publicidade


Arquivo da Categoria ‘Vasco’

Arena Corinthians enfim apronta o teto

quinta-feira, 6 de março de 2014

Arena Corinthians

A Odebrecht vai colocar na semana que vem a peça da cobertura da Arena Corinthians que caiu do guindaste, cerca de quatro meses atrás, num acidente que provocou duas mortes. Inicialmente, se dizia que o impacto sobre a obra seria de dois a três meses. A Arena é uma das duas mais atrasadas para a Copa.

Barômetro
A margem da vitória na reeleição na Unimed deu a Celso Barros tranquilidade para se dedicar ao Fluminense. As promessas de contenção nos investimentos no clube devem valer no máximo neste ano. Para 2015, um novo planejamento deve ser feito.

Dívida ativa
Cinco meses após assinar com a Caixa, o Vasco já tem quase R$ 4 milhões inscritos na dívida ativa da União, que trata apenas de dívidas com a Fazenda e a Previdência. Se não pagar, não poderá receber a próxima parcela do patrocínio. Na época da Eletrobras, só a Justiça liberou os valores.

Do não ao talvez
Após esculhambar quem publicou que seria candidato a vice-presidente do Palmeiras na chapa de Wlademir Pescarmona, o ex-presidente Luiz Gonzaga Belluzzo (2009-11) mudou o discurso. Agora diz que toparia ser vice “a contragosto”, pela gratidão que tem por Pescarmona. Este garante Beluzzo em sua chapa.

Arena Corinthians
A construtora que está erguendo as arquibancadas removíveis da Arena Corinthians, já instala cadeiras no setor sul do estádio. No lado norte, onde houve um acidente com a queda de uma peça da cobertura, as obras começaram depois. Tudo precisa estar entregue até o dia 15 de abril.

Cronômetro
Conselheiros do grupo Só Fla,  o maior do Flamengo, pressionam o Conselho Deliberativo a cumprir os prazos estatutários para votar a proposta de emenda ao estatuto que redigiram. O Só Fla quer que a votação ocorra no máximo até setembro. Outras propostas tramitam por anos.

Fossilizado
Enquanto a maioria dos clubes brasileiros democratiza sua estrutura de poder, no São Paulo, nem a oposição defende eleição do presidente pelos sócios, muito menos por algum tipo de sócio-torcedor, como no Inter, Grêmio e Fluminense. A proposta mais ousada é reduzir os conselheiros vitalícios de 67% para 50%.

Tudo ou nada
A Portuguesa deve desistir de entrar na Justiça Federal do DF contra o STJD – esse foi o caminho que levou o Gama à vitória em 2000. É quase certo que vai tentar por São Paulo, onde já sofreu derrota. A ação deve ser protocolada hoje ou amanhã, após o fracassada via da articulação política.
Futebol e Carnaval

Tranquilidade
O presidente da CBF, José Maria Marin, deixou de acompanhar a Seleção Brasileira no último jogo antes da Copa do Mundo apenas por lazer. Marin está passando uma semana num resort na Bahia. Volta apenas segunda-feira ao trabalho. No mês que vem, Marco Polo Del Nero deverá ser eleito seu sucessor.

DE LETRA
“Quem viaja para pular o Carnaval samba na eleição”
Julio Casares Conselheiro da situação do São Paulo, sobre o rival Marco Aurélio Cunha, que no feriado viajou em vez de fazer campanha

Gobbi pode perder diretores em 2014

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

O presidente do Corinthians, Mario Gobbi, pode enfrentar uma debandada dos diretores, e justamente os que eram os mais fieis a ele no início do ano passado. Esses diretores se dizem abandonados por Gobbi – que não os ouviria nem liberaria recursos – e se sentem isolados diante da pressão de grupos rivais, que cobiçam seus cargos. Muitos estão deixando o clube aos poucos, sem alarde.

Encolhimento
Conselheiros do Corinthians que participam da diretoria dizem que o clube fechará 2013 com quase R$ 100 milhões a menos de faturamento do que em 2012. Dizem que a queda de receita na bilheteria e de marketing são as mais fortes no exercício deste ano.

O cofre e a bola
O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, disse a aliados que a prioridade para o ano do centenário não é esportiva, mas é econômica. Diz que o clube não tem dinheiro para investir e que não vê problema em passar o ano sem títulos. A prioridade é continuar na Série A. Procurado, Nobre não foi achado.

Arresto
A Justiça determinou o arresto de imóveis do ex-presidente da Lusa, Manuel da Lupa, e do ex-vice de futebol para pagar dívidas com o Banco Baniff. Da Lupa e Iaúca sustentam que a dívida é do clube e até contrataram parecer de um famoso advogado para defendê-los. O parecer foi pago pelo clube.

Sob investigação
A Portuguesa aparece no inquérito da Polícia Federal que apura suposto crime financeiro dos antigos executivos do Banco Baniff. O inquérito rastreou centenas de operações suspeitas, que causam prejuízo ao banco e ao Fisco. O volume total supera R$ 500 milhões. A Lusa aparece pelos empréstimos tomados pelos ex-dirigentes.

Tropa de elite
A oposição do Vasco tem um nome de reserva caso Jorge Salgado não aceite ser candidato a presidente. Fernando Horta deve ser o nome. A união das oposições tem atraído conselheiros que estavam fechados com Roberto Monteiro e até Eurico Miranda. O grupo quer definir a data da eleição.

Negativa
O diretor-executivo do Flamengo, Paulo Pelaipe, negou que o clube tenha procurado o Grêmio ou busque contratar Souza para este ano. Dias atrás, o atleta havia dito que tinha sido procurado pelo Flamengo. Pelaipe está em Porto Alegre, mas diz que foi passar o fim de ano com a família. O dirigente volta ao Rio até amanhã.

Patrocínio
A Puma vai tentar renovar com Pablo Vinicius, do Botafogo e da Seleção sub-15. A empresa, que apoia o atleta há dois anos, busca acordo mais longo. O jogador recebe produtos da marca, em troca de participar de eventos. A Puma também patrocina Neilton, do time principal do Santos.

Palanque
Conselheiros do Botafogo acusam o presidente Maurício Assumpção de usar dinheiro do clube para viabilizar candidatura a deputado. Assumpção fez há pouco tempo duas ações beneficentes na favela Dona Marta, que fica perto do Leme, o seu reduto. Assumpção é filiado ao PMDB.

DE LETRA
“Profissionalismo não é apenas ter diretores remunerados. É preciso competência”
Leonardo Gonçalves presidente do grupo de oposição Cruzada Vascaína.

Bom Senso quer ser ouvido no Brasil todo

sábado, 28 de dezembro de 2013

O Bom Senso vai lançar em janeiro um manifesto e uma grande ação de comunicação em redes sociais e veículos de mídia local. A avaliação é que o público e muitos jogadores de times pequenos estão mal-informados sobre o movimento. O Bom Senso vai continuar a subir o tom de suas manifestações, porque considera que a CBF ainda não o leva a sério.

Réveillon
Dias após virar vice de Futebol do Fluminense, Ricardo Tenório foi passar o Réveillon em Miami. Na sua empresa, no Rio, Tenório deixou avisado que só volta no dia 20 de janeiro, um dia após o reinício do Carioca. A reapresentação do Fluminense será no dia 7.

Transparência
A oposição do São Paulo cobra da diretoria que mostre o plano de negócios da Arena São Paulo e as garantias que o clube terá em caso de problemas na parceria para a reforma do Morumbi. Os conselheiros, favoráveis à ideia, não querem ouvir apenas explicações, pedem mais transparência.

Mirando o pé
Advogados esportivos do Rio criticaram a estratégia do Flamengo de atuar na defesa da Portuguesa no julgamento do STJD. Dizem que a medida era potencialmente suicida, porque, se a Lusa tivesse sido absolvida, e o Flamengo não, o rebaixado teria sido o Rubro-Negro. O vice jurídico do Fla, Flávio Willeman, não foi ao julgamento.

Denúncia
O ex-árbitro assistente Marçal Mendes entrou com ação no Ministério Público do Trabalho denunciando a FPF de cobrar taxa de inscrição dos árbitros. Também denunciou o ex-assistente Arthur Alves Pinto por acumular funções no sindicato, na cooperativa e cargo de confiança na FPF.

Fogo amigo
Aliados pressionam o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, a dispensar os diretores remunerados, a começar pelo diretor-geral Cristiano Koehler. Esses conselheiros e diretores defendem a volta da administração amadora, absorvendo conselheiros que estão sem cargo. O contrato dos executivos termina na terça-feira.

Distância
Líderes do Bom Senso negam que Paulo André se aproximou do presidente do sindicato dos atletas, Rinaldo Martorelli. Dizem que o corintiano está fora do país, com o celular desligado. O Bom Senso, desde o início, repeliu os líderes sindicais do futebol, que estão há quase 20 anos nos cargos.

Sem fundo
Candidato de oposição à presidência do São Paulo, Kalil Rocha Abdalla nega que poderosos empresários seus amigos tenham prometido criar um fundo de R$ 100 milhões para contratações em 2014. Rocha Abdalla disse que acertou apenas o apoio, sem discutir participação financeira.

Sonho de Natal
De férias, o diretor-executivo do Internacional, Newton Drummond, diz que não recebeu oferta do Botafogo pelo atacante Forlán. Drummond diz que a multa rescisória do contrato, que vai até 2015, é alta. Mas, como o Botafogo está na Libertadores-2014, o diretor não descarta uma proposta do Glorioso.

DE LETRA
“Quem assumir o clube no fim de 2014 não vai dar preferência para pagar dívidas que não estão em nome do Palmeiras”
Wlademir Pescarmona, conselheiro, alfinetando Paulo Nobre, que pegou dinheiro em seu nome para o clube.

Arena em Cuiabá não fica pronta neste ano

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

A Arena Pantanal não estará pronta no final do ano, como exige a Fifa. Um executivo de uma empresa que fornece cadeiras a estádios diz que é impossível instalar 42 mil cadeiras até lá, mesmo que a suspensão da licitação para escolher a empresa seja levantada logo. Segundo ele, só duas empresas devem participar da licitação, as que brigam na Justiça.

Pechincha
O preço mínimo dos ingressos do Allianz Parque poderá ser de R$ 12,50 durante os 30 anos de parceria. O valor previsto em contrato. O acordo não prevê nem mesmo correção monetária, o que pode levar a uma perda do valor real superior a 85% nesse período.

Retroativo
A Caixa vai pagar ao Vasco por todos os meses em que o clube exibiu a marca do banco antes de obter as CNDs e assinar o contrato – o que ainda não ocorreu. O que banco e clube negociam é como esse valor será pago, se em mais ou menos parcelas. A possibilidade de quitação à vista é considerada bem difícil até pelo clube.

Efeito dominó
Proprietários de cativas do Morumbi estão entrando com ações para deixar de pagar a taxa de manutenção das cadeiras. O motivo é a primeira vitória judicial de um proprietário, que alegou que a taxa não existia quando comprou a cadeira. O São Paulo recebe cerca de R$ 2,2 milhões/ano com a taxa.

Estratégia
O ex-diretor administrativo André Luis de Oliveira, dono de uma recuperadora de chassis de caminhões, é nome forte para ser vice na chapa de Roberto de Andrade, que deve ser o candidato a presidente do Corinthians em 2015. Se conseguir ,ficará em posição forte para ser o candidato em 2018

Mr. Kriptonita
José Francisco Manssur, assessor da presidência do São Paulo, criticou a declaração de Kalil Abdalla, candidato da oposição, de que iniciará as obras da cobertura do Morumbi apenas um mês após a eleição. Manssur disse que Abdalla nada fez para ajudar quando era diretor jurídico.

Pressa
O Ministro do Esporte Aldo Rebelo e o deputado federal Vicente Candido (PT) tentam apresentar neste ano o projeto que refinancia dívidas de clubes, de autoria do deputado. Dizem que tem o ok da presidente Dilma Roussef para o projeto virar medida provisória, de tramitação mais rápida.

De olho
O TCE do Paraná enviou ao TCU documento para impedir que o BNDES repasse parcelas do financiamento à Arena da Baixada. O TCE diz que o Atlético-PR deixou de pagar juros ao banco repassador. O órgão também oficiou o governo e a Prefeitura sobre quem pagará o aumento de R$ 80 milhões nos custos da obra.

Fênix Amorim
A reunião do Conselho Deliberativo que aprovou as contas da ex-presidente Patrícia Amorim foi um desastre político para a diretoria – que nem esteve à frente do processo para fritá-la. Por lugar ressuscitou politicamente a ex-presidente e por outro provocou o primeiro racha entre forças da situação.

DE LETRA
“Retirei minha candidatura agora, mas não retirei de uma vez por todas. Há uma diferença”
Carlos Augusto Barros e Silva o Leco, sobre a desistência da corrida presidencial do São Paulo.

São Paulo cede, faz compromisso e entra na Copa São Paulo

sábado, 19 de outubro de 2013

O boicote dos clubes deu resultado e o São Paulo enfim recuou. O clube enviou nesta sexta-feira carta à Federação Paulista de Futebol firmando compromisso de não mais tirar jogadores menores de 16 anos da base de outros clubes sem antes negociar com eles. Com, isso vai poder participar da Copa São Paulo de Juniores do ano que vem.

O clube foi acusado de tirar vários jogadores, até mesmo do rival Corinthians. O último caso foi o goleiro Lucão, da Ponte Preta. No clube desde os 12 anos, foi convocado para a Seleção sub-17. Durante os treinos da equipe, no CT de Cotia, ele foi procurado pelos dirigentes do São Paulo e se transferiu. A atitude provocou um novo boicote geral dos clubes contra o São Paulo e desta vez ameaçava a Copa São Paulo, a mais importante do país. Nem a pressão do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, sobre os clubes, acabou com o movimento, que congregou a maioria dos grandes clubes do Brasil, incluindo os quatro do Rio, os dois de Minas, Corinthians, Atlético-PR, Coritiba, Goiás, Sport e Vitória. O Santos se colocou publicamente contra o boicote, embora condenasse a atitude do São Paulo. O Grêmio apoiou o São Paulo.

A carta do São Paulo, assinada pelo presidente Juvenal Juvêncio, foi a resposta a uma reunião entre o clubes e representantes de Corinthians, Ponte Preta, Fluminense e Vitória (BA), há quase duas semanas. Não houve acordo, e o São Paulo representado pelo gerente da base Geraldo e por um advogado, disse que enviaria a resposta diretamente à FPF. Na carta, Juvenal, diz também que vai negociar com a Ponte Preta por Lucão.

O boicote é mais um caso de sucesso do Código de Ética assinado pelos clubes há dois anos. Na época, sob a liderança do então da Seleção Brasileira sub20 Ney Franco, os gerentes de futebol dos clubes das Séries A e B firmaram acordo de não “roubar” jogadores abaixo de 16 anos, os que não possuem contratos de trabalho.

Meses depois, o Atlético-PR quebrou o acordo ao inscrever o atacante Mosquito que havia sido tirado do Vasco por seu agente. O Atlético sofreu boicote, mas depois fez um acordo financeiro com o Vasco e manteve o jogador. Mosquito é a estrela do Campeonato Mundial sub-17, que está em andamento.

Em seguida, o São Paulo foi acusado repetidas vezes e chegou a sofrer boicotes. O clube sempre reagiu a isso dizendo que não se poderia impedir os jogadores de escolher um clube com maior infra-estrutura. O CT de Cotia é considerado o melhor CT de base do Brasil e um dos melhores do Brasil.

Estaduais de 2015 terão início em fevereiro, diz sindicato

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Ainda com as indefinições para a programação de 2014, algumas partes do calendário de 2015 já estão decididas, segundo a Federação Nacional de Atletas Profissionais de Futebol.

Com o aperto do próximo ano em função da Copa do Mundo no Brasil, a representante dos jogadores se antecipou para garantir que em 2015 a agenda volte ao normal e que os times tenham mais tempo para se preparar para as competições do ano.

– Uma coisa já está fechada, vamos ter 30 dias de pré-temporada em 2015. Existe um acordo verbal com a Globo e será respeitado. O que significa que haverá uma alteração no calendário e que os estaduais só vão começar em fevereiro – afirmou Rinaldo Martorelli, presidente da Fenapaf.

Em 2012, o período de pré-temporada foi de 19 dias; em 2013, foi de 22 dias; em 2014, pode ser de dez dias; e, em 2015, de 30 dias.

CBF planeja estaduais de 2014 para 12 de janeiro, mas falta de acordo sobre férias de jogadores impede divulgação

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Sem conseguir encaixar as férias dos jogadores, a CBF está atrasando a divulgação do calendário do futebol brasileiro de 2014, quando, além dos torneios tradicionais, haverá a Copa do Mundo. Clubes e federações pressionam pela definição, para poderem se planejar.

Depois de levar meses para acomodar todas as competições na temporada, a entidade procurou há dez dias a Federação Nacional dos Atletas Profissionais para negociar o período de recesso para a próxima temporada. Mas a Fenapaf também faz jogo duro.

A primeira proposta feita pela CBF, que pôs o início dos Estaduais no dia 12 de janeiro, foi de que os jogadores parassem por 17 dias no fim de 2013 e por 13 dias durante a Copa do Mundo, que começa no dia 12 de junho de 2014. Na segunda tentativa, a entidade sugeriu 20 dias após o Brasileiro e 14 na Copa – 4 dias a mais para compensar a quebra dos 30 dias corridos, o que é obrigatório por lei. As duas foram recusadas pela Fenapaf.

– A primeira opção dada pela CBF a gente nem pensou, recusamos de cara. A segunda também não é boa. Levamos a seguinte proposta: 24 dias neste ano e 10 durante a Copa – afirmou Rinaldo Martorelli, presidente da Fenapaf.

– Não achamos que seja o melhor e não costumamos abrir mão desse direito dos jogadores. Só estamos negociando pelo caráter atípico da situação, por conta da Copa do Mundo – completou.

Com a contraproposta da Federação, que foi apresentada na segunda-feira à CBF, os jogadores se apresentariam aos clubes no dia 2 de janeiro e teriam os feriados de Natal e Ano Novo preservados. Depois da volta, teriam só dez dias de treinamento para o início dos jogos, no dia 12 de janeiro, com fim previsto para abril, quando começaria o Campeonato Brasileiro.

A CBF ainda não deu resposta ao sindicato. Desde maio, o presidente José Maria Marin diz que o calendário está quase pronto.

Bate-Bola
Rinaldo Martorelli, presidente da Federação Nacional de Atletas Profissionais de Futebol

‘Havia um antecedente, os jogos remarcados’

LANCE! - Quando foi que a CBF procurou a Federação para falar do calendário do ano que vem?
Rinaldo Martorelli – Faz pouco mais de dez dias. Eles procuraram depois de terem remarcado os jogos do São Paulo e Santos, fazendo aquela programação absurda de terças-feiras.

L! – Foi esse o motivo de vocês não terem aceitado a primeira proposta da CBF, de 17 dias em 2014?
RM - Havia um antecedente, os jogos remarcados. Mas não foi esse o motivo. A remarcação só piorou tudo. Faz o atleta se sentir desprestigiado. Não aceitamos porque a proposta não era boa. Nem a primeira, nem a segunda. Por isso fizemos a contraproposta.

L! – Vocês falaram com os atletas?
RM - Falamos com alguns. Nem todos estão concordando com a nossa proposta, inclusive, mas foi a que mais teve aceitação.

L! – Em qual situação vocês falaram com os jogadores?
RM – Ligamos para os que falamos e fomos em alguns treinos que conseguimos. Mas sabemos que dividir férias nunca será bom para os atletas. É um ano diferente, só por isso estamos tentando chegar em um acordo melhor. Rinaldo Martorelli

Academia LANCE!
Eduardo Carlezzo, especialista em direito desportivo

Em 2014, férias pode ser dividida em duas

Segundo a CLT, que vale para todos os trabalhadores, a regra é que as férias sejam em um só período. Em casos excepcionais, poderão ser divididas, desde que nenhum período seja inferior a dez dias. Já a Lei Pelé, que se aplica aos atletas profissionais, estabelece que essa férias anuais remuneradas de 30 dias sejam coincidentes com o recesso das atividades desportivas. Com a Copa, os atletas poderão gozar seu período de férias em dois períodos, sendo eles o recesso de fim de ano em 2013 e a parada do Brasileirão em 2014. Por fim, o o período de pré-temporada não está fixado em lei.

Corinthians tem 15 dias para quitar R$ 250 mi

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Vence no dia 26 de setembro o prazo para que o Fundo Arena, do qual faz parte o Corinthians, pague os empréstimos-ponte de R$ 250 milhões tomados pela Odebretch para as obras da Arena Corinthians. O prazo vencia em agosto, mas já foi prorrogado uma vez. O Corinthians contava em usar o dinheiro do BNDES para pagar o empréstimo, que já custa mais de R$ 70 milhões apenas em juros.

O calvário de Jesus
O São Paulo pode viver uma saia justa, caso Muricy Ramalho reintegre mesmo o zagueiro Lúcio. Conselheiros dizem que o vice de Futebol, João Paulo de Jesus Lopes, fez ao Conselho forte discurso sobre o caso do zagueiro, e tratou a situação como irreversível.

Céu
O jantar das bodas de 55 anos de de José Maria Marin e sua mulher ocorreu no restaurante Leopoldo, um dos mais caros de São Paulo. Havia cerca de 150 convidados, segundo um dos presentes. Antônio Osório, dirigente afastado da CBF por Marin, foi convidado. Presidentes de federação não foram.

Purgatório
Cinco ex-funcionários da CBF vão entrar com processos trabalhistas contra a entidade. Todos foram demitidos depois da chegada de José Maria Marin ao poder. Alguns tinham mais de 20 anos no cargo. As reivindicações vão do pagamento de horas extras, desvios de função e até bicho.

Inferno
O diretor da CBF para Assuntos Legislativos, Vandembergue Machado, foi um dos perdedores na aprovação da lei que limita mandatos dos presidentes de entidades esportivas. Tentou até a última hora evitar o resultado. Em compensação, o vice do Centro-Oeste, Weber Magalhães, está escanteado na CBF, pouco foi visto.

Calejados

Os jogadores do Vasco se cansaram das promessas da diretoria de que vão acertar os dois salários atrasados. Há três meses, a diretoria paga um salário por mês, para impedir que se acumule o terceiro e os jogadores possam ir à Justiça. Rodrigo Biro, da Ponte, desistiu de assinar, depois de ouvir os jogadores cruz-maltinos.

Prancheta
O Flamengo diz que em 70 dias vai estar pronto o projeto da arena poliesportiva, prevista para o espaço do antigo posto de gasolina, no terreno da Gávea. A ideia surgiu com a posse da nova diretoria, mas ainda não saiu do papel. O novo ginásio, que terá capacidade para cerca de 12 mil pessoas.

Disputa

A marca italiana Kappa está prospectando os grandes clubes do Rio. Seus representantes fizeram nos últimos dias uma proposta para o Vasco, maior do que os números que a Nike, outra interessada, tem citado. O clube, no entanto, tem contrato com a Penalty até o ano que vem.

Cacife
O presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro, convidou o presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil para disputar a eleição de 2014 para o Senado ou o governo de Minas Gerais. Para ser candidato Kalil precisa se filiar ao PSB até 3 de outubro, um ano antes da eleição. Kalil disse que iria pensar.

DE LETRA

“O Juvenal (Juvêncio) ainda vai enterrar muita gente”
Carlos Miguel Aidar candidato a presidente do São Paulo. Fez questão de frisar que refere à saúde do atual presidente e não à política.

Juvenal delega escolha de candidato

sexta-feira, 6 de setembro de 2013
O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, delegou a escolha do candidato à presidência do clube pela situação aos quatro pré-candidatos, em reunião com a diretoria realizada no final da tarde desta quinta-feira. Juvenal definiu como pré-candidatos Júlio Casares, Roberto Natel, Carlos Augusto de Barros e Silva e Carlos Miguel Aidar. Prometeu apoiar e anunciar o escolhido.
Fiscalização
Sócios do São Paulo criaram o Comando de Caça aos Candidatos ao Conselho não São-Paulinos – CCCCSP, em alusão a antigo grupo anticomunista – para vigiar os candidatos ao conselho. O movimento cobra deles fotos de infância comprovando laços com o clube.
Conta salgada
Programas de reconhecimento facial de infratores, testados pela Federação Paulista desde 2012, ainda não têm prazo para serem implementados. O principal obstáculo é o alto custo do sistema, que requer câmeras de alta definição. Uma solução é tentar dividir os custos com os clubes.
Vazio
Pessoas ligadas ao UFC revelam que a organização optou por ângulos de câmera fechados, e evitou mostrar as arquibancadas no evento de anteontem em Belo Horizonte. O objetivo foi mascarar o fraco público presente no Mineirinho. A medida gerou polêmica em fóruns frequentados por espectadores nos EUA.
Resposta
O Corinthians e a Odebrecht, por meio do Fundo Arena, contestaram nesta semana a ação movida pelo Ministério Público visando barrar a concessão dos CIDs à Arena Corinthians. A Justiça já negou um pedido liminar para suspender os julgamentos, e a sentença deve sair no fim do ano.
Convidados
Os quatro grandes paulistas vão se encontrar na semana que vem para falar da reunião contra a Conmebol. Embora a organização tenha dito que os clubes brasileiros foram convidados, a maioria não foi avisada. O presidente do Fla, Eduardo Bandeira, disse que Andrés Sanchez telefonou, mas já tinha compromisso.
Dissidente
Milton Vieira, diretor adjunto e conselheiro vitalício do São Paulo, foi mais um a formalizar a retirada de seu apoio ao grupo de Juvenal Juvêncio no clube. Vieira juntou-se ao ex-vice presidente Ricardo Haddad e aos ex-diretores Kalil Rocha Abdallah e Dorival Decoussau na chapa 2.
Seleção
Não foi por falta de tempo que muitos clubes brasileiros, como Palmeiras, Vasco e Grêmio, não foram convidados para a reunião com clubes sul-americanos no Corinthians, na quarta-feira. O clube sabia há mais de um mês da reunião, que teve como anfitrião o ex-presidente Andrés Sanchez.
Longa data
A relação do Corinthians com o organizador do encontro contra a Conmebol não começou nesta semana. O uruguaio Paco Casal é empresário de Paolo Guerrero (foto), e responsável por cuidar da imagem do jogador peruano. Ele participou de uma série de reuniões no Parque São Jorge sobre o tema.
DE LETRA
“Não fui convidado. Só fiquei sabendo que teve pelo site de vocês”
 Fábio Koff presidente do Grêmio, sobre o encontro contra a conmebol realizado no corinthians na quarta-feira.

Com convite de empresário uruguaio, Andrés Sanchez entra em mais um embate no futebol e ataca Conmebol com apoio de mitos

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Com articulação do empresário uruguaio Francisco “Paco” Casal e o ex-presidente do Corinthians Andres Sanchez como anfitrião, dirigentes de clubes sul-americanos e craques do passado realizaram um ato de repúdio à Conmebol na sede do Corinthians.

Segundo os organizadores, o encontro de ontem reuniu 20 dirigentes (Peñarol-URU, Caracas-VEN, LDU-ECU e Libertad-PAR, entre eles). Do Brasil, Corinthians estava presente, o Botafogo mandou uma carta e o diretor do G4 Paulista (dos quatro grandes de SP) participou.

Para o ex-presidente do Corinthians, a causa veio em boa hora. Desde que saiu da CBF, ele busca espaço e apoio para comandar o futebol brasileiro e é um dos possíveis candidatos para as eleições da entidade em 2014. O apoio de Romário e Maradona ele vai ter.

– Graças a Andres, a Paco, a todos os que estão aqui para lutar por um futebol transparente, vamos mudar – afirmou Maradona.

Empresário, agente de jogadores e também negociador de direitos de transmissão, Paco Casal foi o principal articulador do encontro, mas se manteve quieto na coletiva. Foi ele quem levou Maradona ao Parque São Jorge e também quem ligou para Sanchez para falar sobre os problemas com a Conmebol – entre as principais críticas está a negociação de direitos de transmissão das competições da entidade.

Durante o encontro e a entrevista coletiva, Romário e Maradona fizeram acusações contra a Conmebol, com base em um estudo feito do seu balanço, e disseram que ela é uma entidade “corrupta”.

– Tem de colocar tudo às claras. E aqueles que devem, tem de pagar, e os que têm de ser presos, têm de ir para a cadeia – avisou Romário.

– Eu não imaginava que existisse uma instituição mais corrupta do que a FIFA ou a CBF. E consegui encontrar – completou.

Conmebol fez clubes perderem mais de R$ 1 bilhão, diz advogado

Jorge Pereira Shurman, advogado que participou da reunião sobre mudanças no futebol sul-americano desta quarta-feira, em São Paulo, contou ao LANCE!Net quais os pontos apresentados aos participantes do encontro no Parque São Jorge. De acordo com o especialista uruguaio, os clubes perderam cerca de 500 milhões de dólares (cerca de R$ 1,2 bilhão), sendo que nos últimos dois anos, 120 milhões de dólares (cerca de R$ 283 milhões) “sumiram” da entidade.

- Há entradas (receitas) que não foram incorporadas ao balanço de mais de 100 milhões de dólares, por vários anos. Há entrada de 56 milhões de dólares dos dois últimos anos, quando na verdade foi de, no mínimo, 180 milhões de dólares. Eles precisam explicar o sumiço destes 120 milhões de dólares – alegou, ao L!Net.

Os números foram descobertos de acordo com os balanços dos últimos dois anos da Conmebol, além de outros documentos a que o advogado teve acesso. Além deste, outro questionamento se dá por conta de diversos contratos feitos pela entidade que comanda o futebol sul-americano – entre eles os de direitos de transmissão. Por preferência a empresas com melhor relacionamento, a Conmebol teria perdido 430 milhões de dólares (cerca de R$ 1 bilhão).

BATE-BOLA
Jorge Pereira Shurman
Advogado uruguaio contratado para analisar o balanço da Conmebol

LANCE!Net – O que foi constatado?
Jorge Shurman – É uma análise da entrada e saída de dinheiro na Conmebol. Pelo que vimos, há uma diferença importante. Faltam muitas informações nos relatórios que eles apresentam.

L!Net – O que não aparece no balanço?
J.S. – Falta mostrar para onde foi cerca de 120 milhões de dólares de receita. Além disso, nos gastos, eles apresentam 32 milhões de dólares de pagamentos, mas a gente sabe que é mais do que isso, já que apenas 65 milhões de dólares foram pagos em prêmios aos clubes.

L!Net – Além disso, o que mais vocês estão contestando?
J.S. – Por aceitar uma proposta e não outra, a Conmebol deixou de ganhar 430 milhões de dólares, de contratos para a partir de 2015.

L!Net – Mas por que ela não aceitou?
J.S. – Preferiram outra que oferecia muito menos. É exatamente isso o que estamos questionando. O motivo disso. Não entendemos.

L!Net – Quais eram as propostas?
J.S. – Uma era de cerca de 800 milhões de dólares e a outra era de menos do que a metade. A diferença entre elas é mais ou menos essa que eu falei, de 430 milhões de dólares, que a Conmebol perdeu por não aceitar a melhor proposta para contratos a partir de 2015.

QUEM É FRANCISCO ‘PACO’ CASAL?

Francisco ‘Paco’ Casal, nasceu no Brasil e foi criado em Montevidéu.

Profissão: Negociador dos direitos de TV e agente de jogadores, como de Francescoli, com quem abriu uma empresa. Detentor dos direitos dos principais eventos do futebol no Uruguai.
Participação: O empresário foi o principal articulador da reunião que aconteceu ontem em São Paulo (SP), no Parque São Jorge. No encontro, que reuniu cerca de 20 clubes da América do Sul, ex-jogadores do continente, como Maradona e Romário, e o ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez, ele se manteve reservado.

TRAJETÓRIA DE ANDRÉS SANCHEZ

Abril/2010 – Andrés apoia a candidatura derrotada de Kleber Leite, aliado de Ricardo Teixeira e ex-presidente do Flamengo, na disputa pela presidência do Clube dos 13. Fábio Koff, hoje presidente do Grêmio, vence o pleito com o apoio de Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo. Até ali, o Morumbi era apontado como o palco da abertura da Copa de 2014.

Junho/2010 – Em briga política com Juvenal Juvêncio, Teixeira tira o Morumbi da Copa do Mundo alegando “critérios técnicos” e “falta de garantias financeiras”. Andrés apresenta projeto para a construção do estádio em Itaquera e vira chefe da delegação brasileira na Copa do Mundo da África do Sul.

2011 – Andrés articula o desmoronamento do Clube dos 13. Alegando não concordar com a maneira como eram conduzidas as negociações dos direitos de transmissão, desfilia o Corinthians e negocia individualmente com a Rede Globo. Os demais clubes vão atrás do Timão.

Novembro/2011 – Andrés é anunciado pela CBF, ainda com Ricardo Teixeira como presidente, como diretor de seleções a partir de 2012.

Dezembro/2011 – Andrés se afasta da presidência do Corinthians dois meses antes do pleito e deixa Roberto de Andrade como interino.

Janeiro/2012 – Andrés assume o cargo de diretor de seleções da CBF.

Fevereiro/2012 – Com a eleição de Mario Gobbi à presidência do Corinthians, tenta manter sua influência nas decisões do clube. Após algumas rusgas entre os dois, se afasta. A relação entre os dois volta a se fortalecer.

Novembro/2012 – Andrés renuncia ao cargo na seleção após José Maria Marin, já à frente da CBF, e Marco Polo Del Nero demitirem o técnico Mano Menezes, um dos seus homens de confiança, sem consultá-lo.

Fim de 2012/2013 – Tenta organizar um bloco de oposição a Marin e Del Nero, vice da CBF e provável candidato da situação na eleição de 2014. A reação dos presidentes de federação a ele é tímida. No Corinthians, assume o comando do projeto da Arena Corinthians com a saída de Luis Paulo Rosenberg.