parte do limite entre Argentina e Uruguai. Em 1934, o Vasco foi campeão carioca tendo em suas linhas os argentinos Calocero, Kuko, Novamuel, Lamanna e D’Alessandro.

Apesar do sucesso dos argentinos em 1934, o maior artilheiro estrangeiro da equipe de São Januário é um uruguaio, que chegou ao clube em 1938: Villadoniga.

Villadoniga em destaque no Jornal A Noite de 8 de agosto de 1939

Revelado pelo Peñarol, titular do Uruguai na Copa América de 37, ‘El Architeto’, como era chamado, foi o principal goleador do time nos anos de 1939, 1940 e 1942, quando se transferiu para o Palmeiras, onde também se tornou ídolo. Ao todo, pelo Vasco, Villadoniga estufou as redes 83 vezes em 116 jogos, obtendo uma média de 0,71 bolas na rede por atuação. O aproveitamento atual de Cano é de 0,69.

Apesar da temporada atípica, com paralisação em razão da pandemia de Covid-19, Germán já aparece no top 10 dos estrangeiros com mais gols na história do Cruzmaltino. Em apenas 23 jogos, igualou a marca de Andrés Ríos, outro argentino que defendeu a camisa vascaína recentemente, mas que precisou de 71 partidas para estufar as redes 16 vezes. Os dois dividem a 8ª posição no ranking, porém, ao que tudo indica, por pouco tempo.

MAIORES ARTILHEIROS ESTRANGEIROS DA HISTÓRIA DO VASCO
– Levantamento inédito, feito pelo Blog do Garone

1º – Villadoniga – uruguaio – 83 gols
2º – Parodi – paraguaio – 37 gols
3º – Alfredo González – argentino – 29 gols
4º – Petkovic – sérvio – 28 gols
5º – Lamanna – argentino – 25 gols
6º – Riascos – colombiano – 20 gols
7º – Danilo Menezes – uruguaio – 17 gols
8º – Germán Cano – argentino – 16 gols
Andrés Ríos – argentino – 16 gols
10º – Berascochea – uruguaio – 14 gols
Tenório – equatoriano – 14 gols



MaisRecentes

A impetuosidade de Cano



Continue Lendo

Neto Borges marca seus primeiros pontos no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

A importância dos laterais no esquema de Sá Pinto no Vasco



Continue Lendo