publicidade


Prorrogação da Lei de Incentivo ao Esporte será inserida no texto da MP do Profut

por Fábio Suzuki em 27.mai.2015 às 7:39h

Deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) é o relator da MP do Profut

Em vigor até o fim deste ano, a Lei de Incentivo ao Esporte terá a sua prorrogação incluída no texto da MP do Profut que está sendo avaliado pela Comissão do projeto. A iniciativa foi confirmada pelo relator da MP, o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), que tem em mãos duas emendas que visam prorrogar a norma cuja finalidade é destinar verbas a projetos esportivos através da dedução do imposto de pessoas físicas e jurídicas. Os autores são os deputados João Derly e Orlando Silva, ambos do PC do B.

Qual a melhor?
A Comissão da MP do Profut avalia agora qual das duas emendas apresentadas será inserida no texto que irá para votação. A proposta do deputado e ex-judoca João Derly é que a Lei de Incentivo ao Esporte passe a vigorar por tempo indeterminado. Já o ex-ministro Orlando Silva propõe que a norma seja prorrogada pelos próximos dois ciclos olímpicos tendo validade até 2024.

Voz aos torcedores
Ontem, na audiência pública da MP do Profut, a Comissão recebeu para o debate torcedores de torcidas uniformizadas. Além do presidente da Associação Nacional de Torcidas Organizadas (Anatorg), André Azevedo, estiveram presentes representantes da Gaviões da Fiel (Corinthians) e Urubuzada (Flamengo), que pediram iniciativas por ingressos mais baratos por conta da valorização das entradas com as novas arenas.

Proposta
Ex-presidente da Suderj, o conselheiro do Flamengo Walter Oaquim tem contatado vereadores e deputados do Rio afim de evitar que o governo do estado assine a concessão do Maracanã por 30 anos à Odebrecht. Ele argumenta que o acordo só prejudica os clubes e propõe a criação da “Fundação Maracanã”, que aliaria órgão públicos e representantes de clubes na administração do estádio.

Sem elefante branco
Segundo o prefeito do Rio, Eduardo Paes, um convênio está sendo negociado com a Confederação Brasileira de Golfe (CBG) para que o campo que está sendo construído para a Rio-2016 seja utilizado pela entidade com cursos e clínicas para crianças e jovens após o evento. Com um custo de R$ 60 milhões, a obra voltada para a nova modalidade olímpica é um dos projetos mais polêmicos dos Jogos no Rio.

Ponte aérea
A Prefeitura do Rio negocia também a construção de um hotel anexado ao campo de golfe após os Jogos Rio-2016. O empreendimento facilitaria a utilização do local por praticantes da modalidade que moram fora da capital fluminense. “Espero que o pessoal de São Paulo se mobilize um pouco para aproveitar o espaço”, diz Paes, para quem o golfe tem potencial para criar um “turismo sofisticado” na cidade.

Oportunidade
O Náutico aproveita a visibilidade com o confronto com o Flamengo, pela 3 fase da Copa do Brasil, para faturar. O clube pernambucano fechou contratos pontuais para a partida com três empresas: Shewwin-Williams, Óticas Diniz e Rafarillo Calçados. Todos os acordos foram intermediados pela agência Wolff Sports & Marketing.

Mentirinha
Em evento realizado ontem, em São Paulo, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou que os grandes eventos são oportunidades únicas para se fazer obras urbanas necessárias.

Após o Rio ser escolhido sede dos Jogos Olímpicos, em 2009, Paes se reuniu com a então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e pediu ajuda do governo para a construção de cinco piscinões para acabar com os alagamentos na região da Grande Tijuca e Maracanã.

Para receber os R$ 350 milhões do governo, Paes argumentou com Dilma que seria um caos se chovesse durante a final da Copa 2014 ou na cerimônia de abertura das Olimpíadas pois ninguém iria chegar ao Maracanã por conta dos alagamentos.

– Foi uma “mentirinha boa” pois nos meses de julho e agosto não chove nem por decreto no RJ – diz Paes.

De Letra

“Só foi para Belo Horizonte quem tinha ingresso do jogo, por isso que o aeroporto funcionou”

Eduardo Paes, prefeito do RJ, utilizando exemplo da Copa-2014 para justificar que o aeroporto internacional Tom Jobim não terá problemas durante os Jogos Rio-2016.

Fluminense pode afastar o ex-presidente Roberto Horcades do quadro de sócios

por Fábio Suzuki em 26.mai.2015 às 7:56h

Roberto Horcades presidiu o Fluminense por duas gestões entre os anos de 2005 e 2010

O presidente do Conselho Deliberativo do Fluminense, Marcus Vinicius Bittencourt, colocará na pauta da próxima reunião do órgão o afastamento do quadro de sócios de Roberto Horcades, que presidiu o clube entre 2005 e 2010. De autoria do conselheiro Paulo César Soares, o requerimento estava engavetado desde a última gestão do Conselho. Segundo Soares, a motivação para a iniciativa é a “apropriação indébita de verba” pelo ex-presidente do clube. Horcades é sócio do Fluminense há 60 anos.

Sem respaldo
Contatado pela coluna, o ex-presidente do Fluminense Roberto Horcades afirmou desconhecer a iniciativa e afirmou que “não há respaldo” para que ele seja afastado do clube. O requerimento que será debatido pelo Conselho inclui também os afastamentos do ex-vice-presidente financeiro Carlos Henrique Ferreira e do ex-tesoureiro Tito Cavalcanti.

Foco na base
O Fluminense aponta o trabalho realizado na base como principal trunfo para lidar com a crise financeira do clube, que foi acentuada com o fim da parceria com a Unimed. Atualmente, dos 33 atletas do elenco do Tricolor carioca, 11 têm até 22 anos. “O Fluminense tem tradição na formação de jogadores e uma saída para lidar com o fim da parceria está na base”, diz Marcelo Gonçalves, VP de marketing  do clube.

Sem privilégio
Parlamentares da Comissão da MP do Profut se reuniram na última quinta, 21, com representantes da Receita Federal. No encontro foi discutida a nova equação financeira (prazos, juros e descontos) destinada aos clubes que aderirem ao refinanciamento das dívidas fiscais junto ao governo. A avaliação é que o texto original abrange apenas os grandes clubes e as tratativas visam beneficiar também os times pequenos.

Aprovado
Em assembleia geral ocorrida no último sábado, 23, os sócios do Corinthians aprovaram as mudanças no Estatuto que visam ajustar as normas do clube para captar verba por meio da Lei de Incentivo ao Esporte da Lei Pelé através do repasse à Confederação Brasileira de Clubes (CBC). Dos 657 associados que foram ao Parque São Jorge, apenas 27 votaram contra a proposta.

De perto
O presidente do Atlético Mineiro, Daniel Nepomuceno, viajou para a Alemanha onde permanecerá até o final desta semana. Segundo a assessoria do clube, a ida do dirigente atleticano à Europa não está relacionada a reforços para o time mineiro para a disputa do Brasileirão mas apenas para acompanhar de perto o time júnior do Galo em um torneio no país europeu.

Loja online
E-commerce especializada em materiais esportivos, a Netshoes fechou acordo para gerir a loja online de mais um clube do México, o Santos Laguna. No país, a empresa já gerencia as vendas da seleção mexicana e de outros cinco times: Monterrey, América, Pumas, Chivas Guadalajara e Cruz Azul. Fora do Brasil, a Netshoes também administra lojas de dois times argentinos: River Plate e San Lorenzo.

Segurança
O secretário nacional de futebol e de defesa dos direitos do torcedor do Ministério do Esporte, Rogério Hamam, esteve no Maracanã, no domingo, quando jogaram Fluminense e Corinthians.

A visita não foi para torcer para nenhum dos times, mas para avaliar práticas de segurança adotadas em jogos de futebol.

Esta é a 2 partida no ano que Hamam acompanha com tal finalidade. A 1 delas foi entre Flamengo e Vasco, no mesmo estádio, válida pelo Carioca.

Amanhã, o material coletado será apresentado na reunião da Comissão Nacional de Prevenção da Violência e Segurança nos Espetáculos Esportivos (Consegue) com a presença de representantes das três esferas de governo, Poder Judiciário e órgãos de segurança.

A abertura do evento será feita pelo ministro do Esporte, George Hilton.

De Letra

“Falaram tanto de mim e outros jogadores é que podem parar no Flamengo…”

Petros, do Corinthians, dá cutucada em entrevista a rádio sobre sua situação e possível transferência de Guerrero para o time carioca, além do interesse do Fla em Elias.

Executivos de marketing querem associação para desvincular cargos da política dos clubes

por Fábio Suzuki em 23.mai.2015 às 7:20h

Gerente de marketing do Vasco lidera as conversas sobre a criação de uma entidade para representar a categoria

Liderados por Bernardo Pontes, do Vasco, executivos da área de marketing dos grandes clubes de futebol têm mantido conversas constantes para alinhar a criação de uma  associação para representar a categoria. A ideia é que apenas profissionais remunerados façam parte da entidade, iniciativa que visa a combater que os cargos da área fiquem relacionados à política dos clubes. O próximo passo é obter o apoio da CBF por meio de seu novo diretor de marketing, Gilberto Ratto (ex-São Paulo).

Regras em debate
A expectativa do grupo de executivos de marketing é realizar um evento em Salvador, no próximo mês de julho, para que possam debater as questões ligadas à criação da associação. Entre os assuntos estão a elaboração do estatuto da entidade e regras de atuação aos associados. A associação é vista pelos executivos como um importante passo para os clubes passarem a profissionalizar seus departamentos de marketing.

Pelo celular
As conversas entre os profissionais de marketing têm ocorrido através do aplicativo Whatsapp, cujo grupo criado conta com a participação dos executivos dos principais clubes do país. Entre eles estão Bruno Spindel (Flamengo), Mauro Holzmann (Atlético-PR), Marcone Barbosa (Cruzeiro), Jorge Avancini (Bahia) e Dilson Motta (Fluminense).

Mais próximo
Após a saída do diretor de futebol, Sergio Janikian, o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, pretende ocupar a função dentro do clube até que um novo profissional seja contratado. A intenção do dirigente é aproveitar esse período para ficar mais próximo do departamento de futebol. Pressionado após falar que o Guaraní (PAR) era “um presente de Deus”, Janikian deixou o cargo na noite da última quinta-feira (21).

Entre os pequenos
Relator da Medida Provisória (MP) do Profut, o deputado federal Otávio Leite (PSDB-RJ) resolveu ouvir os clubes pequenos que ficaram fora dos debates sobre a proposta nas audiências públicas que ocorreram nas últimas semanas, em Brasília. Para isso, irá se reunir na segunda, no Rio, com dirigentes de times que disputam a Segunda, Terceira e Quarta Divisões do Campeonato Carioca.

Direitos iguais
Na avaliação do relator da MP do Profut, as audiências públicas foram importantes até agora mas envolveram apenas os 101 clubes que disputam as quatro divisões do Campeonato Brasileiro. E que há outras centenas de times que precisam ser ouvidos. “São clubes que também pagam impostos e querem atingir estágios mais avançados”, comenta o deputado Otávio Leite.

País com fôlego
O Ironman, modalidade de triathlon de longas distâncias, terá a partir deste ano cinco etapas no Brasil. Em outubro, o Rio de Janeiro receberá um Ironman 70.3, que é disputado com a metade das distâncias e que ocorre também em Brasília e Foz do Iguaçu. Já na prova original, que é classificatória para o mundial no Havaí, o país realiza provas em Florianópolis e Fortaleza.

Chuteiras e tacos
O golfe não tem qualquer relação com o futebol a não ser o fato de ser praticado com uma esfera e ser jogado em um gramado.

Entretanto, é grande o número de ex-jogadores de futebol que vão dar suas tacadas após ter pendurado as chuteiras. Entre eles estão Ronaldo Fenômeno, que já participou de torneios da modalidade, e o ucraniano Andriy Shevchenko, que joga profissionalmente.

Na próxima terça-feira 26, em SP, será a vez de Careca e Zé Sérgio, dois ex-jogadores que também já vestiram a amarelinha, participarem de um torneio de golfe.

Sempre que podem, os dois dão suas tacadas em clubes do interior de São Paulo e desta vez disputarão o 8 Torneio de Golfe do Hospital Oswaldo Cruz, que será realizado no São Paulo Golf Club, na capital paulista.

De Letra

“Não queremos dirigentes que não sejam remunerados”

Jorge Avancini, diretor de marketing do Bahia, sobre a intenção de executivos da bola de criar uma associação que represente os profissionais da categoria.

Delegacia móvel nos estádios será utilizada pela 1ª vez no clássico entre Corinthians e Palmeiras

por Fábio Suzuki em 22.mai.2015 às 7:39h

Unidades vão abranger qualquer ocorrência ligada a uma partida de futebol no Estado de São Paulo

A utilização de uma delegacia móvel com cela e toda a estrutura necessária para o registro de crimes e ocorrências em jogos de futebol ocorrerá pela 1 vez no clássico entre Corinthians e Palmeiras, na Arena em Itaquera, no próximo dia 31. A iniciativa integra o plano de novas medidas para reforçar a segurança nos estádios que será implementada em conjunto pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), polícias civil e militar, Poder Judiciário e Federação Paulista de Futebol (FPF).

Só nos grandes
As delegacias móveis serão usadas apenas em “grandes eventos”, conforme definiu o secretário da SSP, Alexandre de Moraes, na coletiva de apresentação das medidas nesta semana. Nela, Moraes cogitou a presença das novas novidades já nos jogos deste fim de semana, quando haverá partidas de São Paulo e Palmeiras na capital paulista. Entretanto, as delegacias só irão funcionar após a instalação do novo Juizado do Torcedor, na próxima terça, dia 26.

Tudo por dinheiro
O Corinthians fará neste sábado, 23, uma assembleia geral para votar mudanças em seu Estatuto para que possa captar verba através da Lei de Incentivo ao Esporte e de loterias pela Lei Pelé via Confederação Brasileira de Clubes (CBC). Entre as alterações estão o acompanhamento da apuração dos votos nas eleições por candidatos e imprensa, e a proibição de parentes de até 2 grau de sucederem o presidente do clube.

Sem aprovação
O TRE-SP não aprovou as contas apresentadas pelo superintendente de futebol do Corinthians, Andrés Sanchez, para o pleito de 2014 quando se elegeu deputado federal pelo PT. A ação foi julgada na tarde de ontem e a decisão foi unânime. Com a decisão, o dirigente terá que devolver R$ 100 mil ao Tesouro Nacional.

Sem negociação
Antes de negociar com o São Paulo, a Under Armour teve conversas com um rival do clube, o Palmeiras. Um representante da empresa americana almoçou no ano passado com o presidente palmeirense, Paulo Nobre, em São Paulo. Como a empresa havia acabado de desembarcar no país, o encontro foi apenas de relacionamento.

Novo treino
O Atlético-PR fechou parceria com a empresa americana Exos, especializada em desenvolver treinamentos específicos para atletas levando em consideração suas habilidades e a tática utilizada pelo time. O método da companhia foi utilizado pela seleção alemã para a Copa 2014, da qual saiu vencedora. O clube é o primeiro time sul-americano a ser parceira da Exos.

Camisa histórica
Os torcedores botafoguenses poderão relembrar uma das épocas áureas do time através de uma réplica que será lançada pela rede Liga Retrô. Em parceria com a SPR, responsável pelo licenciamento de produtos do clube, a empresa lança o uniforme do Botafogo de 1934, ano em que o clube foi tricampeão carioca. Ao preço de R$ 150, a camisa retrô leva o escudo antigo do time, quando o clube ainda se chamava Botafogo Football Club.

Quem?
Ele está há oito anos na Europa e nesta temporada foi escolhido o melhor zagueiro do campeonato nacional e o terceiro melhor de todo o torneio.

Mas engana-se você se pensou em Thiago Silva, David Luiz ou Dante. O brasileiro que atravessa a excelente fase é Eric Botteghin, do FC Groningen, da Holanda.

Na premiação promovida pelo tradicional jornal holandês “Telegraaf”, o zagueiro de 27 anos levou a Chuteira de Bronze do Campeonato Holandês ficando atrás apenas de Georginio Wijnaldum, atacante do PSV e da seleção da Holanda, e o meia Nemanja Gudelj, do AZ Alkmaar.

– Foi um ano maravilhoso para o time e entramos para a história do clube com o 1 título da Copa da Holanda – diz Botteghin,

No futebol brasileiro, o único clube que o jogador atuou foi o Grêmio Barueri, em 2007.

De Letra

“Temos preferência pelo Maria Lenk por abrigar vários eventos em um único local”

Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Rio 2016, sobre a exclusão do complexo aquático Julio Delamare das Olimpíadas no próximo ano.

Andrés Sanchez terá que devolver R$ 100 mil por não comprovar origem de dinheiro de sua campanha

por Fábio Suzuki em 21.mai.2015 às 17:33h

Dirigente corintiano terá que devolver R$ 100 mil ao Tesouro Nacional por não comprovar origem de dinheiro utilizado na campanha para deputado federal

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) desaprovou as contas apresentadas pelo superintendente de futebol do Corinthians, Andrés Sanchez, para o pleito de 2014 quando se elegeu deputado federal pelo PT. A ação foi julgada na tarde desta quinta-feira, 21, e a decisão foi unânime.

Segundo o processo, Andrés entregou a prestação de contas de sua campanha com ausência do doador originário em uma doação de R$ 100 mil e não conseguiu comprovar a origem do valor. Por conta disso, terá que devolver o valor ao Tesouro Nacional por meio do Guia de Recolhimento da União (GRU) em até 5 dias.

Vai recorrer
Em nota publicada no início da noite desta quinta, Andrés diz que a verba foi doada pelo Comitê Financeiro Estadual do PT através de cheque nominal, e que foi emitido recibo eleitoral pelo recebimento como determina a lei. E que o documento foi assinado pelo PT tendo como doadora originária a presidente Dilma Rousseff, então candidata à reeleição.

Ainda de acordo com a nota, o doador originário foi posteriormente retificado para a empresa UTC Engenharia, e que toda a declaração foi realizada.

“Comunico que vamos recorrer no próprio Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo da decisão proferida (…) pois a relatora do processo diz que não há no processo prova de origem da doação realizada a minha campanha, coisa que discordo, diante da farta documentação apresentada (…)”, escreve Andrés na nota divulgada.

 

Copa América 2015 já vendeu mais de 2,5 mil pacotes de viagens para o torneio

por Fábio Suzuki em 21.mai.2015 às 7:16h

Argentina, Brasil e Peru lideram compras de pacotes de viagens para a Copa América deste ano

Operadoras oficiais da Copa América 2015, a TAM Viagens e a Lantours já venderam mais de 2,5 mil pacotes para a competição que começa no próximo dia 11 de junho. Argentina, Brasil e Peru lideram as compras. Os brasileiros que forem ao Chile para acompanhar os jogos da Seleção no torneio poderão ver algo mais do que gols e belas jogadas de Neymar. Além de transporte, hospedagem e ingressos de categoria 1, os pacotes incluem um passeio na vinícola Concha y Toro com degustação de vinhos.

Votou pra Justiça
Após suspensão de 30 dias para tentar um acordo amigável entre as partes, o processo que o volante Ralf move contra o Corinthians voltou a correr na Justiça. A dívida que o clube tem com o atleta é de cerca de R$ 2,8 milhões. A expectativa dos representantes do jogador era que um acordo ocorresse com o empréstimo obtido pelo clube nos últimos dias, mas a diretoria do Corinthians preferiu priorizar as dívidas com o elenco.

Olho no mercado
Questionado sobre o interesse do Flamengo em Robinho, do Santos, e Guerrero, do Corinthians, o VP de futebol, Alexandre Wrobel, reclamou que o clube está sempre envolvido nas especulações sobre jogadores no país e disse “não há absolutamente nada de concreto” sobre essas negociações. Entretanto, afirmou que “sondagens sempre irão ocorrer”.

Imagem negativa
A postura adotada pela nova gestão da CBF, de ser mais aberta à imprensa e ter presença constante em eventos e reuniões, tem sido ressaltada até mesmo por quem bate de frente com a entidade, como o Bom Senso. Entretanto, o novo secretário-geral da entidade, Walter Feldman, reclama que ainda “há uma visão sempre negativa da CBF” antes mesmo das coisas serem feitas e que será difícil mudar essa imagem da entidade.

Deu o recado
O evento de lançamento dos vinhos oficiais do São Paulo na última terça-feira, 19, no Morumbi, contou com a presença do ex-presidente Juvenal Juvêncio, hoje o principal nome da oposição no clube. Sempre polêmico em suas declarações, o dirigente chegou ao evento avisando os jornalistas presentes que não falaria nada sobre a gestão de Carlos Miguel Aidar, seu desafeto.

Várzea em pauta
O presidente da Federação Baiana de Futebol (FBF), Ednaldo Rodrigues, se reuniu nesta semana com o presidente da Câmara Municipal de Salvador, Paulo Câmara. Na pauta do encontro estava os incentivos da entidade para o futebol amador da cidade e ficou acertado que a FBF ajudará mais uma vez os torneios de bairros com a compra de bolas, coletes e troféus.

Celeiro de craques
Só no ano passado, a FBF destinou cerca de R$ 800 mil ao futebol não profissional no estado da Bahia. A principal iniciativa é o tradicional torneio intermunicipal que reúne carca de 500 clubes e mais de 2,4 mil atletas, sendo 1,5 mil deles na faixa etária entre 16 e 22 anos. “É um verdadeiro formador de craques. Liedson, Edilson Capetinha e Bobô já jogaram o intermunicipal”, afirmou Ednaldo Rodrigues, da FBF.

Tinta
O craque Neymar estreará em breve pelo Barcelona sua nova chuteira da Nike, a Hypervenom II.

Desenvolvida para dar mais agilidade a jogadores rápidos como o brasileiro, a empresa utilizou um método curioso para adequar o produtos às necessidades dos atletas.

Para garantir essa qualidade, funcionários da Nike vestiram meias brancas e simularam diversos movimentos característicos do futebol.

A cada nova posição, a meia era pintada com um spray em preto que, quando o pé voltada à posição normal, as partes brancas indicavam os locais de maior flexão.

– Com ela nos pés eu consigo mudar de direção e acelerar o ritmo sem hesitação – disse Neymar.

De Letra

“É um entretenimento que ajuda a diminuir a criminalidade”

Ednaldo Rodrigues, presidente da Federação Baiana de Futebol (FBF) , sobre o apoio dado pela entidade ao futebol amador baiano.

Palmeiras sofre ação de conselheiro do Corinthians por venda de jogador

por Fábio Suzuki em 20.mai.2015 às 7:12h
Ação contra o Palmeiras é movida pelo empresário e conselheiro corintiano, Fernando Garcia

Ação contra o Palmeiras é movida pelo empresário e conselheiro corintiano, Fernando Garcia

O empresário Luis Fernando Garcia, que é conselheiro do Corinthians, entrou com uma ação contra o Palmeiras para que o clube apresente os documentos da negociação do jogador Jean Carlos, que em 2013 se transferiu para o São Bernardo. A iniciativa de Garcia visa saber o valor envolvido na transferência já que detém 40% dos direitos econômicos do jogador através da empresa Luis Fernando Assessoria (LFA). Segundo processo que corre no TJ-SP, o clube tem 15 dias para apresentar os documentos.

Valores em jogo
Após ser notificado extrajudicialmente para apresentar a documentação, o Palmeiras alegou que a negociação de Jean Carlos não gerou “qualquer benefício econômico”. Entretanto, a LFA inseriu no processo o valor de mercado do jogador avaliado pelo site Transfermarkt, que é de 250 mil euros (cerca de R$ 850 mil). Caso esse valor seja real, o empresário terá direito a cerca de 100 mil euros (R$ 340 mil) no negócio.

Não cumpriu
O contrato entre Luis Fernando Garcia e o Palmeiras foi assinado em 2010 e nele ficou acertado que qualquer transferência do atleta precisava ter o aval de ambas as partes, o que não ocorreu. Caso a transferência do jogador não tenha envolvido valores, em uma possível rescisão de contrato, o empresário irá cobrar uma multa que pode chegar a 5 milhões de euros (R$ 17 milhões).

Sem custos
Diferentemente de outros atletas emprestados, o Corinthians não pagará parte do salário do lateral Guilherme Arana, que atuará até o final do ano pelo Atlético-PR. No clube paulista, o atleta recebia cerca de
R$ 25 mil. O jogador também despertou o interesse do Atlético de Madri para atuar na equipe B, mas nesse caso o Corinthians teria que pagar metade dos ganhos do atleta.

Para a reforma
O conselheiro do Fluminense Paulo Cesar Soares, o PC, rebateu as críticas feitas à estrutura atual do clube pelo ex-presidente Roberto Horcades. Segundo o conselheiro, com o salário de US$ 300 mil (cerca de R$ 900 mil) que é pago ao argentino Alejandro Martinuccio, contratado na gestão de Horcades e que não é nem aproveitado no time, daria para fazer uma grande reforma nas Laranjeiras, sede do clube.

Sem funções
Ainda de acordo com PC, muitos problemas têm ocorrido no Fluminense pois o Conselho Deliberativo não tem cumprido as funções que lhe cabem dentro do clube. “Hoje, se tem um presidente de direito e um de fato dentro do Conselho do Fluminense”, afirmou o conselheiro, sobre a falta de atuação de Marcus Vinícius Bittencourt, atual presidente do órgão tricolor.

Negócio da China
O Brasil enviará 40 atletas do badminton e do tênis de mesa para treinar na China visando o Rio-2016. O acordo foi assinado ontem, em Brasília, pelo ministro do Esporte, George Hilton, e pelo ministro do comércio chinês, Gao Hucheng. Apesar da iniciativa visar a preparação dos atletas brasileiros, o custo de R$ 1,7 milhão do intercâmbio será pago pelo governo chinês.

Cartadas
Engana-se quem pensa que a preparação de um jogador de pôquer se dá apenas sentado na mesa jogando cartas.

Determinado em buscar o bicampeonato da World Series of Poker (WSOP), o campeonato mundial da modalidade, o brasileiro André Akkari tem passado por uma rotina que se assemelha à de um atleta.

Além de muito estudo de jogadas, Akkari tem realizado atividades físicas e sempre com uma alimentação balanceada para chegar bem para a competição.

– Voltei a jogar pôquer como nunca e meus últimos resultados demonstram o desejo de buscar esse título – diz o brasileiro, que conquistou premiação em todos os torneios deste ano.

O principal deles, no EPT Monte Carlo, em Mônaco, Akkari ficou em 23 lugar de um total de 564 jogadores, garantindo um prêmio de R$ 137 mil.

De Letra

“Se deixar jogando só nos clubes, nunca estaremos preparados para ganhar da Alemanha”

Oswaldo Alvarez, técnico da Seleção Brasileira feminina de futebol, sobre o baixo nível técnico da modalidade no Brasil.

Após veto do presidente do Conselho, contrato do São Paulo com a Under Armour será votado em reunião extraordinária

por Fábio Suzuki em 19.mai.2015 às 23:52h

Presidente do Conselho Deliberativo, Leco retirou a votação do contrato entre São Paulo e Undeer Armour da pauta da reunião desta terça

Em reunião do Conselho Deliberativo realizada na noite desta terça-feira, 19, no Morumbi, o presidente do órgão, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, retirou da pauta do encontro a votação do contrato do São Paulo com a fabricante americana de material esportivo, Under Armour, que passou a vigorar neste mês. O acordo renderá ao clube cerca de R$ 15 milhões por ano até 2019 e sua avaliação pelos conselheiros foi uma iniciativa do presidente são-paulino, Carlos Miguel Aidar.

Com o veto do presidente do Conselho, que é ligado à oposição do clube, um grupo de conselheiros irá propor que o contrato seja votado em reunião extraordinária nos próximos dias.

Segundo nota publicada pelo LANCE! antes da reunião, conselheiros de oposição no clube questionavam o pagamento de R$ 18 milhões (que corresponde a 15% do valor total) a uma empresa asiática que intermediou o acordo entre São Paulo e Under Armour.

- Eu vou ter que trabalhar cinco gerações para ganhar R$ 18 milhões, mas se ele mereceu, é o que vamos saber. A gente espera ter os esclarecimentos na reunião do Conselho – afirmou antes do encontro o conselheiro José Francisco Manssur, representante da oposição.

Já o vice-presidente de comunicação e marketing do Tricolor, Douglas Schwartzmann, afirmou que prática de se pagar comissões é normal no mercado.

- O agente é um rapaz chamado Jack, da empresa Far East, de Hong Kong. Ele prospectou o mercado e fez a aproximação da marca com o clube por meio do Julio Casares (antigo VP de marketing). Não há nada de anormal nisso – rebateu Schwartzmann.

(Colaborou Bruno Grossi)

Desemprego atinge 1/3 dos executivos de futebol

por Fábio Suzuki em 19.mai.2015 às 7:34h

Presidente da Abex, Ocimar Bolicenho diz que profissionais atuam “sem o mínimo de preparo e conhecimento”.

A crise financeira que atinge os clubes e a falta de profissionalização dos departamentos de futebol têm deixado um terço dos profissionais filiados na Associação Brasileira de Executivos de Futebol (Abex) sem emprego. No total, são 65 executivos que têm a chancela da entidade, sendo que 21 deles aparecem como “disponível no mercado”, segundo o site da Abex. Entre eles estão Humberto Coelho Filho, que atuou no Fluminense durante o título brasileiro de 2010, e Newton Drummond, ex-Vitória e Internacional.

Sem qualificação
Segundo Ocimar Bolicenho, presidente da Abex, o amadorismo em que ainda vive o futebol brasileiro é a principal causa da alta taxa de profissionais disponíveis no mercado. “Os clubes ainda preferem admitir os ‘amigos do rei’ em vez de contratar um profissional com um currículo adequado para a função”, diz Bolicenho, citando que a grande maioria dos executivos que atuam hoje desempenham a função “sem o mínimo de preparo e conhecimento”.

Mais tempo
A Comissão de análise da Medida Provisória (MP) do Profut tem avaliado a extensão do prazo máximo de 240 meses para os clubes parcelarem suas dívidas fiscais caso optem por aderir à medida. Esse foi um dos pontos que os dirigentes dos clubes mais reclamaram durante as audiências públicas realizadas na semana passada para debater o projeto.

Muito caro
Outro ponto que a Comissão de análise da MP do Profut deve modificar do texto original é em relação à cláusula que impõe a necessidade de uma auditoria independente avaliar as atividades do clube. Dirigentes dos clubes pequenos apontaram que o custo médio de R$ 40 mil para a contratação desse trabalho irá pesar muito no orçamento da temporada, que chega a ser de R$ 100 mil.

Joia de saída
Destaque do Corinthians na Copa São Paulo, o meia Matheus Cassini está de malas prontas para a Itália. Sem ser aproveitado por Tite, o jovem de 19 anos deve ser vendido por 1,5 milhão de euros pelo clube, que detém 70% dos direitos econômicos do atleta (cerca de R$ 3 milhões). Os outros 30% pertencem à empresa Art Sports. Apesar do destaque no torneio júnior, Cassini não foi inscrito em nenhum torneio profissional pelo Corinthians.

Ausentes
Na reunião de ontem que debateu as novas medidas de segurança para combater a violência nos estádios, os presidentes dos quatro clubes eram esperados para o encontro mas apenas o VP do Palmeiras, Genaro Marino, compareceu. Questionado sobre as ausências, o secretário da Segurança Pública de SP, Alexandre de Moraes, afirmou que todos haviam confirmado presença. “Deve ter sido o trânsito”, respondeu o secretário.

No octógono
O lutador Vitor Belfort entrará no octógono do UFC no próximo sábado, 23, contra Chris Weidman, com um novo patrocinador. O e-commerce Netshoes fechou acordo para estampar sua marca na camiseta e calção que Belfort usará no evento, que ocorre em Las Vegas.

Sem sentido
Desde que a MP do Profut foi divulgada, há dois meses, muitos questionaram a constitucionalidade do projeto por conta da intervenção do governo na gestão da CBF.

Ontem, entretanto, o advogado tributarista José Roberto Cortez protocolou no Congresso um parecer contra a medida alegando ser inconstitucional, mas por outro motivo.

Segundo ele, os clubes são sociedades civis, sem fins lucrativos, e por isso não podem sofrer cobrança de impostos empresariais.

Ele argumenta que “não existe qualquer legislação que estabeleça que os clubes exerçam atividades profissionais pois quem são profissionais são os jogadores”.

E tentativas anteriores de profissionalização, como a Lei Pelé, possibilitaram aos clubes virarem empresas mas não vingaram.

De Letra

“Estamos pensando em um caminho para abrandar esse prazo”

Otávio Leite, deputado federal (PSDB-RJ) e relator da MP do Profut, sobre a possibilidade de aumentar o prazo máximo de 20 anos para os clubes quitarem suas dívidas fiscais.

Joia do Corinthians está de malas prontas para a Itália

por Fábio Suzuki em 18.mai.2015 às 20:28h

Promessa da base do Corinthians tem apenas 19 anos

Destaque do Corinthians na Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano, o meia-atacante Matheus Cassini deve ser negociado para um time da Itália nos próximos dias. O clube recebeu uma proposta de 1,5 milhão de euros (cerca de R$ 5 milhões) pelo jovem de apenas 19 anos. Como detém 70% dos direitos econômicos do atleta, o Corinthians ficará com cerca de R$ 3 milhões com a negociação. Os outros 30% pertencem à empresa Art Sports.

Apesar de ter sido um dos destaques na campanha vitoriosa do Corinthians na Copinha deste ano, o jogador não foi aproveitado pelo técnico Tite em nenhum dos torneios que o time disputou este ano.
(Colaboraram Bruno Andrade e Felipe Bolguese)