publicidade


Conselho do Fla investiga seu líder

por Francisco Loureiro em 17.set.2014 às 7:24h

 

Delair Dumbrosk, presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo , vai ser investigado por seus colegas pelo suposto vazamento de informações à imprensa

O Conselho do Flamengo abriu uma comissão de inquérito que tem como principal suspeito o seu presidente, Delair Dumbrosck. Ex-presidente do Fla em 2009 e eleito para o atual cargo pela situação, a chapa Azul, Delair entrou em confronto com o principal grupo de situação, o SóFla. Esse grupo o acusa (e a outras pessoas) de vazar informações e documentos para a imprensa. Em retaliação a uma nota publicada na semana passada, Dumbrosck destituiu Edmilson Varejão (SóFla) da secretária-geral do Conselho.

Homofobia
O procurador geral do STJD, Paulo Schmitt, diverge do presidente do órgão, Caio Rocha, na questão dos gritos e cantos homofóbicos de várias torcidas. Na sua visão, esse assunto é grave, merece ir para o tribunal e só faltam surgirem evidências mais concretas. Mas diz que, em caso de eventual condenação, dependendo do caso, a pena poderia ser de multa e não de perda de pontos.

Nervos de aço
O Grêmio vai usar o centenário do compositor e cantor Lupicínio Rodrigues, negro que é autor do hino do Grêmio, e de algumas composições mais famosas da história da música brasileira, para reafirmar que o clube não é racista. O diretor de Marketing, Beto Carvalho, usa Lupicínio como prova de tradição de tolerância racial no clube, que enfrenta o Santos do goleiro Aranha nesta quinta-feira, 18, pelo Campeonato Brasileiro.

Nos números
Diretores do Corinthians dizem que o agente Orlando da Hora pediu mais ao clube do que o acordado com o Internacional para a volta de Nilmar. E que mesmo pelo valor atual não valeria a pena, pois Nilmar jamais atingiu média de 30 partidas por ano por todos os clubes pelos quais passou. Na soma de suas duas passagens anteriores pelo Inter (quatro anos), fez 78 jogos e 35 gols.

Eleição
O presidente Paulo Nobre vai incluir os quatro vice-presidentes atuais na sua chapa para reeleição. Nobre pensava em mudar dois vices em comum acordo, mas a conclusão é que é melhor não mexer para não agitar politicamente o clube. No Palmeiras, o presidente e cada vice concorrem em eleições separadas. Todos são, por ora, favoritos em seus pleitos.

Segunda chance
A Comissão Eleitoral do Santos vai publicar dia 6 de outubro a lista com nomes de todos os sócios em situação cadastral irregular. Os 60 mil sócios passaram pelo crivo da auditoria Serasa, que cruzou dados com a Secretaria Social. Além dos mais de 4 mil associados com problemas de grafia, quem está inadimplente terá a chance de garantir seu direito de voto até cinco dias antes do pleito, dia 6 de dezembro.

Pouco caso
O Bom Senso finalmente recebeu da CBF o documento com a proposta da entidade para a criação do órgão fiscalizador do esporte, após esperar por mais de um mês. A reação entre os membros do movimento não foi boa. Julgam que a proposta é insuficiente e que a CBF nem acredita na aprovação da LFRE em Brasília antes do próximo presidente ser empossado em 2015.

LAR, DOCE LAR

Detalhes sobre os benefícios auto-impostos pelo ex-presidente do São Paulo Juvenal Juvêncio começam a surgir

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aos poucos vão surgindo evidências de como Juvenal Juvêncio fez do São Paulo de fato a “sua casa” nos oito anos em que foi presidente.

Com o dinheiro do clube, fez muitas gentilezas a aliados e amigos. Nas viagens dos time, de 15 a 20 conselheiros iam com a delegação.

Muitos vice-presidentes e até diretores passaram a circular com carro oficial do clube, com motorista, até para compromissos não ligados ao clube, inclusive familiares.

O próprio Juvenal se deu além de um carro com motorista, seguranças particulares. E até sua mulher usava um carro oficial do clube, não o do presidente, claro.

Quando começou a cortar a frota do Tricolor, o presidente Aidar poupou a família Juvêncio.

Agora, os Juvêncios terão de circular com as próprias rodas.

DE LETRA

“Juvenal era meu subordinado, só não interferi (nas categorias de base) por respeito”

Ataíde Gil Guerreiro, vice de Futebol, reiterando que manda em todos os departamentos de futebol do São Paulo.

São Paulo antecipa trocas na diretoria

por Francisco Loureiro em 16.set.2014 às 7:45h

Aliados históricos, Juvenal Juvêncio (esq.) e Carlos Miguel Aidar (dir.) protagonizam racha no São Paulo

O rompimento definitivo com o amigo e ex-presidente Juvenal Juvêncio levou o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, a antecipar a mudança na diretoria, que previa fazer apenas no mês que vem. Aidar pretende exonerar todos os diretores que se mantiverem ao lado de Juvenal, que foi tirado do comando da categoria de base na tarde desta segunda-feira, 15.  À noite, o vice-presidente Roberto Natel, que não poderia ser exonerado por ter sido eleito pelo Conselho Deliberativo do clube, renunciou ao cargo e defendeu Juvenal.

Julgamento
O Conselho de Administração do Flamengo deve condenar nesta terça-feira, 16, o conselheiro Leonardo Ribeiro por supostas ofensas ao vice de Marketing, Luiz Eduardo Baptista. Se for condenado, pode ser expulso do clube. Ribeiro, que se mudou para Manaus para assumir cargo na Suframa, deve pedir efeito suspensivo da pena até que ela seja julgada pelo conselho Deliberativo do clube, onde a resistência a ele é menor.

Apito
A CBF está muito preocupado com a queda de rendimento do árbitro Sandro Meira Ricci, após sua participação na Copa do Mundo. A avaliação é que seu nível caiu muito, mesmo levando em consideração a lesão que sofreu em agosto. Mas não considera que o polêmico pênalti marcado a favor do Flamengo, neste domingo, diante do Corinthians, tenha sido um erro grave.

Sem base
Um dos principais grupos que apoiava a presidência de Juvenal Juvêncio no São Paulo deve passar para a oposição nos próximos dias. A Legião Tricolor, presidida por Marcos Tadeu, que perdeu ontem o cargo de diretor da categoria de base, ainda possui a vice-presidência da área Social – também ameaçada. Enquanto isso, a antiga oposição pode ganhar cargos e virar situação.

Clima
Dois conselheiros influentes na política do Vasco tentam lançar a ideia de um debate entre os seis candidatos à presidência do clube. Ambos se propõem até a custear o evento. A ideia é marcar o encontro para 6 de novembro, a cinco dias do pleito, num auditório da comunidade portuguesa no Rio. Só um ponto está definido: será pedido reforço policial.

Corneta
Conselheiros do Palmeiras fizeram chegar ao presidente Paulo Nobre que querem o afastamento do goleiro Fábio, por ter falhado nos últimos quatro jogos. Dizem que por muito menos o então ídolo Oberdan Cattani perdeu a posição durante a Copa Rio de 1951 para Fábio Crippa, que acabou sendo o titular da equipe até o jogo da final.

Sem problema
O presidente do STJD, Caio Rocha, não considera os gritos de “bicha!!” que várias torcidas estão praticando contra os goleiros adversários – prática inventada por torcidas mexicanas- um ato de discriminação, mas uma ofensa, um ilícito de menor gravidade. Segundo ele, o caso precisaria ser julgado apenas por desordem. O Grêmio foi excluído da Copa do Brasil porque a torcida gritou “macaco” para o goleiro Aranha, mas ainda cabe recurso.

FINS LUCRATIVOS

 

A National Football Association (NFL) movimentou RS 23 bilhões em 2013, mesmo sendo considerada ‘sem fins lucrativos’

Nos EUA, a NFL pode estar prestes a perder um presente que ganha do Governo desde 1966.

Neste ano, lobistas das ligas profissionais de futebol americano – eram duas até 1970, quando surgiu a NFL – fizeram um ‘touchdown’ crucial.

Conseguiram incluir, junto com a lei sobre o monopólio dos direitos de transmissão, as ligas profissionais de futebol entre as organizações isentas de impostos.

Quase 50 anos depois, a situação nos EUA é de austeridade fiscal. E ver a NFL movimentar R$ 23 bilhões em 2013 incomodou os contribuintes.

Por isso, o senador Tom Conburns quer passar uma lei que só isenta ligas esportivas com receitas menores que R$ 25 milhões.

Só o presidente da NFL embolsou quase R$ 100 milhões em 2013.

DE LETRA

“Os clubes nada fazem para melhor o nível dos atletas em arbitragem”

Edson Rezende, corregedor de arbitragem, que diz que a CBF oferece aulas de arbitragem aos clubes e quase nenhum aceita.

 

Dinamite tem culpa, diz diretor do Vasco

por Marcelo Resende em 13.set.2014 às 15:04h
FRAME - Roberto Dinamite, presidente do Vasco (Foto: Reprodução/LANCE!TV)

Roberto Dinamite, presidente do Vasco (Foto: Reprodução/LANCE!TV) Diário LANCE!

Um membro influente da diretoria do Vasco disse que um dos principais motivos para o segundo rebaixamento do clube, em 2013, foi a falta de experiência administrativa do presidente Roberto Dinamite. Disse que a renúncia de vários vice-presidentes, que romperam com o presidente – acusaram-no de decidir sem ouvi-los –, também alimentou a decadência do clube. Por último aponta que a crise começou no Brasileirão de 2012, quando diversos jogadores foram vendidos para fazer caixa.

Quase lá
O Palmeiras ainda não tem as CNDs necessárias para ter acesso a verbas públicas – está a caminho. O clube confirma que obteve as certidões da Receita e do INSS, e que já pediu as três restantes – o que indica que houve acordo com FGTS e os governos estaduais e municipais. Se os processos tiverem o trâmite de outros clubes, as certidões podem sair em poucas semanas.

Sem registro
A Procuradoria do STJD diz que não tem registro de ofensas no jogo Goiás x Flamengo. Na transmissão ao vivo da partida, na quarta-feira, foi possível ouvir torcedores rubro-negros gritando “bicha” a cada reposição de bola do goleiro Renan. O procurador Paulo Schmitt disse, por meio da assessoria, que “cânticos ofensivos e preconceituosos são passíveis de denúncia e punição”.

Novo prazo
Com a expectativa de resolver até ontem, o Flamengo estendeu para o meio da próxima semana o prazo para receber do Al-Nassr, da Arábia Saudita, o valor da venda do atacante Hernane. Flávio Willeman, vice-jurídico, diz que o assunto é tratado discretamente. O Flamengo quer evitar ir à Fifa, temendo que o caso se arraste na entidade. O clube saudita não pagou os R$ 7 milhões que deve ao Flamengo.

Na mira
O reaparecimento do ex-presidente Juvenal Juvêncio deve estimular as baterias do grupo do presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, contra o caudilho tricolor. Vários diziam que não queriam falar do ex-presidente por causa de seu estado de saúde. Mas já que ele diz que está bem… Um dos maiores alvos será o gerente da base – que Juvenal defende a todo custo.

Campanha
Seriamente ameaçado de não conseguir se reeleger em razão de sua gestão no Vasco – em seis anos, o clube teve dois rebaixamentos, em 2008 e 2013 –, Roberto Dinamite tenta melhorar sua imagem no clube. Nas últimas semanas, Dinamite inaugurou o Centro de Memória em São Januário e reinaugurou a piscina da sede do Calabouço, no centro do Rio.

Expansão
A 9ine pretende expandir seus negócios para o exterior, especialmente os EUA. A agência quer aproveitar o crescimento do futebol entre os americanos e conta com dois fatores para ter sucesso na empreitada: a forte imagem de Ronaldo, embaixador da empresa, e a estrutura das unidades americanas da WPP, um dos maiores grupos de comunicação do mundo. A investida deve iniciar em janeiro.

NA MESMA

Treino do Corinthians

Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians

Quando o grupo de Andrés Sanchez assumiu o poder no Corinthians, em 2007, uma das prioridades era acabar com o “senta-levanta” no Conselho.

Na era Dualib, ao pôr votação uma proposta – quase sempre da diretoria – a mesa do Conselho pedia que os favoráveis deveriam ficar sentados e os contrários se levantar.

O constrangimento era tal que havia muitas aprovações unânimes.

A partir de 2008 aumentaram os debates e a democracia no clube.

Por um tempo.

Conforme Andrés Sanchez foi aumentando seu poder, os debates foram minguando.

Várias vezes, mudava o rumo de uma votação – como no caso do estádio perto de Guarulhos – com meia dúzia de palavras.

DE LETRA

“Se é para vender o clube a alguém, é melhor que seja um xeque do Dubai”

Wlademir Pescarmona, candidato de oposição no Palmeiras, sobre os empréstimo de Paulo Nobre ao clube.

Arena Corinthians não vendeu CIDs

por Marcelo Resende em 12.set.2014 às 6:57h
Inauguração da Arena Corinthians (Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)

(Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)

O Corinthians está com todos os CIDs parados na Prefeitura de São Paulo. As regras de sua emissão apontam que elas só poderão ser comercializadas quanto todos, no valor total de R$ 420 milhões, forem emitidos. Até semanas atrás, R$ 350 milhões haviam sido publicadas. Mas o Tribunal de Contas determinou a reemissão de R$ 140 milhões e deu sinal verde. Há mais de um mês a Prefeitura precisa emitir os R$ 210 milhões restantes e não o faz. Corinthians e Odebrecht buscam explicações, sem sucesso.

Tomando partido
Na guerra política entre Carlos Miguel Aidar e Juvenal Juvêncio no São Paulo, uma parte de dirigentes da situação já se colocam junto ao novo bloco político misto que deve surgir nos próximos dias. Entre os dirigentes, destacam-se Júlio Casares, VP de Marketing, Antônio Donizeti, VP da Social e Leonardo Serafim, diretor jurídico do clube. Ataíde Gil Guerreiro, VP de Futebol, também deve apoiar Aidar, responsável por sua volta ao clube.

Alívio
O São Paulo tentou fazer duas operações nas últimas semanas para conseguir aliviar seu caixa. Buscou um empréstimo bancário de R$ 20 milhões e tentou antecipar R$ 25 milhões das receitas de TV da Globo. Ouviu duas negativas. Os bancos estão mais reticentes em emprestar aos clubes e a Globo diz que o Tricolor já antecipou o que podia em 2013.

Afago inimigo
Um contingente de conselheiros do Flamengo, inclusive um grupo de desafetos históricos seus, prepara-se para defender o colega Leonardo Ribeiro no Conselho. Ribeiro está suspenso e corre o risco de receber uma segunda punição. Nesse caso, poderia ser expulso do clube. Esse grupo considera a medida exagerada, ainda que muitos não suportem Leonardo Ribeiro.

Planejamento
Alexandre Wrobel, vice de Futebol do Flamengo, iniciou o planejamento para o ano que vem – quando o clube terá pela primeira vez alguma folga de caixa para contratar. Pessoas próximas ao dirigente dizem que Wrobel não demonstra desejo de deixar o clube, pelos problemas recentes envolvendo a política de preço dos ingressos. Pensando na pauta de 2015, o dirigente já busca formas de montar o elenco do rubro-negro carioca.

Novidades
A Comissão de Inquérito do Santos deve atrasar em alguns dias a entrega da investigação sobre a atuação da CSU no cadastro de sócios. O presidente Odílio Rodrigues deveria receber o documento dia 20, mas informações importantes foram apuradas nesta semana e o dirigente só terá acesso à sindicância no fim do mês.

Garantia
O vice de Futebol do Internacional Marcelo Medeiros diz que o técnico Abel Braga ficará no clube, no mínimo, até o fim do ano. Medeiros é o provável candidato da situação à presidência, na eleição de dezembro. Braga passa por momento de turbulência, em razão das eliminações na Sul-Americana e Copa do Brasil e de maus resultados no Brasileirão, apesar de estar no G-4.

CONFUSÃO

Torcida do Coritiba leva banner para o Couto Pereira e juiz atrasa o início da partida contra a Chapecoense (Foto: Lucas Pedrosa)

(Foto: Reprodução/Internet)

A torcida do Coxa ainda não engoliu a arbitragem da partida contra o Flamengo.

O árbitro Wagner Renay marcou dois pênaltis para o rubro-negro e o Coritiba foi eliminado da Copa do Brasil.

E deram o troco. Na partida contra o Chapecoense, exibiram uma faixa com a foto de Renay usando a camisa do Flamengo. “Pênalti para nós”, dizia o banner.

O furor causado pela manifestação foi tanta que as equipes demoraram a entrar em campo.

E o juiz da partida, Devarly Lira do Rosário, teve que relatar na súmula o atraso e o que motivou a confusão

Mas fez uma lambança no documento. Disse que eram “vestes rubro-negras”, com o símbolo da CBF.

A foto mostra com clareza o símbolo CRF – Clube de Regatas Flamengo.

DE LETRA

“O árbitro não o puniu. Ele teve que ver na TV para avaliar.”

João Zanforlin, advogado do Corinthians no caso Petros, sobre decisão do STJD, que diminuiu a pena de seis meses para três partidas.

Aidar arquitetou com oposição ‘racha’ com Juvenal

por Francisco Loureiro em 11.set.2014 às 6:00h

Juvenal Juvêncio e Carlos Miguel Aidar nas eleições de abril de 2014, ainda posando como aliados políticos

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, planejou com cuidado o racha com seu histórico amigo e aliado Juvenal Juvêncio, que foi seu sucessor em 1988 e passou-lhe a presidência neste ano. Segundo o conselheiro Jayme Franco, Aidar lhe encomendou um levantamento da situação financeira. Com esse documento, deu entrevista à Folha de S.Paulo e detonou a gestão do antigo aliado. Agora, a oposição articula, a partir da iniciativa do próprio Aidar, um novo grupo político para apoia-lo no Conselho.

Segunda chance
Para acalmar o vice de Futebol, Alexandre Wrobel, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira, lhe disse que o aumento do preço dos ingressos só valerá para o jogo diante do Corinthians. Os preços voltarão ao patamar anterior a partir do jogo contra o Fluminense e a diretoria promete não desautorizar mais Wrobel em público. O vice de Futebol não decidiu ainda se vai deixar o clube, mas deve ficar no cargo.

Compromisso
O senador Aécio Neves, candidato a presidente pelo PSDB e terceiro colocado nas pesquisas, decidiu apoiar o projeto da Lei de Responsabilidade Fiscal para o Esporte, de relatoria do deputado federal Otávio Leite (PSDB-RJ). O projeto que trata do refinanciamento da dívida dos clubes com contrapartida está aguardando votação na Câmara, o que só deve acontecer após a eleição de outubro.

Fogo amigo
A declaração do diretor de Marketing do Corinthians, Izael Sinem , de que o clube é o clube do “povo, não do povão” desagradou até a diretores e conselheiros de situação do clube. Sinem é criticado por não conseguir patrocínio de ombro e calção, o que aprofunda uma situação financeira nada confortável. No número de sócios torcedores, o clube foi ultrapassado pelo Flamengo.

Apoio alvinegro
Paulo Garcia, por meio da Spiral, uma das empresas do grupo Kalunga, que pertence à sua família, doou R$ 290 mil à campanha de Andrés Sanchez a deputado federal. O valor foi aportado em 67 doações, grande parte doada em material gráfico de campanha. As doações correspondem a 55% do arrecadado pelo ex-presidente corintiano. Sanchez e Garcia são rivais políticos no clube, mas amigos fora dele.

Negociação

A Under Armour segue negociando com clubes brasileiros para ingressar no mercado nacional. Embora não revele nomes, a marca diz que quer assinar acordos apenas com equipes de grande apelo. As parcerias passariam a valer, no mínimo, em 2015, pois a empresa ainda se estrutura para produzir seu material no Brasil para atender a demanda dos clubes.

Recadastramento
A equipe responsável pelo recadastramento de sócios do Vasco é constituída por cinco pessoas escolhidas diretamente pelo presidente Roberto Dinamite. A ideia do grupo, segundo um membro, é começar a conovacação dos sócios a São Januário na próxima semana. A Microtag, empresa que vai auxiliar o clube, está finalizando a tecnologia que será usada no processo.

BOLA DA VEZ

Katherine Fontenele, atual affair do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, trabalha na TV FPF

A suposta nova namorada do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, Katherine Fontenele, 23, trabalha há cerca de 75 dias como apresentadora da TV FPF. Ele se reveza na apresentação com Carolina Galan, 27, ex-affair do dirigente.

As evidências da “troca da guarda” são muitas.

Durante anos, Del Nero não poupou esforços para promover Galan.

Nas primeiras reuniões como membro do comitê executivo da Fifa, em 2012, Del Nero levou Galan e a apresentou aos dirigentes internacionais. Fez o mesmo quando foi à Conmebol, no Paraguai

Mas nos primeiros amistosos da Seleção com Dunga, a enviada da TV FPF aos EUA foi Fontenele, embora Galan continue apresentando o programa.

No Instagram, Fontenele apareceu beijando Del Nero, em Miami.

Ela já foi capa da “Sexy”.

DE LETRA

“Apoiarei, mas não me chame para bater palmas”

Marco Aurélio Cunha, conselheiro do São Paulo, após o ‘racha’ do presidente Aidar com aliados históricos.

Paz no Flamengo depende de Wrobel

por Francisco Loureiro em 10.set.2014 às 7:28h

O vice-presidente de Futebol do Flamengo foi contrário ao aumento do preço do ingresso no Maracanã

A saída de Alexandre Wrobel da vice-presidência de futebol, caso aconteça de fato, poderia romper o acordo entre a diretoria do clube e um grupo de influentes conselheiros, entre eles vários ex-presidentes. A ida de Wrobel para o futebol foi sugestão do grupo e, se ele deixar o cargo, em razão da crise do aumento do preço dos ingressos, não só haveria o fim desse acordo como o próprio Wrobel já teria grande apoio caso decida disputar a próxima eleição, assunto sobre o qual nunca falou em público.

Mais um
A sessão de cinema que será o primeiro evento público no Allianz Parque, do Palmeiras, foi confirmada para o próximo dia 20 e não para o dia 13, data que era usada até por diretores da WTorre. Esse será o primeiro de uma série de eventos testes até o primeiro jogo oficial, previsto para o início de novembro. A inauguração do estádio palestrino está em atraso de cerca de 860 dias.
Escoteiros
A Sport Promotion não tem fonte clara de lucro na gestão do Brasileirão Feminino. A entidade adquiriu os direitos sobre a competição, mas, seu único patrocinador, a Caixa, afirma que no patrocínio não há verba para a empresa. Tudo vai para cobrir os custos. Nos folhetos promocionais do evento, não há outro patrocinador. Como empresa, a SP não pode usar a Lei de Incentivo ao Esporte.
Baixa procura
A CBTênis não conseguiu vender com os preços planejados os ingressos para o confronto Brasil x Espanha, pela Copa Davis, a partir de sexta-feira. O plano era vender pacotes para os três dias a preços entre R$ 550 e R$ 1.500, mas no meio da venda decidiu-se manter preços promocionais. Os valores atuais estão R$ 325 e R$ 780. A ausência de Rafael Nadal foi um motivo. Até ontem, ainda havia 30% dos lugares disponíveis.
Profraco
Nos bastidores, os envolvidos na Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte (antigo Proforte) mostram desânimo quanto ao futuro da lei. O consenso entre dirigentes de clubes quebrou-se, e a maioria está em déficit financeiro. Entre parlamentares, há a crença de que o governo trava a pauta. E os atletas sentem que foram deixados de lado. Hoje, só o Ministério do Esporte mostra otimismo quanto à LFRE.
Em mãos
O presidente da comissão de clubes, Vilson Ribeiro de Andrade, recebeu ontem a proposta oficial da CBF para o órgão fiscalizador do esporte, e já adiantou que o modelo sugerido pela entidade é muito similar ao dos clubes e do Bom Senso. Segundo Andrade, o texto final deve estar finalizado até o fim do mês. Mesmo assim, o dirigente é pessimista quanto a possibilidade de o órgão funcionar já em 2015.
Baixinho tubarão
O deputado federal Romário (PSB/RJ), candidato ao Senado, recebeu 99% de suas doações para a campanha de apenas duas empresas. A Ambev, por meio de uma subsidiária do Rio, doou R$ 500 mil e o Banco Santander já havia doado R$ 250 mil. Todas as demais doações somam R$ 7,8 mil, segundo a prestação oficial de contas para o TSE.
PIADISTA

Dilma Rousseff quer que clubes “aprendam a pescar”, segundo um dirigente presente em reunião dosc clubes com a presidente.

Na reunião que teve com dirigentes dos grandes clubes em Brasília, a presidente Dilma Rousseff  fez questão de tocar em um ponto sensível aos cartolas brasileiros.
Dilma reclamou que não há incentivos para que os gestores do futebol tenham responsabilidade financeira com as entidades que dirigem.
Os dirigentes ficaram animados, ávidos por uma ajuda estatal.
Mas a presidente tratou de deixar claro o que quis dizer. E usou uma analogia curiosa.
– Não dá pra levar o poste até o cachorro. Temos que deixar um cheirinho lá, e o cachorro que vá atrás – disse a presidente, segundo um dos presentes na reunião.
A mensagem da presidente Dilma é clara: o governo tem boa vontade para ajudar os clubes, mas desde que andem com as próprias pernas.
DE LETRA
“Tem que respeitar os geraldinos”
Walter D’Agostino, vice-geral do Fla, defendendo uma cota de ingressos mais barato para torcedores de baixa renda.

Caixa põe mais de R$ 0,5 bi no esporte

por Francisco Loureiro em 09.set.2014 às 7:27h

A Caixa patrocina desde grandes clubes, como Corinthians e Flamengo, até o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino.

A Caixa Econômica Federal, segundo sua própria diretoria, aportou até agosto cerca de R$ 550 milhões em patrocínios para o esporte brasileiro. O valor supera o orçamento anual de qualquer entidade esportiva, inclusive a CBF. O valor mais do que triplicou nos últimos dois anos, quando o clube passou a patrocinar grandes clubes de futebol, como Corinthians, Flamengo e Vasco. A verba de patrocínio da Caixa vem sendo usada para projetos esportivos de interesse do governo federal, como o Brasileirão feminino.


O Ministério do Esporte discorda da visão de que o Refis da Copa vai matar a LRFE. Afirma que os clubes preferem o segundo ­ que tem taxa de juros mais alta e exigência de contrapartidas ­ porque o primeiro não refinancia completamente a dívida. Cita que o Refis é só para dar uma folga momentânea de caixa. Corinthians, Flamengo, Atlético-MG, Fluminense e Botafogo aderiram ao Refis.

Esperança
O Ministério do Esporte quer usar 15% do dinheiro do legado da Fifa (cerca de 100 milhões em quatro anos) para aplicar no futebol feminino. Isso dá cerca de R$ 8 milhões por ano. O valor é equivalente à 80% do patrocínio da Caixa ao futebol feminino, em R$ 10 milhões por ano. O governo ainda não decidiu o que fará com o dinheiro do legado, que é menos de 5% do lucro que a Fifa teve com a Copa do Mundo.

Vida loca
Pessoas que conviveram com o lateral Maicon na Seleção Brasileira dizem que o jogador, embora nunca tenha cometido atos de indisciplina, sempre gostou de aproveitar suas folgas de forma intensa. Na preparação e durante a Copa de 2006, um de seus principais parceiros era o atacante Adriano, que anos mais tarde admitiu ter problemas com álcool e faltava a treinos no Corinthians.

Estágio
Integrantes da Liga Nacional de Basquete (LNB), responsável pelo Novo Basquete Brasil (NBB), vão atuar na organização do jogo entre Miami Heat e Cleveland Cavaliers, em outubro, no Rio de Janeiro, válido pela pré-temporada da NBA. O evento é visto pela entidade como uma grande oportunidade de aprendizado. Além disso, vêem como positivo que a liga americana montou um escritório no Brasil.

Consideração
A CBF recebeu há duas semanas uma “pedido informal” do São Paulo referente a mais de R$ 10 milhões que teriam que ser pagos ao Tricolor pela cessão de atletas para a Seleção entre 2000 até 2014. Até o fechamento da coluna, o São Paulo não havia recebido nenhuma forma de resposta da CBF. Procurado, O jurídico da entidade não atendeu às ligações da De Prima.

Em frente
Antes acuado por ser parte investigada na Comissão de Inquérito do Santos por suposta falsa comunicação de crime no casos das carteiras fantasmas, o conselheiro de oposição Orlando Rollo assumiu que será candidato à presidência do clube. Membro da Terceira Via Santista, Rollo diz não temer a investigação, que termina a duas semanas do pleito para presidente.

CLUBINHO

 

Os ‘califas’ da CBF José Maria Marin e Marco Polo Del Nero deixaram o Bom Senso de lado na reunião com clubes nesta terça-feira, 9

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A discussão por reformas no futebol brasileiro hoje passa pela criação de um órgão fiscalizador do esporte. Ao menos no círculo CBF, clubes e Bom Senso.

A ideia é vigiar se os clubes vão cumprir o que entraria em vigor com a LFRE – que só volta à pauta do Congresso após a eleição.

De início, cada parte – CBF, Clubes e Bom Senso – iria redigir uma proposta, para que depois se definisse o melhor modelo.

O Bom Senso e os Clubes fizeram sua parte, e esperaram a CBF.

Mas a confederação mudou de ideia. Hoje, vai se reunir somente com os clubes para pautar uma proposta agradável à CBF.

Depois, devem comunicar ao Bom Senso o que foi decidido.

Fica a dúvida se o órgão terá mesmo – como já se falou – representantes de todas as classes.

DE LETRA

“Não sei se a CBF tem alguma coisa voltada para isso”

Virgilio Eliseo, diretor de Competições da CBF, sobre projetos da entidade para a categoria de base do futebol feminino.

 

No feminino, CBF adota duplo critério em convocação

por Francisco Loureiro em 08.set.2014 às 14:47h

A Seleção Brasileira feminina não desfalcou os clubes brasileiros de algumas reservas para jogar um Mundial, mas tirou 15 jogadoras titulares dos finalistas do Campeonato Paulista para se preparar para um Sul-Americano.

Em agosto, o Brasil jogou o Mundial Sub-20. Caiu na primeira fase, com um ponto em três jogos: empatou com a China (1×1) e perdeu para os EUA (0×1) e Alemanha, por dilatados 5 gols a 1. A CBF lamentou que o time teve apenas 15 dias para se preparar. Mas não explicou por que não convocou a equipe antes, já que, segundo ela mesma, não há nenhuma competição sub-20 feminina no país. As convocadas, na maioria, eram suplentes de times adultos.

O técnico Oswaldo Alvarez não dirigiu aquela equipe, mas defendeu a atitude da CBF de convocar as jogadoras apenas 15 dias antes do Mundial, mesmo sabendo que não tinham ritmo de jogo. Minutos antes, o próprio Vadão havia dito que faltara condição física para a equipe e essa foi a razão da goleada sofrida para a Alemanha. Com mais tempo de preparo a condição física certamente seria melhor. Mas Vadão disse que a CBF não poderia desfalcar as equipes.

Mas, para a equipe principal, que vai disputar o Sul-Americano, competição em que nas seis edições, o Brasil foi campeão em cinco e vice em uma, o procedimento foi diferente. A CBF convocou oito jogadoras do Araraquara e sete do São José dias antes de elas disputarem a finalíssima do Campeonato Paulista, no último fim de semana.

Vasco busca R$ 5 mi por acordo com Caixa

por Francisco Loureiro em 06.set.2014 às 7:53h

 

Cristiano Koehler, diretor geral do Vasco, busca R$ 5 milhões para poder receber patrocínio da Caixa

O Vasco corre o risco de não renovar o patrocínio máster com a Caixa Econômica Federal (CEF). Segundo o diretor-geral Cristiano Koehler, o clube precisa pagar R$ 5 milhões de impostos para conseguir renovar as certidões negativas de débito e, com isso, prolongar o contrato com o banco público. Koehler diz que terá dificuldades para arrumar o valor, tendo que pagar funcionários e manter o clube em funcionamento, por exemplo. O primeiro contrato entre CEF e Vasco foi de R$ 15 milhões.

Hora de trabalhar
Diretores do Corinthians estão irritados com a pressão que Mano Menezes faz por Nilmar. Entre os argumentos contra o atleta estão os problemas nos joelhos, os altos salários e a ação contra o clube em que obteve R$ 8 milhões após a sua 1ª passagem. A posição é que pelo salário que ganha, Mano deve procurar um atleta mais barato e desenvolvê-lo, como o Cruzeiro fez com Ricardo Goulart.

Panos quentes
O Sindicato dos Jogadores de SP negou duas vezes que as demissões de cinco atletas no Barueri tivessem motivação política – eles lideravam o movimento contra o atraso de salário. O presidente Rinaldo Martorelli chegou a dizer que havia conseguido clubes para o grupo, o que não ocorreu. O quinteto lavrou um B.O. na Polícia para registrar a dispensa sem documentação. Eles devem processar o clube, que em maio mudou de dono e passou a atrasar salários.

Banco de reservas
Mais de 30 sócios aguardam para se tornarem conselheiros vitalícios do Botafogo. Hoje são 90 ocupantes desse cargo e o clube só abrirá novas vagas quando esse número cair para menos de 80 – o que normalmente só ocorre por morte ou invalidez. Entre os que estão nessa situação, estão nomes conhecidos como Antonio Carlos Mantuano e Cláudio Good.

Janela Júnior
Fecham no dia 17 deste mês as inscrições para a Copa São Paulo de Futebol Junior. Clubes grandes do país estão procurando reforços para as equipes. Para atrair os jogadores, alguns clubes oferecem luvas e outros, parte dos direitos econômicos, a garotos que nem estão no profissional. A precária situação financeira de alguns, inclusive grandes, facilita o assédio aos garotos.

Só para o registro
O Coritiba fez uma reclamação formal à CBF, ontem, contra os erros de arbitragem ocorridos na derrota para o Flamengo, pela Copa do Brasil. O presidente Vilson Ribeiro de Andrade, porém, diz que não espera nenhuma atitude da entidade. Para o dirigente, que se diz decepcionado com o futebol, a reclamação é apenas uma forma de não deixar os erros passarem em branco.

Alternativa
Enquanto a Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte não é votada no Congresso, a base governista tenta reabrir o prazo de adesão dos clubes ao Refis da Copa. O programa, cujo prazo de adesão já terminou, foi usado por cinco clubes – Flamengo, Corinthians, Fluminense, Atlético-MG e Botafogo. A estratégia é esvaziar a pressão pela aprovação da lei que exige mais contrapartidas.

ASAS CORTADAS

Estilo blindado do técnico da Seleção não afeta só os jogadores

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A cruzada do técnico Dunga para reduzir a exposição da Seleção Brasileira não se resumiu aos jogadores.

A TV CBF foi literalmente uma vítima da personalide forte do treinador. Mesmosabendo que o material produzido passa pelo crivo da entidade.

Na era Felipão, tinham acesso a quase toda a rotina dos atletas na concentração.

Filmava as refeições, as comemorações, e até os “batismos”, o ritual com que os novatos são recebidos.

A A TV tinha acesso até ao vestiário. E todo esse material era publicado no site da entidade.

Com Dunga, essas portas, antes escancaradas, agora se fecharam.
E, sem tanto o que fazer, os profissionais da TV CBF temem que haja um grande corte.

DE LETRA

“Não adianta tapar o sol com a peneira”

Manuel Renha, conselheiro do Botafogo, sobre o grupo de torcedores que ajuda a pagar os direitos de imagem dos jogadores.

São Paulo projeta déficit de R$ 30 mi

por Francisco Loureiro em 05.set.2014 às 7:30h
Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo, pode fechar 2014 com até R$ 30 mi lhões de déficit

Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo, pode fechar 2014 com até R$ 30 milhões de déficit

O São Paulo já trabalha com um déficit entre R$ 25 milhões e R$ 30 milhões. A informação é oficial, do vice de Finanças do clube, Osvaldo Vieira de Abreu. Esse valor já contabiliza as vendas do lateral Douglas e atacante Lucas Evangelista, que somaram R$ 17 milhões ao cofre do clube. Para reduzir o déficit, a principal possibilidade do clube é vender mais jogadores, segundo Abreu. O diretor também espera que a Consultoria da empresa Áquila possa ajudar a eliminar gastos desnecessários.

Guerra Santa
A dupla Marin-Del Nero, os novos califas da CBF, demitiu mais um diretor ligado a Ricardo Teixeira. A cabeça que rolou foi a de Antonio Osório, diretor financeiro até abril deste ano, afastado do cargo após a entidade perder R$ 30 milhões com a intervenção no Banco Rural. Após a Copa tinha recebido um novo cargo: diretor de Assuntos Esportivos (sic). Osório estava na CBF desde o início da era Ricardo Teixeira (1989-2012).

Imagem
O Grêmio vai lançar logo uma nova campanha para tentar melhorar sua imagem, após os episódios de racismo, o último com o goleiro Aranha. Antes desse episódio, existia um trabalho, que será reformulado. Após as injúrias contra o goleiro santista, o departamento de marketing do clube promete reforçar ainda mais o discurso contra o preconceito, seja na esfera esportiva ou social.

Dispensa
Mesmo após 15 jogos na Arena, o Corinthians trata as negociações para o fornecimento de 3 mil monitores ao estádio como “prematura para esse momento”. Nos camarotes já utilizados, o clube instalou telas provisórias que devem ser trocadas assim que sair o acordo com uma fabricante. Na Copa, apesar da parceria da Fifa com a Sony, alguns monitores da arena eram da Semp Toshiba

Guerra Santa
Após ter esticado o jogo por tempo excessivo, o que permitiu a virada do Botafogo, o árbitro Emerson Almeida colocou informações na súmula do jogo, de modo a não se complicar. Antecipou o horário dos dois últimos gols em um minuto, para que o tento decisivo ficasse aos 49min do segundo tempo, quando prometeu encerrar a partida. Mas se enrolou ao dizer que estendeu o acréscimo de 3 para 4 minutos após o gol de empate – que ocorreu após os 49min.

Esvaziamento
O Botafogo poderá perder na próxima gestão grande parte de seu conselheiros mais tradicionais – e mais ricos. Nomes como Manuel Renha e Cláudio Good não estão conseguindo lugar nas chapas de candidatos ao Conselho. E ainda não possuem assento vitalício. A esse grupo pertencem os sócios que estão ajudando a pagar o direito de imagem dos jogadores.

Dispensa
O Grêmio Barueri, que sofreu com uma greve de jogadores no mês passado, dispensou os cinco jogadores que lideravam o movimento trabalhista, em razão do atraso dos salários. A rescisão será assinada hoje e nada será pago a eles. Dois conseguiram novo emprego, mas três ainda estão sem clube.

 

OFFLINE

Dunga já deu o recado: nada de Facebook e Instagram na concentração

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na era Felipão, em especial na Copa do Mundo, era muito comum os jogadores da Seleção postarem selfies e fotos nas redes sociais

Recebiam elogios e críticas. Alguns foram considerados marqueteiros demais.

Já no primeiro amistoso da terceira Era Dunga, contra a Colômbia, em Miami, as fotos sumiram.

Dunga disse aos jogadores que não quer ver ninguém colocando imagens nas redes sociais durante o período de convocação.

E pediu que moderem a exposição durante o período em que estiverem em seus clubes.

O técnico não fez nenhuma ameaça direta, mas seus amigos consideram seguro que presença em polêmicas terá peso na hora da convocação.

Ainda na ressaca moral dos 7 a 1, a hora é de privacidade na Seleção Brasileira.

DE LETRA

“O futuro é o pay-per-view”

Vilson Ribeiro de Andrade, presidente do Coritiba, que propôs à Globo uma nova distribuição das receitas de PPV.


.